Post 639 – Uncle Chico Newsletter # 242 – Excellent news: Unifila reinvigorates and returns !!! Next Expo will be on Jun, 2nd-2019 – Some questions that I would like to know the answers from Unifila`s president Atila Luiz Dias. – Date: April, 23rd.-2019

 

Uncle Chico Newsletter # 242 

Excellent news: Unifila reinvigorates and returns !!!

Next Expo will be on Jun, 2nd-2019

Some questions that I would like to know the answers from Unifila`s

president Atila Luiz Dias.

My dears CAFIB and Fila Brasileiro (FB) friends,

I have just received with great satisfaction the poster inviting to the next Unifila Expo, which follows below. I am very happy with the reinvigoration of this club founded initially in 1995 by a group of Minas Gerais FB breeders and formalized as a club in 2001 in Minas Gerais, important cradle of Fila Brasileiro.

In the past, Unifila has held a number of events and Expos, many of which have been judged by CAFIB judges, based on the CAFIB Standard which was drafted by this Club in 1978, but unfortunately a few years ago, Unifila did not hold its traditional and annual Expo in the city of Belo Horizonte.

A strong Unifila that breed, divulge and give an important contribution to perpetuate the True Pure Fila Brasileiro is very important not only for the FB itself,  as well as for CAFIB and for all serious breeders of the so-called Pure Fila, mainly in Minas Gerais. 

Even more so because CBKC and FCI have been totally disinterested for decades in the FB and its representatives, SPFB and CBRFB, have been in a limbo of leadership, vagueness and contradictions without presenting any normative, practical and educative action in defense of the True and Pure FB.

However, with this important and welcome reinvigoration, I would like to ask the new leaders of Unifila, especially its president Atila Luiz Dias, always aiming to know with total transparency the methods of breeding that Unifila intends to employ, follow and adopt:

1. What is the FB Standard to be adopted at this Expo and to be followed by Unifila ?

(i) Will it be the CAFIB Standard drawn up by the founders of CAFIB in 1978 and led by Dr. Paulo Santos Cruz, who has since maintained its first version?

(ii) – Or it will be CBKC Standard No. 225, in its 5th. version, dated 2016, where the definition “ojeriza to strangers” was modified by “aversion to strangers” and where the dog should allowed to be touched by the judge? Unifila will follow this Standard, also remembering that the translation done by FCI into English and Spanish has replaced the already modified definition “aversion” for, respectively, “aloofness towards strangers”  and “mistrustful with strangers” ?  

(iii) – Or will it be mistakenly called the PSC Standard, but which was elaborated in 1951 by Dr. Paul together with veterinarian Erwin Waldemar Rathsan and FB breeder João Ebner at the request of the then KCP (Kennel Club de São Paulo), which was then accepted by the BKC, which in fact it is the first FB Standard, altered 5 times by BKC (1977) and then 4 by CBKC ?  

Recalling that this Standard dated 1951 still accepted the Fila of all colors and was canceled and replaced by Dr. Paulo himself with the founders of CAFIB by the CAFIB Standard, Club where the Father of the Fila Breed  consolidated all his knowledge about the Fila Brasileiro ?

Note 1: 41 years after the creation of the CAFIB Standard there are still some breeders without knowledge who mistakenly insist on getting confused and calling CAFIB Standard dated 1978 of PSCruz Standard dated 1951 !!! 

See all details about all FB Standards in English clicking in https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/2014/06/10/post-189-ask-uncle-chico-73-uncle-chico-how-many-fila-standards-do-you-know-there-is-a-paulo-santos-cruz-standard-sent-jun-10th-2-014/

2. Will Unifila finally create its own and awaited Stud Book or will it continue to depend on the CBKC to keep its important genealogical records in this notary registry club ? Who will issue Unifila`s pedigrees? Is it still be the CBKC ? This dependency of Unifila, a serious, independent and specialized club, to use CBKC as a registry office that has been providing 50 years of enormous and serious disservice to the Fila Brasileiro Breed should not be totally avoided and extinct ?

It would not be a way to avoid or at least hamper, that the preservation work that will certainly be developed by the new Unifila and its breeders will not be usurped by CBKC “cross-breed” breeders who have long benefited from the CAFIB squad?

Note 2: I believe that CAFIB could cooperate with Unifila with its knowledge, technique and computer program so that it develops its own Stud Book and makes its own pedigrees.

3. At this next Expo, Unifila intends to carry out some kind of Analysis of Phenotype and Temperament as it has been done at CAFIB for 41 years or some kind of Apt for Reproduction such as would be instituted in CBRFB and SPFB in 2011, but which never came into force due to the existence of so many mestizos dogs ? In other words, will this next Expo be a beauty + show event only in the form of the CBKCFCI or will it in fact serve to evaluate the FB’s breeding squad for breed improvement purposes in Minas Gerais?

4. Finally, will Unifila officially and publicly stand against OFB, as CAFIB has already done and SPFB has not yet ? That is, against this new thesis of a new model of a dog invented unfortunately in Governador Valadares City, located also in the Brazilian State of Minas Gerais, that rejects the Fila Brasileiro, selling itself as if it were an aboriginal dog and with a strong marketing campaign well-wrapped and presented ? Today, when the return of the Unifila, would not be an extremely timely and unforgettable moment for this club to mortgaging its total support for the original, traditional and authentic Fila Brasileiro for ever ? Should not Unifila publicly disapprove of the newly invented thesis of this new phenotype of this new dog called OFB, which is in total discrepancy with the 4 phenotypes of FBs exemplified below and stamped in the very invitation of this Expo?

            Unifila  Invitation                    Aborígine dog

1 - Cartaz + Abo rígena

 

Final Note: This article was sent first-hand by email to UNIFILA for the attention of its president Átila Luiz Dias and copying to unifila@unifila.org.br and its director Marcus Flavio Vilasboas Moreira.

Wishing huge success and very happy with the return of Unifila,

Best regards, Chico Peltier.

Anúncios

Post 638 – Tio Chico Informa nº 242 – Excelente notícia: Unifila se revigora e retorna !!! – Próxima Expo será em 2/06/19 – Algumas perguntas que gostaria de conhecer as respostas do seu presidente Atila Luiz Dias. – Data: 23/04/19

Tio Chico Informa nº 242 

Excelente notícia: Unifila se revigora e retorna !!!

Próxima Expo será em 2/06/19

Algumas perguntas que gostaria de conhecer as respostas

do seu presidente Atila Luiz Dias.

Amigos e amigas do CAFIB e do Fila Brasileiro (FB),

Acabo de receber com muita satisfação o cartaz convidando para a próxima Expo da Unifila, o qual segue mais abaixo. Fico muito feliz com o revigoramento deste clube fundado inicialmente em 1995 por um grupo de criadores mineiros e formalizado como clube em 2001 em Minas Gerais, importante berço do Fila Brasileiro.

A Unifila realizou no passado alguns eventos e exposições, muitas das quais foram julgadas por juízes do CAFIB, com base no Padrão CAFIB o qual foi elaborado por este Clube em 1978 mas, infelizmente, há alguns anos a Unifila não realizava sua tradicional e anual Expo na cidade de Belo Horizonte.

Uma Unifila forte que crie, divulgue e de sua importante contribuição para perpetuar o Verdadeiro Cão de Fila Brasileiro Puro é muito importante não só para a própria Raça Fila, como também para o CAFIB e para todos os criadores sérios do chamado Fila Puro, principalmente em Minas Gerais.

Ainda mais porque o CBKC e a FCI mantêm-se há décadas totalmente desinteressados pelo FB e seus representantes, a SPFB e o CBRFB, encontram-se há muitos anos num limbo de liderança, indefinições e contradições sem apresentarem nenhuma ação normativa, prática e educativa em defesa do Verdadeiro e Puro FB.

Entretanto, havendo este importante e bem-vindo revigoramento, gostaria de perguntar aos novos dirigentes da Unifila, em especialmente ao seu presidente Atila Luiz Dias, sempre objetivando conhecer com total transparência os métodos de criação que a Unifila pretende empregar, seguir e adotar:

1. Qual o Padrão de FB a ser adotado nesta Expo e a ser seguido pela Unifila ?

(i) – Será o Padrão do CAFIB elaborado pelos fundadores do CAFIB em 1978 e liderados pelo Dr. Paulo Santos Cruz o qual se mantem desde então em sua primeira versão ?

(ii) – Ou será o Padrão nº 225 do CBKC, na sua 5ª. versão, datada de 2016, onde a definição “ojeriza a estranhos” foi modificada por “aversão a estranhos” e onde o cão deve se deixar tocar pelo juiz em pista ? A Unifila seguirá este Padrão, lembrando ainda que a tradução feita pela FCI para o inglês e o espanhol substituiu a já alterada definição “aversão para, respectivamente, “indiferença a estranhos” e “desconfiança com estranhos” ?

(iii) – Ou será o equivocadamente chamado de Padrão PSC, mas que foi elaborado em 1951 pelo Dr. Paulo juntamente com o veterinário Erwin Waldemar Rathsan e com o criador João Ebner a pedido do então KCP, que depois foi aceito pelo BKC, que de fato trata-se do primeiro padrão do FB, alterado 5 vezes pelo BKC (1977) e depois 4 pelo CBKC ?

Lembrado que este Padrão datado de 1951 ainda aceitava o Fila de todas as cores e foi cancelado e substituído pelo próprio Dr. Paulo com os fundadores do CAFIB pelo Padrão CAFIB, Clube onde o Pai da Raça Fila consubstanciou e consolidou todo o seu conhecimento a respeito da Raça Fila ?

Nota 1: decorridos 41 anos da criação do Padrão CAFIB ainda existem alguns criadores desatenciosos que equivocadamente insistem em se confundir e chamar o Padrão CAFIB de 1978 de Padrão PSCruz de 1951 !!!

Vide detalhes em: https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/2014/06/10/post-no-188-perguntem-ao-tio-chico-no-73-tio-chico-quantos-padroes-do-fila-existem-enviado-em-90614/

2. A Unifila finalmente criará seu próprio e esperado Livro de Registros (Stud Book) ou continuará dependendo do CBKC para manter neste cartório seus importantes registros genealógicos ? Quem emitirá seus pedigrees ? Será ainda o CBKC ? Esta dependência da Unifila, clube sério, independente e especializado à um cartório que vem prestando há 50 anos enormes e graves desserviços à Raça Fila Brasileiro não deveria ser totalmente evitada e extinta ?

Não seria uma forma de evitar ou pelo menos dificultar, que o trabalho de preservação que certamente será desenvolvido pela nova Unifila e seus criadores não venha a ser usurpado por criadores de “filas-mestiços” do CBKC que ha muito vem se beneficiando com o plantel do CAFIB ?

Nota 2: Creio que o CAFIB poderia cooperar com a Unifila com seu conhecimento, técnica e programa de informática para que esta elabore seu próprio Livro de Registros e confeccione seus próprios pedigrees.

3. Nesta Expo a Unifila pretende realizar antes algum tipo de Análise de Fenótipo e Temperamento como é feito no CAFIB há 41 anos ou algum tipo de Apto para Reprodução como o que seria instituído no CBRFB e na SPFB em 2011, mas que nunca entrou em vigor devido a existência de tantos mestiços ? Ou seja, esta próxima Expo será uma Expo somente de beleza + show nos moldes do CBKC-FCI ou de fato servirá para avaliação do plantel para fins de aprimoramento racial do FB em Minas Gerais ?

4. Finalmente, a Unifila vai ou não se posicionar pública e oficialmente contra o OFB, como o CAFIB já fez e a SPFB ainda não ? Isto é, contra esta nova tese de um novo modelo de cachorro inventado infelizmente em Governador Valadares, Minas Gerais, que rejeita o Fila Brasileiro, se vendendo como se fosse um cão “aborígine” e com uma forte campanha de marketing muito bem embrulhada e apresentada ? Hoje, quando do retorno da Unifila, não seria um momento extremamente oportuno e imperdível para este clube hipotecar seu total apoio ao original, tradicional e autentico Cão de Fila Brasileiro de sempre ? Não deveria a Unifila desaprovar publicamente a recém inventada tese deste novo fenótipo deste novo cachorro chamado de OFB, o qual encontra-se em total discrepância com os 4 fenótipos de FBs exemplificados abaixo e estampados no próprio convite desta Expo ?

Cartaz Unifila                                   Cachorro aborígine
1 - Cartaz + Abo rígena

 Nota final: Este artigo foi enviado em primeira mão por email para a Unifila em atenção ao seu presidente Átila Luiz Dias e copiando a unifila@unifila.org.br  e seu diretor Marcus Flavio Vilasboas Moreira.

Desejando enorme sucesso e muito feliz com o retorno da Unifila,

Abraços, Chico Peltier.

Post 637 – Perguntem ao Tio Chico nº 189 – Sobre o artigo do Quinzinho demonstrando as inúmeras incongruência irreparáveis existentes na tese do OFB !!! – Fila Tipo Pointer: o recém-fabricado e novo “modelo” de “fila-leve” e com “cabeça triangular” !!! – A origem do OFBB ( = Objeto Fantasioso Bizarro Baraguaio) é a Tailândia !!! – Existe vida inteligente fora do CAFIB ? – Data: 20/04/19

Perguntem ao Tio Chico nº 189

Sobre o artigo do Quinzinho demonstrando as inúmeras incongruência irreparáveis existentes na tese do OFB !!!

Fila Tipo Pointer: o recém-fabricado e novo “modelo” de “fila-leve” e com “cabeça triangular” !!!

A origem do OFBB ( = Objeto Fantasioso Bizarro Baraguaio) é a Tailândia !!!

Existe vida inteligente fora do CAFIB ?

Queridos amigos e amigas do Fila Brasileiro (FB) e do CAFIB, continuando com nossas conversas…

Pergunta nº 474: Poxa Tio Chico, que maravilha o ultimo artigo do Quinzinho ( Joaquim Liberato Barroso, Canil Boa Sorte) analisando com extrema profundidade e objetividade as inúmeras incongruências históricas e técnicas existentes na tese do OFB. Muito bom ele ter retornado ao CAFIB. Voltou com Medalha de Ouro… Parabéns !

Resposta do Tio Chico: Sem dúvida, este é o melhor texto já publicado sobre esta última ficção de mestiçagem denominada OFB que infelizmente estão tentando introduzir no FB. Excelente artigo, metódico e cirúrgico feito pelo Quinzinho. Destrói ponto por ponto a frágil e rasa tese do OFB. Eu mesmo adoraria tê-lo escrito. Creio que outros criadores sérios e cultos também.

Muito diferentes das postagens feitas no Facebook por pessoas tolas e superficiais e/ou por  analfabetos funcionais que não sabem escrever, assim como por aqueles que tentam induzir os novos criadores a erros a respeito do OFB. Para quem não leu basta acessa-lo em https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/2019/04/17/post-635-tio-chico-informa-no-241-mais-um-excepcional-profundo-e-cristalino-artigo-assinado-por-quinzinho-liberato-demonstrando-a-subversao-e-a-falacia-existente-na-teoria-do-ofb-data-17-04-1/ . Observe que este é o terceiro artigo dele sobre este tema, todos postados no meu blog. Mais uma vez meus parabéns ao Quinzinho !!! Ainda mais agora que ele está de volta ao seio do CAFIB. Voce sabia que ele participou de todas as 14  Expos realizadas na década de 80 e 90 pelo CAFIB-Rio ?

Pergunta nº 475:  Tio Chico, fora dos profissionais adestradores de cães, que obviamente tentam conquistar um novo mercado para vender seus serviços aos proprietários do tal OFB e, de quebra, quem sabe, beliscar os novos e incautos criadores do Verdadeiro FB, não conheço nenhum criador sério, com tradição e história na Raça Fila que esteja seguindo o mentor do OFB. Nem mesmo seus amigos mineiros de tantas décadas. Nenhum conhecido criador de FB embarcou nesta nova aventura.  Descrença total. Afinal, esta nova tese não tem futuro pois ele jamais respondeu as 10 perguntas sobre o OFB formuladas por voce (Tio Chico) em novembro do ano passado. Nem tampouco os diversos pontos formulados por Marcelo Zuliani, Quinzinho Liberato, Jonas Iacovantuono e Fabiano Nunes também sobre o OFB, demostrando assim que esta nova tese de um novo modelo de cachorro não está indo para lugar nenhum. Alem disto, esta rasa e frágil teoria não tem origem, pois o Tio Chico já comprovou que o OFB não pode ser proveniente de Cães Ibéricos como, sem provas, foi levianamente alegado pelo mentor do OFB. E, sequer, esta nova experiência tem futuro, pois não tem um período mínimo de tempo de maturação. Incrível considerar e vender/colocar este cão no mercado como sendo de raça pura com fenótipo, temperamento, sistema nervoso já fixado. Ou seja: ninguém pode prever o que vai nascer nas futuras ninhadas, já que segundo o próprio autor todo o tipo de cachorro que ele acha parecido com FB (e o Tio Chico acha parecido com Pointer) pode ser usado nesta aberta experiencia. É o achismo “acasalando” com o chutômetro ! Afinal, de criação heterogênea já basta o “fila” do CBKC e da FCI, além de seus dirigentes totalmente omissos que desde a década de 70 aceitam qualquer cachorro grandão e cabeçudo como sendo FB. Afinal, cartórios de cães vivem de vender pedigrees e cobrar taxas…  Qualquer cão recém imaginado numa nova experiencia tem que ter muito tempo de criação rigidamente controlada e selecionada na prática e não na cabeça e achômetro de ninguém. Mas isto da trabalho, leva tempo e consome recursos… Coisa que não interessa aos rápidos comerciantes e adestradores de plantão… Portanto, não deveriam sair vendendo e/ou colocando estes cães no mercado como se fossem uma Raça Pura e fixada… Afinal, quem fez experiencia semelhante a esta no passado e causou enorme prejuízo ao FB foi exatamente os mestiçadores João Batista Gomes com a sua teoria do Fila-Mastiff e Procópio do Valle com sua teoria do “fila-preto”… O Fila Brasileiro não merece mais uma nova miscigenação e desmoralização no Brasil e no exterior !!!

Escrevo para voce pois estou chocado com o anuncio que me enviaram e segue abaixo para voce:

1- AdestradorResposta do Tio Chico:

Concordo plenamente.

Uma pena depois de 50 anos do início da mestiçagem, esteja em curso mais outra tentativa de modismo e miscigenação.

Colar na testa um carimbo de preservacionista é fácil. Resgatar da extinção e preservar o FB como vem fazendo o CAFIB há 41 nos é muito difícil…

Por favor, veja abaixo:

 

Foto nº 1: O vira-lata chamado Bigu, isto é, um vira-lata DE e NA Fazenda Guapiara, situada em Itanhandu no Sul de Minas Gerais, berço do FB. Bigu é um vira-lata muito arisco e desconfiado, mas que simpatizou muito com o Tio Chico… Aliás, só não gosta do Tio Chico os antigos e novos adeptos e defensores da mestiçagem, isto é, dos “filas-pesadões, dos filas-aberração”, dos filas-preto e mais recentemente dos “filas-leve” e dos “filas com cabeça triangular”. Ou seja, do Fila Tipo Pointer. Ah, também não gosta do Tio Chico a turma do CBKC e da FCI. Mas os defensores do Fila-Puro, gostam, e muito !!! E isto é o que me interessa. Graças a Deus !!!

Foto nº 2: Fila Tipo Pointer, isto é, o novo e recém-fabricado modelo de “fila-leve” com “cabeça triangular”. Ou seja, muito longe do fenótipo característico da Família dos Molossóides.

2 - Viralata

Concluindo esta resposta: TENHA CUIDADO pois, segundo o pensador Hélio Pellegrino, “a inteligência voltada para o mal (do FB) é pior do que a burrice”. E, neste caso, penso que o mal e a burrice tenham “acasalado”.

Pergunta nº 476:  Tio Chico, vamos colocar um pouco de humor nesta piração e maluqueira do OFBB…rsrsrs… Acaba de ser comprovado: o OFBB ( = Objeto Fantasioso Bizarro Baraguaio) não tem sua origem na Península Ibérica, nem muito menos nos seus cães de fenótipo leve e com suas cabeças triangulares. O OFBB tem sua origem na Tailândia !!! Explico: trabalhadores de uma plataforma da petroleira Chevron, situada no Golfo da Tailândia, resgataram um cachorro encontrado em alto-mar, a cerca de 200 km da costa do país. O animal foi salvo no último dia 12. O cão OFBB passa bem. Veja fotos:

3 - Tailandia

 Resposta do Tio Chico:

É verdade: só com humor, muito humor…

Mas a vontade é de chorar muito devido a este novo ataque à integridade e à pureza racial do nosso querido, original, tradicional e autentico Cão de Fila Brasileiro de sempre !!!

Vai ver que os cachorros provenientes da teoria do Fila Terceirense, inventada pelo mestiçador João Batista Gomes, e os da teoria do o Dogue de Forte Race, inventada pelo mestiçador Procópio do Valle, e a mais nova do OFBB antes de virem para o Brasil, deram um pulinho logo ali na Tailândia, pegaram uma corrente de vento muito forte e chegaram no Brasil…rsrsrs…

Pergunta nº 477:  Querido Tio Chico, que os tolos em FB – que infelizmente são muitos — me perdoem, mas no que se refere a vida inteligente entre aqueles que orbitam no FB, simplesmente não acredito que esta exista fora do CAFIB. O resto é resto !!!

Resposta do Tio Chico: Concordo plenamente.

Infelizmente, além dos muitos analfabetos funcionais existente na criação do FB e fora do CAFIB, ou seja, aqueles que não sabem escrever sequer uma frase inteira no Facebook explicando de forma clara seu pensamento e opinião, aqueles que nunca têm argumentos válidos e por isto apelam para desculpas esfarrapadas e assuntos paralelos e, principalmente, aqueles que não sabem interpretar corretamente os textos que leem — quando leem; o fato concreto é que todos tem enorme despeito e muita dor de cotovelo devido ao enorme sucesso do CAFIB e seus 41 anos de trabalho que indiscutivelmente salvaram o Fila Brasileiro da extinção.

Mas infelizmente existe um trio de pessoas desqualificados no Facebook, além de um ex-CAFIB que cria até “fila-preto”… Todos praguejando sem rumo e perdidos entre si… Atirando sem razão e de forma míope para todas as direções… Estes formam o quarteto dos falsos-guerreiros-de-Facebook  que nada constroem, que nenhum legado deixarão para os futuros criadores e admiradores do nosso querido Cão Fila Brasileiro. Pena, pois eles somente têm perdido tempo já que se tivessem se associado ao CAFIB, teriam melhorado como criadores, teriam aprimorado seu plantel e teriam participado felizes da vida da Expo de Itanhandu e de todo o Calendário do CAFIB… Ou será que não participam das Expos do CAFIB pois tem medo de que seus maravilhosos e excepcionais cães sejam Reprovados na AFT ou fujam na Prova de Temperamento ? Ou tentaram ser sócios e tiveram suas propostas recusadas ou mesmo foram expulsos ? Gozado: eles sempre reclamam no Facebook do CAFIB, mas todos têm em seus canis o sangue do Fila Puro do CAFIB…!!! Muito engraçado esta tremenda incongruência O fato é que esta turma é totalmente incapaz e não são competentes nem para formar uma associação objetivando difundir uma Filosofia de Criação própria – pois não a têm… Daqui há mil anos continuarão sem um objetivo pré-determinado para suas criações de FB, sem seus próprios Padrão, Livro de Registro, Regras, Regulamentos, AFT ou APR e Expos e continuarão a registar que nem “filas-mansinhos” e “filas-dóceis” seus cães no cartório da CBKCFCI…  Ou seja: absolutamente nada construirão ou deixarão de legado para a Raça Fila !!! Exceto emporcalhar o Facebook. Ah, mas para reclamar sem razão do CAFIB e de nossos associados são os famosos Medalha de Lixo

Sim, infelizmente voce esta certíssimo: não existe vida inteligente fora do CAFIB !!!

Abraços, Chico Peltier. 

Post 636 – Ask Uncle Chico # 189 – About Quinzinho and the innumerable and irreparable incongruities existing in the OFB thesis !!! – Fila Pointer: the newly manufactured and new “model” of “light-fila” and with “triangular head” !!! – The origin of the OFBB (= Object Fanciful Bizarre Baraguaio) is Thailand !!! – Is there any intelligent life outside CAFIB? – Date; April, 29th.-2019

Ask Uncle Chico # 189

About Quinzinho and  the innumerable and irreparable incongruities existing in the OFB thesis !!!

Fila Pointer: the newly manufactured and new “model” of “light-fila” and with “triangular head” !!!

The origin of the OFBB (= Object Fanciful Bizarre Baraguaio) is Thailand !!!

Is there any intelligent life outside CAFIB?

 

Dear friends of Fila Brasileiro (FB) and CAFIB, continuing with our conversations…

Question  # 474: Uncle Chico, what a marvels article written by Quinzinho (Joaquim Liberato Barroso, Canil Boa Sorte) analyzing with extreme depth and objectivity the innumerable historical and technical incongruities that exist in the OFB thesis. It was very good that he returned to CAFIB. He came back with a Gold Medal…

Congratulations !

Uncle Chico’s Response:

Undoubtedly, this is the best text ever published on this latest miscegenation fiction called OFB that unfortunately they are trying to introduce into FB. Excellent article, methodical and surgical made by Quinzinho. It destroys point by point the frail and shallow OFB thesis. I would love to have it written myself. I believe other serious and cultured FB breeders as well.

Very different from the posts made on Facebook by silly and superficial people and / or functional illiterates who do not know how to write, as well as by those who try to induce new FB breeders to make mistakes about OFB. For those who have not read it, just access it in Portuguese clicking in https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/2019/04/17/post-635-tio-chico-informa-no-241-mais-um-excepcional-profundo-e-cristalino-artigo-assinado-por-quinzinho-liberato-demonstrando-a-subversao-e-a-falacia-existente-na-teoria-do-ofb-data-17-04-1/ .

Note: this article is being translated into English right now. Soon will be posted. In some days will be posted in my blog in https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/

Please note that this is his third Quinzinho`s article on this topic, all posted on my blog. Once again my congratulations to Quinzinho !!! Even more now that he is back in the bosom of CAFIB. Did you know that he participated in all 14 Expos held in the 80’s and 90’s by CAFIB-Rio ?

Question  # 475:  Uncle Chico, outside the professional dog trainers circle, who obviously try to conquer a new market to sell their services to the owners of such OFB and, perhaps, to pinch the new and naive breeders of the True FB, I do not know about any serious breeder with tradition and history in the Fila Breed that is following the mentor of the OFB. Not even his Minas Gerais friends for so many decades. I do not known any breeder of FB embarked on this new adventure. Total disbelief. After all, this new thesis has no future because his mentor never answered the 10 questions about OFB formulated by you (Uncle Chico) in November last year. Nor do the various points formulated by Marcelo Zuliani, Quinzinho Liberato, Jonas Iacovantuono and Fabiano Nunes also about OFB, thus proving that this new thesis of a new model of dog is going nowhere. In addition, this shallow and fragile theory has no origin, since Uncle Chico has already proven that OFB cannot be derived from Iberian Dogs as, without evidence, was lightly alleged by the mentor of the OFB. And even this new experience has a future because it does not have a minimum period of maturation time. Incredible to consider and sell and put such new type dog on the market as being pure breed dog with no phenotype, temperament, nervous system already set and fixed. That is: no one can predict what will be born in the future litters, since according to the author, every type of dog that he thinks resembles FB (and for Uncle Chico resembles Pointer) can be used in this open experience. It’s the guesswork “mating” with the could be or maybe work ! After all, the CBKC and the FCI heterogeneous “fila” that’s enough, as well as their totally lacking of leaders in Brazil and Belgium who since the 70’s have accepted any type of enormous and big head dog as being a Pure FB. After all, a dog notary/registries club live by selling pedigrees and charging fees… Any dog newly imagined in a new experience has to have a lot of time of breeding with rigidly controlled and selected in practice and not in anyone’s head and guess. But this gives a lot of work, takes time and consumes resources… Which is not important to the fast traders and dog trainers… Therefore, they should not go out selling and / or placing these dogs on the market as if they were a Pure and fixed Breed. After all, who has experienced similar to this in the past and caused enormous damage to the FB was exactly the cross-breeders João Batista Gomes with his theory of the Mastiff-fila and Procópio do Valle with his theory of the “black-fila“… Fila Brasileiro does not deserve a new miscegenation and demoralization in Brazil and abroad !!!

I write to you because I am shocked with the ad they sent me and it follows below for you:

1- Adestrador

Uncle Chico’s Response:

I fully agree.

A pity that after 50 years of the beginning of FB miscegenation, another attempt at fad and cross-breeding is under way.

Paste a preservationist stamp on the forehead is easy. Rescue from extinction and preserve the FB as it has been doing by CAFIB for 41 years is very difficult …

Please, see below:

Photo # 1: The mutt called Bigu, that is, a mutt / mongrel dog FROM and ON Guapiara Farm, located in Itanhandu in the south of Minas Gerais, birthplace of the FB. Bigu is a very shy and distrustful mutt, but he was very sympathetic to Uncle Chico… In fact, the ones who do not like Uncle Chico are the old and new adherents and defenders of the miscegenation, that is, the breeders of “freak-filas”, “black-filas”” and more recently “light-fila” and “filas with triangular head”. That is, the new Pointer Type Fila. Well, do not like Uncle Chico either are the people and leaders of CBKC and FCI. But all defenders of Pure Fila like Uncle Chico, and a lot !!! And that’s what interests me. Thank God !!!

Photo # 2: Pointer Fila Type, that is, the new, newly manufactured “light-fila” model with a “triangular head”. That is, very far from the phenotype characteristic of the Molossus Family.

2 - Viralata

Concluding this answer: BE CAREFUL therefore, according to the Brazilian very famous philosopher Hélio Pellegrino “The intelligence turned for evil (of FB) is worse than stupidity “. And in this case, I think that evil and stupidity have “mated.”

Question  # 476:  Uncle Chico, let’s put a little humor in this craziness and madness of the OFBB (Object Fanciful Bizarre Baraguaio). Its proved that the OFBB does not have its origin in the Iberian Peninsula, nor much less in its dogs of light phenotype and with their triangular heads. The OFBB has its origin in Thailand !!! I explain: workers at a Chevron oil platform in the Gulf of Thailand have rescued a OFBB dog found on the high seas, about 200 km off the coast. The animal was saved a week ago. The OFBB dog is fine. See photos:

3 - Tailandia

Uncle Chico’s Response:

It’s true: just with humor, a lot of humor …

But my desire is to cry a lot because of this new attack on the integrity and breed purity of our beloved, original, traditional and authentic Brazilian Fila Dog as usual !!!

Maybe the dog from the theory of the Fila Terceirense, invented by the cross-breeder João Batista Gomes, and the dog of the Dogue de Forte Race, invented by the cross-breeder Procópio do Valle and the youngest cross-breed OFBB before coming to Brazil, they jumped right into Thailand, picked up a very strong wind and arrived in Brazil using a boat … lol, lol…

Question  # 477: Dear Uncle Chico, I hope that the fools in FB – which unfortunately are so many – forgive me, but as regards the intelligent life among those who orbit the FB, I just do not believe it exists outside the CAFIB. The rest is rest !!!

Uncle Chico’s Response:

I fully agree.

Unfortunately, in addition to the many functional illiterates existing in the FB  breeding and outside the CAFIB, that is, those who cannot even write an entire sentence on Facebook explaining clearly their thinking and opinion, those who never have valid arguments and therefore appeal for ragged apologies and parallel matters, and especially for those who cannot correctly interpret the texts they read – when they read; the concrete fact is that everyone has enormous spite and envy due to the enormous success of CAFIB and its 41 years of work that undoubtedly saved the Fila Brasileiro from extinction.

But unfortunately there is a trio of people disqualified on Facebook, in addition to an ex-CAFIB who breeds “black-fila”… All cursing aimlessly… Shooting without reason and myopic in all directions … These are the quartet of Facebook-fake-warriors who build nothing, which no legacy will leave to the future breeders and admirers of our beloved Fila Brasileiro.

Too bad, because they only lost time since if they had joined CAFIB, they would have improved themselves as breeders, they would have improved their squad and they would have participated very happily in the Expo of Itanhandu and of all the CAFIB Expo Calendar. Or they will not participate in the CAFIB Expos because they are afraid that his wonderful and exceptional dogs will be Disapproved in the CAFIB APT (Analyses of Phenotype and Temperament) or run from the Temperament Test ? Or they already tried to be a CAFIB member and had their proposals rejected or even been expelled? Very funny: they always complain on Facebook from CAFIB, but all have in their kennels the blood of the Pure CAFIB Fila… !!!

Very funny this tremendous incongruity The fact is that this group is totally incapable and are not competent to form an association aiming to diffuse its Breeding Philosophy itself – because they do not have any. From here a thousand years this four poor people will continue without an objective and goal for their FB breeding, without their own Standard, Registration Book, Rules, Regulations, Litter Advise & Verification, AFT (Analyses of Phenotype and Temperament) or APR (Apt for Reproduction) and Expos and will continue to register their litters like some “fragile-fila” and “docile-fila” in the CBKC-FCI notary company… That is: absolutely nothing they will build or leave as legacy for the Fila Breed !!! Except for messing with Facebook. But to complain without reason against CAFIB and its associates this four people certainly win the famous Garbage Medal

Yes, unfortunately you are very certain: there is no intelligent life outside CAFIB !!!

Best regards, Chico Peltier. 

Post 635 – Tio Chico Informa nº 241 – Mais um excepcional, profundo e cristalino artigo assinado por Quinzinho Liberato demonstrando a subversão e a falácia existente na teoria do OFB – Data: 17/04/19

Tio Chico Informa nº 241 

Mais um excepcional, profundo e cristalino artigo assinado por Quinzinho Liberato demonstrando a subversão e a falácia existente na teoria do OFB.

 

Amigos e amigas do CAFIB e do Fila Brasileiro (FB),

 

Segue abaixo mais um excepcional, profundo e cristalino artigo assinado por Quinzinho Liberato, ex-presidente da Anfibra e que recentemente retornou ao seio

do CAFIB, demonstrando a subversão e a falácia existente na recém inventada teoria do novo tipo de cachorro denominado OFB, que foi postado hoje no Facebook

do Canil Boa Sorte, cujo link é https://www.facebook.com/search/top/?q=Canil%20Boa%20Sorte&epa=SEARCH_BOX .

Quinzinho não tem, como a grande maioria dos criadores,  medo de se comprometer expondo seu pensamento publicamente. Para ele, o FB está acima de amizades. Quinzinho fez questão de mencionar a relação de amizade existente entre ele e o mentor do OFB mas, também, que ele não mistura nem “miscigena” amizade com o trato da Verdade referente ao  Fila Brasileiro e do CAFIB.

Ou seja: amigos, amigos; novas teorias a parte…

Espero que os preguiçosos de plantão e os analfabetos funcionais sejam capazes de ler este excelente artigo e saibam interpreta-lo corretamente.

::::::::::::::::::::::

ScreenHunter 733

Canil Boa Sorte

1 h · 

Projeto OFB – Revolução ou Subversão?

O assunto do momento, no âmbito do Fila Brasileiro, são as querelas acerca do projeto intitulado Original Fila Brasileiro – OFB. Se tornaram comuns os embates acalorados entre os defensores e críticos do referido programa, aliás como tudo tem-se regido atualmente, mormente na Cinofilia, histórica arena de exaltadas discussões.

Em primeiro lugar, gostaria de deixar bem claro que o principal idealizador do OFB, o criador Antonio Carlos Linhares Borges (Canil Caramonã) é antigo amigo pessoal e do Canil Boa Sorte há décadas, cuja criação, inclusive, já foi beneficiada, tempos atrás, com a vinda de exemplar de sangue Caramonã. Exatamente por isso, sinto-me bem à vontade para colocar as ponderações que seguem, sem o risco de serem interpretadas como contencioso pessoal, ou litígio ideológico puro e simplesmente.

O texto abaixo visa refletir meu entendimento do assunto, pelo pouco que já nos foi apresentado, valendo-me da experiência de criador antigo, ex-treinador, árbitro e ex-dirigente de entidade cinófila, na expectativa de auxiliar o público entusiasta do verdadeiro Cão Fila Brasileiro a formar suas convicções quanto ao tema. Com o longo histórico de vilipêndios que a Raça já sofreu creio ser obrigação dos mais experientes ficarem alertas e se disponibilizarem a orientar quanto à diferença de uma bem vinda iniciativa, em contraposição a outra que, mesmo sob a égide da melhor das intenções, venha a prejudicá-la mais uma vez. O Fila Brasileiro é forte e rústico, mas a História já provou que não é imune às agressões daqueles que justamente se propuseram a serem seus “salvadores”. Todo cuidado e atenção é pouco nesses casos.

O Projeto OFB nos propõe, em termos bem resumidos, uma espécie de “redesenho” do Cão Fila Brasileiro, tal e qual o conhecemos hoje em detalhes, sob a alegação de que, ao longo dos anos, e em razão de falha na orientação/julgamentos de clubes e entidades responsáveis pela Raça (com a consequente má seleção dos exemplares), a tipagem fenotípica do FB teria evoluído para ponto não compatível com os exemplares originariamente encontrados nas fazendas do interior do Brasil, animais estes que, como se sabe, serviram de base para os estudos e observações pioneiras de Dr. Paulo Santos Cruz e consequente elaboração do primeiro Padrão Racial no final dos anos 40 do século XX.

De quebra, o Projeto OFB nos apresenta um postulado próprio de origem racial (cães ibéricos) e também se vale de algumas técnicas de manejo e seleção pautadas em metodologias próprias do universo de cães de esporte e trabalho com o auxílio de treinadores profissionais, tudo isso promovido em uma eficiente estratégia de divulgação/marketing. Não é pouca coisa….Poderia-se até em falar em uma revolução de idéias, caso algumas vacuidades do projeto não pusessem foco na tênue, e muitas vezes mascarada, diferença de entendimento entre os verbos revolucionar e subverter .Ambas as expressões podem ser compreendidas por tentativas de mudanças abruptas ou radicais sobre bases anteriormente estabelecidas, contudo a primeira normalmente carrega um simbolismo ou percepção mais pragmática, positiva e inovadora, normalmente voltada ao aperfeiçoamento. Já a segunda é quase sempre associada a uma atitude substancialmente confrontativa, abrasiva, anárquica muitas vezes, sem claros ou concretos propósitos práticos ou, na pior das hipóteses, os mais censuráveis deles.

 Pode-se esclarecer melhor os pontos da seguinte forma, analisando-os por tópicos:

I – ORIGEM RACIAL

Quanto à (nova) proposta de origem racial, faz-se necessário lembrar a virtual impossibilidade de se atribuir um primórdio técnico, histórico, ou minimamente confiável, àquelas Raças caninas não urdidas pelas mãos humanas, mas sim naturalmente caldeadas como foi o caso do Fila Brasileiro, cuja regulamentação descritiva (elaboração do Padrão Racial) deu-se de forma posterior, com a Raça já estabelecida As condições geográficas, culturais e econômicas do interior do Brasil mais antigo (séc XVIII e XIX) não permitiam a existência de uma “cultura cinológica” que nos deixasse rastros ou registros confiáveis. Nas antigas fazendas, cão era simplesmente cão, ou no máximo uma ferramenta de trabalho que, se não prestasse, era substituída por outra, sem maiores preocupações formais. Em razão desse contexto, e da falta de elementos decorrente dele, a origem racial do Fila Brasileiro, em termos definitivos, segue ainda como indeterminada por exclusiva falta de substância que lhe dê a verossimilhança de tese sustentável.

Entende-se até um certo açodamento em atribuir uma origem formal á Raças caninas naturalmente formadas. Alguns consideram relevante “enxergar” em seus cães as características das Raças formadoras, outros vêem uma certa falta de “nobreza” em Raças que não possuam clara indicação de origem geradora e ainda há aqueles que desejam, simples e tão somente, especular sobre o assunto, talvez na tentativa de ganhar adeptos às suas idéias, justificarem seus plantéis ora inadequados ou, quem sabe, elevarem–se à condição de “Patronos” ou “Pais da História”. Não é a primeira vez que se observa isso e, certamente, não será a última.

A questão sobre a admissibilidade de um axioma de origem racial não se restringe ao fato de possuir bases científicas ou empíricas, mas em fazê-lo, ou não, se apresentar sustentado por um protocolo mínimo de experimentação e resultados. Registros históricos, geográficos ou cartoriais acerca da existência e quantidade suficiente de exemplares das raças formadoras, informações sobre a circunscrição, o encadeamento, a proporção e a cronologia dos fatos e dos experimentos, bem como dados acerca de seus resultados. Tudo isso
apresentado dentro de uma narrativa coerente e contextualizada que lhe forneça uma aura crível e que carregue uma possibilidade, por menor que seja, de ser factual. Fora disso, qualquer hipótese passa a habitar o terreno das conjecturas, área na qual todos estão livres para criar as suas, contudo sem dever tomar a liberdade, ou a pretensão, de torná-las universais ou absolutas.

Como se vê, a argumentação apresentada pelo OFB para a origem do Cão Fila Brasileiro não logra alcançar um ponto além de um raciocínio pessoal, podendo considerar-se sua veiculação, na forma em que está, não uma revolução, mas uma subversão às idéias e princípios mais rudimentares da experimentação empírica ou científica, além ao (bom) senso comum que rege qualquer atividade.

 II – DESIGNAÇÃO DO PROJETO.

Um seguinte ponto insólito é a própria intitulação do projeto. Sabe-se muito bem que a designação “Cão Fila Brasileiro” só se fez após a homologação do primeiro Padrão Racial (1951), fruto do trabalho de estudos e prospecções precursoras de Dr. Paulo Santos Cruz, além dos esforços de várias outras pessoas envolvidas. Mesmo por um breve período anterior à esse (final dos anos 30, anos 40) foi provisoriamente denominado como “Fila Nacional”, já em razão de suas primeiras aparições em exposições e os primeiros RI’s (1945), ainda como Raça não homologada..


Também sabe-se muito bem que o termo “Cão Fila” nunca foi usado no ambiente de origem da Raça. Nas antigas fazendas, nos recantos e sertões onde o cão já existia, suas denominações mais comuns eram de Cabeçudo, Boiadeiro (ou Cabeçudo-Boiadeiro), Onceiro, Amarelo Boca Preta e outros, nunca Fila. Pressupõe-se que a alcunha de “Cão de Fila” veio de São Paulo, local para onde eram levados cães adquiridos em MG por fazendeiros paulistas, estes sim os primeiros a darem uma maior projeção cinológica àqueles cães que vinham do interior do Brasil.

A própria denominação do projeto induz, em uma primeira percepção, à sugestão de pureza e originalidade aos animais a ele pertencentes, levando-se a crer que somente seus exemplares sejam verdadeiros, puros e originais Filas Brasileiros, impelindo assim, por analogia direta, todos os demais exemplares existentes a uma espécie de “limbo racial”. Trata-se, sem dúvida, de equívoco e iniquidade de enormes proporções à História, aos fatos e a tantos que, ao longo de décadas, dispensaram esforços, dedicação e investimentos pessoais ao genuíno Cão Fila Brasileiro.

Mais uma vez, por força do atropelo infundado a fatos, elementos e circunstâncias lícitos e já sobejamente comprovados, não há como deixar de se conceber este ponto do Projeto OFB como uma “Subversão” a bases e noções amplamente consagradas , nunca uma “Revolução”.

 III – PARTE TÉCNICA

Em sua proposta técnica, pelo pouco que já se sabe, o OFB transita entre obviedades e novas concepções, contudo claramente travestidas em nova roupagem, conferindo-as feições científicas, exclusivas ou pioneiras.

Situações banais, como as brigas entre filhotes de mesma ninhada, ou corriqueiras, como cadelas paridas reposicionando suas ninhadas em locais mais abrigados, são levadas a público como se raridade fossem. Não são em hipótese alguma!! Raríssimas são as ninhadas onde não existem disputas acirradas entre os irmãos e os cuidados extremados de cadelas com sua prole são tão notórios a ponto de existir área e terminologia específica para isso (Habilidade Materna) em estudos de Zootecnia e Medicina Veterinária.

A atenção do OFB no tocante ao comportamento, caráter e temperamento dos cães (sist,.nervoso, estabilidade, coragem e determinação), em que pese ser sempre bem vinda, não se trata de novidade, já se fazendo presente desde o primeiro Padrão Racial e na pauta da (boa e correta) criação e seleção de Fila Brasileiro desde seus primórdios, bem como é parte fundamental do trabalho do CAFIB, maior, mais atuante e mais antigo clube de preservação do Fila Brasileiro que existe, por intermédio das Análises de Fenótipo e Temperamento – AFT e dos julgamentos de exposições.

Quanto à proposta fenotípica ao plantel, o OFB, pelo que já se manifestou nesse aspecto em imagens , sinaliza basicamente uma regressão, bem acentuada, à tipagem dos ditos “Cães de Fazenda”, de qualidade média baixa, sem o aprimoramento e, principalmente, a seleção que se deu em seguida de seu estabelecimento formal como Raça Pura, melhorados e aperfeiçoados posteriormente pelo próprio Dr Paulo, juntamente com o CAFIB, até mesmo em razão da mestiçagem que se verificou nos anos 70 e 80. Até este ponto, essa abordagem do OFB permite-se aparentar simplesmente como uma inocente imprecisão, um singelo desacerto de rumo, talvez motivado por uma radicalização conceitual quanto ao assunto. O problema, nesse caso, é que essa “possível incorreção” conflita diretamente com narrativa e dados históricos já legitimados e de amplo conhecimento público, não se enxergando muito espaço para os experientes idealizadores do Projeto alegarem desconhecimento deles.

Faz-se imperativo lembrar que, nas matilhas das antigas propriedades rurais, dentre esses cães “de fazenda”, efetivamente poderiam existir Filas autênticos, contudo estes coexistiam com exemplares de outras raças e certamente mestiços de Filas genuínos. Pode-se ter como certo que a principal e, talvez, mais árdua tarefa que Dr Paulo teve, no início de seus trabalhos, logo ao se deparar com esses plantéis, foi a devida identificação dos animais que fossem legítimos Filas daqueles que, mesmo assemelhados, não passavam de frutos de cruzamentos com outras Raças.

Outros pontos da proposta técnica do OFB ainda se vêem pendentes de melhores e maiores esclarecimentos. Alguns deles, pelo pouco que já se apresentaram, envolvem algumas sugestões de modificações estruturais no exemplares. Por exemplo, temos a sinalização para uma figura de cão um pouco mais curto, de tórax menos profundo e algo mais alto, inclusive com a sugestão de angulação escápulo-umeral mais aberta (>90°). Se assim de fato o for, estará criada uma certa desconformidade entre esta idéia e os estudos de dinâmica e morfologia de cães, mormente dirigidos à utilidade natural do Fila Brasileiro, feitos por Dr. Paulo e o CAFIB e publicados no final dos anos 70 e início dos 80. Não se permitem enxergar benefícios em erguer a figura do cão, com a consequente elevação e deslocamento de seu centro de gravidade, tendo este cão a necessidade funcional de possuir agilidade e rapidez em mudanças bruscas de direção de movimentos, além de eficiência no agarrar e imobilização de bovinos. Também não se vislumbra a vantagem na alteração de proporções ou angulações ósseas, naturalmente concebidas à utilidade primordial da Raça.

Os prejuízos mais evidentes que se observam com o aumento do ângulo de ombro (escápulo-umeral), além do virtual maior impacto em sentido vertical à estrutura do animal, seriam uma aparente perda de antepeito e, principalmente, nos reposicionamentos em sentidos mais verticais da escápula e do úmero, os quais podem influir na linha superior do cão (cernelhas mais altas) ou na falta de melhor apoio ao tórax (ponta de cotovelo mais baixa) Quanto aos impactos verticais, sabe-se que toda a constituição do Fila Brasileiro, no tocante a seus membros de apoio, se mostra voltada à minimização dos choques com o solo na andadura. Desde a configuração de pés e almofadas plantares, posição de metacarpos e metatarsos e ossos perfeitamente angulados e unidos por articulações “frouxas”, tudo remete à redução e melhor absorção das batidas no chão durante a movimentação, ainda mais por se tratarem de animais que facilmente superam os 50 Kg e que, por dever de função primordial, devem ter a capacidade de se deslocar por grandes distâncias. Estas diferenças, que para alguns podem parecer pequenas, podem até não se fazer prejudiciais em curto trote em pista de exposição, mas poderão ser determinantes em uma jornada de 20 km ou mais, situação nada inusual para exemplares de propriedades rurais, o ambiente de origem da Raça, que ainda trabalham percorrendo longas distância e lidando com o gado.

No tocante ao aproveitamento de profissionais de adestramento no projeto, não obstante existirem excelentes especialistas na área, torna-se ponto controverso na razão em que a imensa maioria desses técnicos têm suas respectivas formações, métodos e conceituações firmados com base em outras Raças caninas, mais afeitas ao aproveitamento como cães de esporte ou trabalho específico. O Fila Brasileiro está fora desse universo e isso sempre se apresentou como causa de muita divergência, fruto de desinformação. O Fila Brasileiro pleno nasce pronto, e assim o é por intermédio do (bom) trabalho genético e da correta orientação à seleção. É até muito compreensível que adestradores e treinadores profissionais estranhem essa premissa, pois seu juízo de cão pleno passa por diversas etapas de testes e treinamentos até a avaliação final, pois assim o protocolo técnico daquelas raças o requer. Não no caso do Fila Brasileiro, onde a eventual inserção do item “adestrabilidade” não é desejada, nem necessária de forma alguma à perfeita seleção e criação da Raça.

Fechando-se a parte técnica, e vendo-se com enorme preocupação, o OFB apresenta, mesmo que timidamente, uma indicação que poderá considerar a utilização de cães de pelagem desproporcionalmente tigrada (formando manchas), ou até mesmo os pretos, chamados no projeto de “melânicos”.

Sobre isso, entende-se obrigatório recordar que, neste ano de 2019, completam-se exatas 4 décadas de publicação do artigo intitulado “Não Existe Fila Preto”, de autoria de Dr. Paulo Santos Cruz, constante do Boletim do CAFIB de n° 7. Nessa matéria, põe-se fim a quaisquer dúvidas sobre o tema, inclusive aquelas que o próprio Dr. Paulo havia anteriormente suscitado em seu início de contatos, trabalhos e pesquisas com a Raça, as quais sempre foram malícia e deturpadamente utilizadas pelos defensores de cães pretos e mestiços, sem contudo conseguirem êxito na confirmação do inegável……Não Existe Fila Preto.. Nesses 40 anos, absolutamente tudo que que apurou, em termos de estudos, análises técnicas, pesquisas e em experimentos acumulados confirma, de forma cabal, essa assertiva.

Abrirem-se flancos e possibilidades à essa premissa (cães manchados e pretos) constitui-se em uma injustificável e insensata atitude, somente comparável à do antigo BKC com seu famigerado “Livro de Espera”, onde registros de cães mestiços eram compilados no aguardo de futura homologação. Aventar-se, mesmo hipoteticamente, esse caminho é desconsiderar, ou subverter, todo o trabalho realizado por Dr Paulo e o CAFIB, que não foi pouco nem fácil, mas que resultou no resgate da Raça conforme hoje se reconhece e admira-se em todo o planeta.

 IV – CONCLUSÃO

Em uma primeira e rasa visão, o Projeto OFB pode até se assemelhar a uma auspiciosa iniciativa de uma “necessária revisão” à Raça Fila Brasileiro, segundo seu entendimento. Noentanto, a realidade se mostra diferente à medida em que se avalia, com maior profundidade, as propostas que são apresentadas em “fatias” que, mais do que um cuidado didático ou assertivo, delineiam-se em uma boa e bem montada estratégia de publicidade.

O emprego midiático de exemplos comparativos dúbios, imprecisos ou descontextualizados sobre cães, na tipagem proposta pelo OFB, premiados em antigas exposições (em especial as do CAFIB) remete a severo erro conceitual. Se realmente o foram, com certeza tratou-se de lamentável, mas possível, incorreção que, como se vê na verdade dos fatos, permaneceram na esfera da exceção, do “ponto fora da curva”, jamais das regras abalizadas de orientação, seleção ou julgamentos.  Se na verdade ocorreram, se constituíram em criticável exceção, jamais se fizeram como regra.

Estranha-se também que um projeto alegadamente de fundamento técnico e científico, quando confrontado ao discordante, mostre tantas dificuldades na refutação dos argumentos, servindo-se do expediente da apresentação de alegações diversas às lhe colocadas, criando assim dificuldades ou desorientação à qualquer tratativa que se proponha à formação de um raciocínio lógico. Tornou-se usual nas manifestações do OFB a sugestão de que a esmagadora maioria de técnicos, criadores e aficionados da Raça foram acometidos, há anos, por uma espécie de miopia visual e cognitiva em relação à seus cães (e à Raça propriamente dita), não observando as claras e nítidas alterações fenotípicas que, segundo o OFB, somente são percebidas pelos adeptos ao Projeto. Não creio que isso se trata de pressuposto de ordem técnica ou científica, resvalando mais a um messianismo calcado somente em concepções pessoais.

As vicissitudes apontadas no texto acima, algumas de perigosa e negativa relevância, indicam pontos falhos, incoerentes e conflitantes com a realidade e fatos já há muito estabelecidos. Os atropelos do projeto, as “pontas soltas”, a indução ao falso conceito de “virgindade racial” e ao ‘tudo é possível, a princípio” conferem ao OFB uma silhueta amorfa e desfocada. Sob um olhar mais crítico e analítico do que já foi apresentado, pode-se afirmar que o OFB ainda se mostra como uma bom e bem montado enredo, contudo falacioso. Uma paisagem até bem elaborada, mas ilusória de essência. A dúvida que se segue é, como sempre, a motivação, o porquê de tal iniciativa.

Na tentativa de responder ao questionamento acima faz-se necessário pontuar, aos menos “conectados”, que de tempos para cá houve o surgimento, através das mídias sociais (novo “Campo do Saber da Cinofilia”), de um grupo de pessoas que se manifestam vigorosamente contra os supostos excessos ou exageros de cães premiados em exposições, ou da criação em geral, mesmo em se tratando de entidades preservacionistas tradicionais tidas como sérias e rigorosas, como o CAFIB. Os pontos que unem este grupo são que nunca esclarecem devidamente o que consideram “exageros” ou “excessos” , se posicionam em primeira instância contra “tudo isso que está aí” sem contudo oferecer colaboração proativa às entidades já estabelecidas e se mostram tão atuantes nas mídias digitais quanto inexperientes no mundo do Fila Brasileiro. Não se observa sequer um único criador, árbitro ou dirigente experiente compartilhando tais princípios. Criou-se uma espécie de “nicho de mercado”, robustecido pela presença de entusiastas leigos, criadores de limitada experiência prática e profissionais de treinamento canino, no qual o OFB surge como a panacéia que recolocará o Fila Brasileiro em seus devidos trilhos originais.

Revolução ou subversão? Quimeras ou verdades? O trabalho de Dr. Paulo e do CAFIB ou a revisão do que já foi feito? Oportunismo de mercado ou personalismo? Nada disso interessa ao CAFIB, seus associados e a todos que espelham suas criações em sua filosofia solidificada há mais de 40 anos, por seus próprios méritos . Fio-me na crença que preservar a Raça Fila Brasileiro deva ser, entre outras coisas, possuir e praticar, como valor inegociável, um profundo respeito à sua História legitimada e aos fatos que, verdadeiramente, a formaram. Subvertê-los, seguramente, é jogar contra.

Joaquim Liberato Barroso / Titular do Canil Boa Sorte

Abraços, Chico Peltier.

Post 634 – Tio Chico Informa nº 240 – Expo Itanhandu – REVISTA CARAS + Cães & FOCINHOS – Data: 8/04/19

Tio Chico Informa nº 240

Expo CAFIB Itanhandu 

2 - Titulo Revista

 

Amigos e amigas do CAFIB e do Fila Brasileiro (FB),

Foi realizada no último dia 7 (ontem) a 109ª Exposição do CAFIB e a 12ª Exposição CAFIB de Itanhandu a qual contou com 105 exemplares em pista, isto sem contar os 25 FBs que o Canil Itanhandu não apresentou na Classe Adultos, já que seus proprietários, Cintia e Gerson Junqueira, estão pensando seriamente em se ausentar das pistas por tempo indeterminado, a fim de proporcionar mais espaço e visibilidade para os novos criadores.

Na AFT apenas dois cães foram Reprovados: um por temperamento atípico e outro devido a sua coloração preta (“fila-preto”). O proprietário deste último, após toda a atenção e explicações recebidas de parte da Diretoria do CAFIB e do juiz Fabiano Nunes, informou que desconfiava da mestiçagem do seu “fila-preto”, que achava seu cão era mesmo mestiço e que inscreveu-o justamente para tirar suas dúvidas. Agradeceu a atenção respeitosa recebida e retirou-se da pista.

A Revista Caras + Cães & Focinhos adianta alguns fotos e flagrantes desta Expo:

Foto nº 1: Tio Chico posa com a mais nova tese do mais novo modelo de cão, o OFBBObjeto Fantasioso Bizarro Baraguaio na coloração predominante branca. Mas dizem que esta novidade canina é encontrada em todas as cores, inclusive preto. Com ou sem acompanhamento de profissional adestrador. Mas sempre de cabeça triangular e leve e com seu fenótipo anti-molossóide. Tipo Fila Pointer.

Foto nº 2: O vira-lata chamado Bigu, isto é, vira-lata DE e NA fazenda onde esta Expo foi realizada… Muito arisco e desconfiado, mas gostou do Tio Chico… Aliás, só não gosta do Tio Chico os antigos e novos adeptos e defensores da mestiçagem, dos filas-pesadões e aberração, dos filas-leves e a turma do CBKC e da FCI. Mas os defensores do Fila-Puro, gostam, e muito !!! E isto é o que me interessa. Graças a Deus !!!

Foto nº 3: A fêmea da Classe Filhote Nina – no pedigree Kenya Guardiães do Caracu – de Júlia, neta de Wilson Vilela, veio carinhosamente agradecer ao CAFIB e ao Tio Chico por terem resgatado o FB da extinção, pois sempre protegemos o Verdadeiro, Original, Tradicional e Autêntico Fila  Brasileiro de sempre desde a primeira mestiçagem ocorrida nas décadas de 70 e 80, da mestiçagem do “fila preto”, da mestiçagem do “fila aberração” e da mais nova mestiçagem atual: Tipo Fila Pointer. Se não fosse o CAFIB Nina não existiria !!!3 - OFB

 

 

 

 

 

Foto nº 4: Mariana Campbell, Quinzinho Liberato, Chris Coelho e Tio Chico

Foto nº 5: A super simpática baianinha de Vitoria da Conquista, Cris Coelho, expondo…

Foto nº 6: O Nordeste sabe das coisas, então sabe onde encontrar Fila Puro… – Gorthon Moritz, Wolner Filho, Tio Chico, Leo Lima, o paulista boa praça “infiltrado’ Wolney Santos e Vitor Souza.

4 - Quin

 

 

 

 

Foto nº 7: Os gaúchos também sabem onde encontrar Fila Puro – Fabiano Gonçalves, Ricardo Foli e Gorthon Moritz também “infiltrado”…

Foto nº 8: Tio Chico e o tradicional criador de MG, Cristóvão Giancotti,  com sua esposa Cláudia.

Foto nº 9: Tio Chico e Half Massari. Que seja muito bem vindo…

5 - RGSScreenHunter 714

Foto nº 10: Tio Chico + o super casal simpático Ligia e Dom Jose Mario Rojas OCampo da Costa Rica, onde possui Canil com mais de 20 FBs.

Foto nº 11: Júlia Villela, Tio Chico e Rafael Monteiro… Nova geração nas pistas…

Foto nº 12: Família Flávio Pires de Jacareí, SP

Foto nº 13: Desde que foi criado o Troféu Melhor Tigrado em 2015 como uma das comemorações pela realização da 100ª Expo do CAFIB ocorrida em Guaratinguetá, SP, a criação

de FBs desta super característica cor de Fila Puro, que durante anos foi preterida com receio que muitos criadores tinham da miscigenação ocorrida na fabricação do “fila-preto” (Dogue Alemão preto e Mastin Napolitano preto) tem cada vez se apresentado em maior numero nas pistas do CAFIB.  Em Itanhandu representou 16% do plantel exposto.

6 - Mario

Abraços, Chico Peltier.

Post 633 – Uncle Chico Newsletter # 240 – Itanhandu Expo – MAGAZINE Caras + Cães & NOSES – Date: April, 10th.-2019

Uncle Chico Newsletter # 240

Itanhandu CAFIB Expo

2 - Titulo Ingles

My dears CAFIB and Fila Brasileiro (FB) friends,

It was held last April, 7th the 109th CAFIB Expo and the 12th CAFIB Itanhandu Expo, which had 105 FBs on the track, not counting the 25 FBs that the Itanhandu Kennel did not present in the Adult Class, since its owners, Cintia and Gerson Junqueira, are seriously considering leaving the tracks indefinitely, in order to provide more space and visibility for new breeders.

At APT (Analyses of Phenotype and Temperament ) only two dogs were Reproved: one due to atypical temperament and the other because of their black color (“black-fila“). The owner of the latter one, after all the attention and explanations received from the Board of CAFIB and Judge Fabiano Nunes, reported that he distrusted the miscegenation of his black-fila“, because he thought his dog was really “mestizo-fila” and that he registered him at the Expo precisely to clear his doubts. He thanked the respectful attention he had received and withdrew from the track.

Magazine Faces + Dogs & Noses show some photos and flagrant of this Expo:

Photo # 1: Uncle Chico poses with the newest thesis of the newest model of dog, the so called OFBB = Object of Fantasy, Bizarre and BFake in predominantly white coloration. But they say that this dog novelty is found in all colors, including black. With or without accompaniment of professional dog trainer. But always with a triangular and light head and with its anti-molosser phenotype. I.e., a kind of Fila Pointer Type.

Photo # 2: The mutt and mongrel dog named Bigu, that is, a mutt FROM and ON farm where Itanhandu Expo was held… Very shy and distrustful, but he liked Uncle Chico… Well, just does not like Uncle Chico the old and new adepts and defenders of miscegenation, the very-heavy-fila, black-fila, freak-fila, light-fila and the people of the CBKC and the FCI. But the defenders of Pure Fila, they like very much Uncle Chico, and a lot !!! And that’s what interests me. Thank God !!!

Photo # 3: The female cub Nina – on the pedigree Kenya Guardiães do Caracu – from Julia, granddaughter of Wilson Villela, came to thank CAFIB and Uncle Chico for having rescued the FB from extinction, since we always protect the True, Original, Traditional and Authentic Fila Brasileiro of ever since the first miscegenation occurred in the 70s and 80s and also the “black-fila” and the “freak-fila” miscegenation and the newest miscegenation: Fila Pointer Type. If it were not for the CAFIB 41 years’ work, Nina would not exist !!!3 - OFB

 

 

 

 

 

Photo # 4: Mariana Campbell, Quinzinho Liberato (former Anfibra presidente – Welcome ) , Chris Coelho e Tio Chico;

Photo # 5: The super nice girl from Vitoria da Conquista, Bahia, Cris Coelho, at the Expo…

Foto nº 6: The Brazilian Northeast breeders knows everything about FB , so they know where to find the Pure Fila… – Gorthon Moritz, Wolner Filho, Uncle Chico, Leo Lima, the good friend from São Paulo “infiltrated” Wolney Santos and Vitor Souza.

4 - Quin

Foto nº 7: The friends of Rio Grande do Sul (gauchos) also know where to find the Pure Fila – Fabiano Gonçalves, Ricardo Foli and Gorthon Moritz also “infiltrated” …

Foto nº 8: Uncle Chico and the traditional FB breeder from Minas Gerais, Cristóvão Giancotti, with his wife Cláudia.

Foto nº 9: Uncle Chico and Half Massari (former Anfibra member). Also welcome.

5 - RGSScreenHunter 714

 Photo # 10: Uncle Chico and the super friendly couple Ligia and Dom Jose Mario Rojas OCampo from Costa Rica, where he has a Kennel with more than 20 FBs.

Photo # 11: Júlia Villela, Uncle Chico and Rafael Monteiro… New generation on the tracks …

Photo # 12: Flávio Pires from Jacareí, SP and his family.

Photo # 13: Since the creation of the Best Brindle Trophy in 2015 as one of the celebrations for the 100th CAFIB Expo held in Guaratinguetá, SP, to award FBs of this super characteristic Pure Fila color, which for years was deprecated for the fear that many breeders had of the miscegenation that occurred in the making of the cross breeding called “black-fila” (which is the result of the miscegenation of FB with Black German Dogue and with Black Neapolitan Mastin),  has increasingly presented itself in greater numbers in the CAFIB tracks. In Itanhandu brindle FBs represented 16% of the squad on track.

6 - Mario

Best regards, Chico Peltier.