Post 591 – Ask Uncle Chico # 178 – About such an original fila, the original-black-fila and two photographs of a dog apparently of black color taken in 1990, that is to say, 20 years after the miscegenation… – Date: Nov, 7th.-2018

Ask Uncle Chico # 178

About such an original fila, the original-black-fila and two photographs of a dog

apparently of black color taken in 1990, that is to say, 20 years after the miscegenation


            

Dear friends of Fila Brasileiro (FB) and CAFIB, continuing with our conversations…

General Question:

Uncle Chico, I read on facebook some posts about such an original fila and original-black-fila, as well as two photographs dating back to 1990 of an apparently black dog. So, I ask…

Note: Uncle Chico received many inquiries about these posts and matter, so I found it better to consolidate them in the questions and answers below.

But it should be noted that the most objective and forceful questions were received from Marcelo Zuliani, an enthusiastic active in the FB.

  1. What do you know and how would you define the original fila ?

Uncle Chico’s Response: Unfortunately I can not answer you, because I do not know, I’ve never seen, nor I have ever known what an original fila would be. I have never received any information or material in this respect, nor any definition of its phenotype and temperament. Nor have I ever received its breed standard.

In fact, unlike those people who like to invent new theses for the traditional and old Pure Fila Brasileiro, which for years is known worldwide, Uncle Chico always gives science and e-mail his articles directly to more than 1,200 electronic addresses to FB and “fila” breeders, judges and leaders of all clubs, including the CBKC and FCI.

So Uncle Chico acts, writes and divulges his articles and thoughts always in an absolutely transparent way. I do not do anything hidden.

  1. Which register dog club is responsible for recording, issuing and controlling the pedigrees of the original fila ?

Uncle Chico’s Response: Unfortunately I do not know how to respond. I do not know which club is responsible for the veracity and maintenance of the pedigree and the issuing of pedigrees from the original fila. But I know that without genealogical record exempt, honest, trustworthy, absolutely correct and properly maintained and guarded, there is no possibility of inventing and preserving a new dog breed.

So much so that CAFIB soon after its foundation, in addition to elaborating its own breed Standard, began to register its squad, since CAFIB did not consider – and still does not consider – as worthy of Faith the genealogical control of the then BKC and later of the CBKC-FCI regarding the FB.

On the other hand, I do not believe that the original fila is registered as Fila Brasileiro in the CBKC-FCI, which, as we know, registers any animal as FB as long as the fees charged by these two clubs are paid. But I do not believe this because, if it is occurring, the puppies of the original fila already in the second generation can cross breed (miscegenate) with the “filas” registered in these two clubs. That is, they can be crossed even with the terrible “freak-fila” and, if this happens, this new thesis will mean nothing in terms of serious breeding and aim at the perpetuation of this new dog type. If it really exists.

There are a couple of newly created dog registration clubs, I think for Brazilians, but I do not know their controls, methods, effectiveness and credibility. I also do not know if suck clubs do not even accept to register the Fila and “fila” CBKC-FCI, thus taking the risks of improper cross breeding commented above. Some time ago two clubs that reported registering dogs attempted to approach CAFIB but were summarily rejected.

Unfortunately, many CBKC-FCI breeders knowingly, earnestly and dedicated bree their Typical Filas (*) , but forget that in two or three generations their work is lost and diluted in the ocean of heterogeneous types that characterizes the stock of existing miscegenation in CBKC-FCI.

  1. Why the original fila name?

Uncle Chico’s Response: I do not know how to answer you either. But since the last century marketers have invented names similar to traditional ones in order to market their old products as new ones… The new is well accepted in our pluralistic and democratic society, while wrongly the traditional one is sometimes labeled as old and outdated. However the new comers do not know or are deceived, as Animal Breed is a concept that defines the characteristics of a species and therefore cannot keep changing. This is: it is not a new model of car or refrigerator…

On the other hand for more than four decades, since 1974, I have followed with great sadness that from time to time another pseudo “fila” breeder full of news wants to be the new inventor and stepfather of the FB

The fact is that Mother Nature, without the interference of Man, formed the Fila Brasileiro in the South of the Brazilian State of Minas Gerais, almost perfect… So, unfortunately, from time to time appear some unprepared people wanting to appear and to performed with more importance than the FB to expose themselves as being inventors of a dog that was formed decades ago and almost perfect… Then they began to introduce and cross breed with their disciples criminally and totally uncontrolled the blood of the English Mastiff, the Mastin Neapolitan and the Black Great Dane, unfortunately still present today in the breeding of the CBKC-FCI… Then came the false theory of “In-pure dogs by cross”, that the FB does not constitute a purebred dog and many other unjustifiable excuses to validate the atypical and heterogeneous dogs that breed and pretend to be Pure Filas. Even though the force…

 In my opinion, just nonsense … !!!

The irrefutable fact is that since 1978, CAFIB has rescued the Pure Fila from the miscegenation, thus becoming the only club responsible for having saved and perpetuated our national dog breed. CAFIB did not change anything, it did not invent anything.

The founders and first directors and members of CAFIB, notably Cleide and Américo Cardoso, Rose and Airton Campbell, Luiz Antonio Maciel, Marilda Mallett, Marilia and Roberto Maruyama, José Souto Maior Borges, Antônio Silva Lima, Luciano and Denise Gavião, Pedro Borotti, Sebastião Monteiro, Jonas Iacovantuono and the signatory of this article, Chico Peltier — who in 2008 was honored with the title of Father of CAFIB and became better known as Uncle Chico – among many others members, with the immeasurable help of our Master of Breeding, Dr. Paulo Santos Cruz, who consolidated in CAFIB all his knowledge, only rescued and preserved the FB that was almost perfect… But it was being totally destroyed by the first cross breeders, their disciples, their heirs (known today as the NAMs – Neo Apologist of Miscegenation) and by the trio BKC-CBKC-FCI.

For all this I prefer the CAFIB-Fila… And for me the rest is rest.

  1. In what characteristics the original fila differs from the FB breed and registered by CAFIB and the Fila and “fila” registered in the CBKC?

Uncle Chico’s Response: I have no idea.

  1. Could you send me the original fila standard ?

Uncle Chico’s Response: I never received it, so I do not know it.

  1. Do you think the pictures of the black dog below, photographed in 1990, resemble the phenotype of a Pure Fila? 

Uncle Chico’s Response: No way. For me it could even be a mongrel with a bit of FB blood crossed breed with black German Braco – pictured below. This breed was used a lot years ago in hunting in Brazil. These crosses breeds were common, but those breeders and hunters did not criminally falsified pedigrees in BKC, CBKC and FCI. They wanted just to hunt and not make money selling black dogs. It should be noted that everything indicates that the dog in the photos above also has black-Great Dane blood: note that it is longilineous, has a small head and little dewlap. Nor can you analyze it based on CAFIB Standard.

See the difference of the photos above dated from 1990, compared to those of two Pure CAFIB Filas below:

Important: when you asked me the above question, you informed me that these two photos were taken in 1990… Well, they were taken 20 years after the beginning of the criminal miscegenation that raped the Fila Brasileiro with the systemic and institutional complicity and connivance of the trio BKC-CBKC-FCI…

Elementary my Dear Watson… Lol…

But if you think that this dog in the first two photos above is from a decent and real representative of the FB pure breed, or even from the original fila, okay, go ahead and be happy…

  1. Have you noticed that anyone who wants to invent a new thesis on FB, quotes Dr. Paulo Santos Cruz? Do not you think they try to use Dr. Paulo’s name without the slightest respect to try to validate theirs inventions?

Uncle Chico’s Response: Sure, obvious !!! Fool is the one who believes…

The irrefutable fact is that Dr. Paulo in 1978 consolidated all his knowledge in the CAFIB Standard and in the article written in the same year titled “How to distinguish a Pure Fila of a mestizo” published in # 1 of the CAFIB newspaper O Fila, edited by the founder and first secretary of CAFIB, journalist Luiz Antonio Maciel. So why insist on what he said and wrote, or would have said and would have written before that ? Why do they intentionally forget and accept the thought and knowledge of the Father of the Fila, especially after the miscegenation and the founding of CAFIB?

Recently members of a new Fila club that did not even have their own breed standard, and it seems that it closed its activities recently, in order to justify this “serious fault“, said that they followed the PSCruz Standard. Well, such standard never existed. What existed was the BKC-KCP (Kennel Club Paulista) FB Standard dated 1946/50, drafted by Dr. Paulo Santos Cruz, who also had the important collaboration of the veterinarian and judge of KCP Erwin Waldemar Rathsam and of FB breeder João Ebner. Some facebooks also use the title of something that never existed: PSCruz Standard !!! The fact is that the brand PSCruz is a synonym of quality and is famous and respected worldwide. For this reason, many people try to use it at any cost and away from ethics.

If Dr. Paul were alive, he would have shocked all these theses… As he is not, the opportunists try to take advantage of his name.

About the various FB Standards of BKC-CBKC-FCI and CAFIB, just click my article in English

https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/2014/06/10/post-189-ask-uncle-chico-73-uncle-chico-how-many-fila-standards-do-you-know-there-is-a-paulo-santos-cruz-standard-sent-jun-10th-2-014/ and know the bizarre translations made by FCI regarding the item of the FB temperament…

In addition, I prefer the shattering and synthetic phrase of journalist Paulo Godinho published on page 368 of his excellent book named “FB: A Gift of the Stars

(HTTP://blogdopaulogodinho.blogspot.com or email paulogodinho@ique.com.br ): “Nothing is more mestizo than a black fila.” Period !!!

I would like to add a great reading: the article written by Dr. Paulo Santos Cruz in response to a question-letter of my authorship dating from 1977, even before the founding of CAFIB, precisely on the “black-fila“. See in http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/7-Cao-Preto-x-Fila-Puro/7_2/materia.html

I would also like to suggest a curious and revealing reflection for my readers: why Procopio do Vale, called The Father of the Black Fila, wrote in his nearly 400 page book about the great genetic work… he had done resulted in the rescue of the “black-fila“, ridding this – very rare specimen – (lol…)… of extinction ? Why did he miss this great opportunity to prove and explain to all of us this magnificent work…?  Was it because Enio Monte, who financed and made the publication of this book feasible, did not believe in the breed purity of the “black-fila” and did not allow Procópio to report his “miracle” of making the “black-fila” ?

  1. Do you think the photo of the dog below would be a representative one of an original fila

Uncle Chico’s Response: As I answered above, I do not know, nor I have ever seen an original fila. What I know very well is the PURE Fila Brasileiro breed and registered at CAFIB since 1978, whose two photos were posted above as an example and there are hundreds of photos of Pure Filas on my website and blog. I also know some Typical Filas (*)  breed and registered in CBKC-FCI (see my two articles also in English https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/2013/11/25/post-no-143-uncle-chico-newsletter-54-photos-of-56-typical-cbkc-filas-sent-nov-22nd-2-013/  and https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/2015/02/06/post-no-243-uncle-chico-newsletter-88-more-25-photos-of-typical-filas-from-cbkc-fci-system-sent-feb-5th-2015/ ) and an enormous amount of “heterogeneous” “mestizos-filas”, without a definite dog type, who for decades have been dubbed disparate, including the “freak-fila“, and are also breed and registered in both clubs. There are also hundreds of “mestizos-filas” photos on my website and blog.

  1. I remember that years ago you looked in depth at the pseudo-thesis of the existence of the “black-fila” fabricated and invented by Procópio do Vale. What is the link to this article?

Uncle Chico’s Response: I really wrote a lot of articles proving that the “black-fila” is nothing more than a “mestizo-fila“, of a mutt ad mongrel with pedigree !!! Even when in early 1976 I visited Dr. Paulo Santos Cruz in his home in Santos City, São Paulo. One of the arguments I used to convince him to return to the Cynophilia and the worldwide breeding of Fila Brasileiro was to show photos of mongrel dogs many of them of black color, that were registered and presented in exposition of the BKC-FCI as if they were Pure Filas. These articles are posted on the menu on my site http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/ named “Cão Preto versus Fila Puro”, which in English means “Black Dog versus Pure Fila”. To read some articles on this matter in English go to http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/1-eng.html  and select them. There are also several articles in English on the “black-fila” in my blog. To reach them go to my blog in https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/  and write in the rectangular BUSCAR, which in English means SEARCH and write “black-fila“.

I also suggest clicking on an article in English with a collection of several photos that I showed to Dr. Paulo on this visit in http://www.cao-filabrasileiro.com/#!__orga-ingles which resulted in his return to FB and Cynophilia. See in http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/22-fila-brasileiro-3ENG.html .

But you are correct: I did the “necropsy” of the whole thesis, point by point, item by item, of Procópio do Vale in February 2010 in the my article titled “Black dogs called by some people of “black-fila“, but with pedigree of FCI…” (see in English in http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/22-fila-brasileiro-3ENG.html

But I am obliged to acknowledge that at the beginning of miscegenation in the FB the main crossbreeders invented sophisticated theses to justify miscegenation and to sell their dogs. João Batista Gomes, first president of the Clube Paulista do Fia Brasileiro, predecessor of the SPFB, for being a fan of the English Mastiff (see in http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/1843.jpg  and  http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/9-Documentos-ate-1979/9-24.jpg ) invented the Thesis of Fila Terceirence and organized the Symposium of Brasilia; while Procopio do Vale was even more creative inventing the Dogue de Fort Race thesis, involving Mauricio de Nassau (a Dutch who attempted to invade and colonize a small part of the Northeast of Brazil between 1637 and 1644), commenting on non-existent and unproven imports of dogs to Brazil in those days and even, imagine (!!!), inventing an incredible and long walk through a “freeway” (!!!) which brought the FB from the Northeast to the Center and South of Brazil…

See below the dog named Tição de Kirimauá (see also in http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/1816.jpg ) which is an example of a “black-fila” manufactured by Procópio do Vale. Please note that Kirimauá is the name of Procópio´s kennel.

Therefore, I am obliged to recognize that today the imagination and sophistication to invent theses has been left out. The rush is greater than zeal… And it has to sell and bill … A person creates a facebook and post photos of black dogs without bothering to discuss and try to clarify one of the most curious causes of the FB. Everything is very simple and lets go… Others, with no concern to investigate in greater depth, claim that they met the breeder “X” who claimed 20 years after miscegenation!!! ??? that the dog “Y” was a Pure Fila just because yes (!!! ???). That’s the way it is now: you’ve said it, so it goes… Without any responsibility !!!

Well, anyone who thinks that “black-fila” exists as a purebred dog, be happy with their beliefs. Who wants to talk to me on the subject “black-fila“, please read before, study and analyze in depth my articles about this subject (see links above). Before answering or commenting on any questions I have received, I will ask if my interlocutor has read and studied these articles. It happens that functional illiterates do not like to read, and when they read they often misinterpret or partially interpret. But they love asking lots of questions. Generally without much sense… Lol…

In other words, those who believe in the dog type called the original fila or the original black-fila and the CBKC’s “black-fila” and want to breed them, breed and be happy. I just think that they should bother to back up their theses with more serious, profound, and realistic proofs, far from away from gossip, meaningless messing around and consistent arguing. After all, for decades I have written that the PURE Fila Brasileiro is above all of us and the various inflated egos… After all, our share of the joões batistas gomes and procópios do vales has already overflowed for a long time.

But, as I said, I repeat: if you believe in this foolishness, go ahead and be happy.

Best regards, Chico Peltier.

 

Anúncios

Post 590 – Perguntem ao Tio Chico nº 178 – Sobre o tal fila original, o fila-original-preto e duas fotografias de um cão aparentemente de cor negra tirada em 1990, isto é, 20 anos após a mestiçagem… – Data: 6/11/2018

Perguntem ao Tio Chico nº 178

Sobre o tal fila original, o fila-original-preto e duas fotografias de um cão

aparentemente de cor negra tirada em 1990, isto é, 20 anos após a mestiçagem

Queridos amigos e amigas do Fila Brasileiro (FB) e do CAFIB, continuando com nossas conversas…

Pergunta Geral:

Tio Chico, li num facebook alguns posts sobre um tal fila original e fila-original-preto, assim como duas fotografias datadas de 1990 de um cão aparentemente negro tirada em 1990. Sendo assim, pergunto:

Nota: Tio Chico recebeu muitos questionamentos sobre estes posts e assunto, assim achou melhor consolidá-los nas perguntas e respostas abaixo. Mas cabe registrar que as perguntas mais objetivas e contundentes foram recebidas de Marcelo Zuliani, ativo entusiasta no FB.

Pergunta nº 443:  O que voce sabe e como voce definiria o tal fila original ?

Resposta do Tio Chico: Infelizmente não tenho como te responder, pois não sei, nunca vi, nem nunca soube o que venha a ser o tal fila original. Jamais recebi nenhuma informação ou material a este respeito, nem nenhuma definição do seu fenótipo e temperamento. Também nunca recebi seu Padrão racial.

Aliás, ao contrario destas pessoas que gostam de inventar teses novas para o tradicional e antigo Cão de Fila Brasileiro PURO, que há anos é mundialmente conhecido,

o Tio Chico sempre da ciência e envia seus artigos por e-mail diretamente para mais de 1.200 endereços eletrônicos de fileiros, juízes e dirigentes de todos os clubes, inclusive sempre para a cúpula do CBKC e da FCI.

Sendo assim o Tio Chico age, escreve e divulga seus artigos e pensamentos sempre de forma absolutamente transparente.

Pergunta nº 444:  Que clube cinófilo se responsabiliza por registar, emitir e controlar os pedigrees do fila original ?

Resposta do Tio Chico: Infelizmente também não sei te responder. Não sei que clube é o responsável pela veracidade e manutenção do registro genealógico e emissão de pedigrees do fila original. Mas sei que sem registro genealógico isento, honesto, fidedigno, absolutamente correto e adequadamente mantido e guardado, não existe a menor possibilidade de se inventar e preservar uma nova raça.

Tanto que o CAFIB logo após sua fundação, além do elaborar seu próprio Padrão racial, passou a registrar seu plantel, pois não considerava – e ainda não considera – como digno de Fé o controle genealógico do então BKC e, depois, do CBKC-FCI.

Por outro lado, não creio que o tal fila original seja registrado com sendo Fila Brasileiro no CBKC-FCI que, como sabemos, registra qualquer animal como sendo FB desde que se paguem as taxas cobradas por estes dois clubes. Mas não creio nisto pois, caso esteja ocorrendo, os filhotes do fila original já na segunda geração podem se misturar (miscigenar) com os “filas” registrados nestes dois clubes. Ou seja, podem ser cruzados até com o terrível “fila-aberração” e, caso isto venha a ocorrer, esta nova tese nada significará em termos de criação séria e que objetive a perenização deste novo tipo canino. Se é que de fato existe.

Existem uns dois clubes de registro canino recém-criados, acho que por brasileiros, mas não conheço seus controles, métodos, eficácia e credibilidade. Nem mesmo se aceitam registar o Fila e “fila” CBKC-FCI, ocorrendo desta forma os riscos de mistura indevida comentados acima. Algum tempo atrás dois clubes que informavam registrar cães tentaram se aproximar do CAFIB mas foram sumariamente rechaçados.

Infelizmente muitos criadores do CBKC-FCI criam com conhecimento, dedicação e seriedade seus Filas Típicos  (*), mas se esquecem de que em duas ou três gerações seu trabalho se perde e se dilui no oceano de tipos heterogêneos que caracteriza o plantel da mestiçagem existente no CBKC-FCI.

Pergunta nº 445:  Por que o nome fila original ?

Resposta do Tio Chico: Também não sei te responder. Mas desde o século passado os marqueteiros de plantão inventam nomes semelhantes aos tradicionais para comercializarem seus produtos antigos como sendo novos… O novo é bem aceito na nossa sociedade pluralista e democrática, enquanto que erradamente o tradicional algumas vezes é tachado como velho e ultrapassado. No entanto o pessoal novato não sabe ou é enganado, pois Raça animal é um conceito que define as características de uma espécie e, portanto, não pode ficar mudando. Isto é: não se trata de modelo novo de carro ou de enceradeira…

Por outro lado há mais de quatro décadas, desde 1974, acompanho com muita tristeza que de quando em quando aparece mais um pseudo-criador de “fila” cheio de novidades querendo ser o novo inventor e Padrasto do FB

O fato é que a Mãe Natureza, sem a interferência do Homem, formou o Cão de Fila Brasileiro no Sul de Minas Gerais, quase perfeito Então, infelizmente, de tempos em tempos aparecem uns despreparados querendo aparecer e se fazerem maior do que a Raça Fila para se exporem como sendo inventores de um cão que já se formou décadas atrás e quase perfeito…  Então, passaram a introduzir e a mestiçar com seus discípulos criminosamente e totalmente sem controle o sangue do Mastiff Inglês, do Mastin Napolitano e do Dinamarquês-preto, infelizmente presentes ainda hoje na criação do CBKC-FCI… Depois veio a falsa teoria dos Im-puros por Cruza, a de que o FB não se constitui numa raça pura e tantas outras desculpas injustificáveis para validarem os cães atípicos e heterogêneos que criam e pretendem que sejam Puros Filas. Mesmo que a força...

A meu ver, pura tolice…!!!

O fato irrefutável é que a partir de 1978 o CAFIB resgatou o Puro Cão de Fila Brasileiro da mestiçagem, se tornando assim o único clube responsável por ter salvo e perpetuado esta nossa raça canina nacional. O CAFIB não mudou nada, não inventou nada. Os fundadores e primeiros diretores e membros do CAFIB, notadamente Cleide e Américo Cardoso, Rose e Airton Campbell, Luiz Antonio Maciel, Marilda Mallett, Marilia e Roberto Maruyama, José Souto Maior Borges, Antônio Silva Lima, Luciano e Denise Gavião, Pedro Borotti, Sebastião Monteiro, Jonas Iacovantuono e o  signatário deste artigo, Chico Peltier — que em 2008 foi honrado com o Título de Pai do CAFIB e veio a ser mais conhecido como Tio Chico — entre tantos outros, com a imensurável ajuda do nosso Mestre de Criação, Dr. Paulo Santos Cruz, que consolidou no CAFIB todo seu conhecimento, apenas resgatou e conservou o FB que já era quase perfeito… Mas estava sendo totalmente destruídos pelos primeiros mestiçadores, seus discípulos, seus herdeiros (conhecidos hoje como os NAMs ( Neo Apologistas da Mestiçagem) e pelo trio BKC-CBKC-FCI.

Por tudo isto prefiro o Fila-CAFIB… E para mim o resto, é resto.

Pergunta nº 446:  No que o fila original se difere do Fila criado pelo CAFIB e do Fila e “fila” registrado no CBKC ?

Resposta do Tio Chico: Não faço a menor ideia.

Pergunta nº 447:  Voce poderia me enviar o padrão do fila original ?

Resposta do Tio Chico: Nunca o recebi, logo não o conheço.

Pergunta nº 448:  Voce acha que as fotos do cachorro preto abaixo, fotografado em 1990, lembra o fenótipo de um Fila Puro ?

 

Resposta do Tio Chico: Não. De jeito nenhum. Para mim poderia até ser um mestiço com um pouco de sangue de FB com Braco Alemão – foto abaixo –, raça esta muito utilizada anos atrás na caça no Brasil. Estes cruzamentos eram comuns, mas estes criadores e caçadores não falsificavam criminosamente os pedigrees no BKC, CBKC e FCI. Até por que desejavam apenas caçar e não ganhar dinheiro vendendo cachorro. Cabe ressaltar que tudo indica que o cachorro das fotos acima também tem sangue de Dinamarquês-preto: notem que é longilíneo, possui cabeça pequena e pouca barbela. Nem dá para analisa-lo com base base Padrão CAFIB.

Veja a diferença das fotos acima datadas de 1990, comparadas com as de dois Filas Puro do CAFIB:

Importante: ao me fazer a pergunta acima voce me informou que estas duas fotos foram tiradas em 1990… Ora, então foram tiradas 20 anos após o início da mestiçagem criminosa que violentou a Raça Fila Brasileiro, com a conivência e cumplicidade sistêmica e institucional do trio BKC-CBKC-FCI…

Elementar meu Caro Watson… rsrsrs…

Mas se voce acha que este cachorro das duas primeiras fotos acima é de um digno representante da raça FB, ou até mesmo do fila-original, ok, vá em frente e seja feliz…

Pergunta nº 449:  Já notou que toda pessoa que quer inventar uma tese nova relativa ao FB, cita o Dr. Paulo Santos Cruz ? Voce não acha que tentam usar sem o menor respeito o nome do Dr. Paulo para tentar validar suas invencionices ?

Resposta do Tio Chico: Claro, evidente !!! Trouxa é quem acredita…

O fato irrefutável é que o Dr. Paulo em 1978 consolidou todo o seu conhecimento no Padrão CAFIB e no artigo escrito no mesmo ano intitulado “Como distinguir um Fila Puro de um mestiço” publicado no nº 1 do Jornal O Fila, editado pelo fundador e primeiro secretário do CAFIB, Luiz Antonio Maciel. Logo por que insistir no que ele disse e escreveu, ou teria dito e teria escrito antes disto? Por que intencionalmente se esquecem e não aceitam o pensamento e o conhecimento do Pai do Fila principalmente depois da mestiçagem e da fundação do CAFIB ?

Recentemente membros de um clube de Fila que sequer possuía seu próprio Padrão racial, a fim de justificar esta “falta grave”, diziam que seguiam o Padrão PSCruz. Ora este Padrão nunca existiu. O que existiu foi o Padrão do FB do BKC-KCP datado de 1946/50, redigido pelo Dr. Paulo que contou ainda com a colaboração do veterinário e juiz  do KCP Erwin Waldemar Rathsam e do criador de FB João Ebner. Alguns facebooks também usam o titulo de algo que nunca existiu: Padrão PSCruz. !!! O fato é que a marca e sinônimo de qualidade PSCruz é famosa e mundialmente respeitada e, por isto, muitos dela tentam usufruir a qualquer custo e ao largo da ética.

Se o Dr. Paulo estivesse vivo, ele mesmo enxotaria todas estas teses… Como não está, os oportunistas tentam tirar proveito do seu nome.

Sobre os diversos Padrões de FB do BKC-CBKC-FCI e CAFIB vide https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/2014/06/10/post-no-188-perguntem-ao-tio-chico-no-73-tio-chico-quantos-padroes-do-fila-existem-enviado-em-90614/  e conheça as bizarras traduções feitas pela FCI no item temperamento…

No mais, prefiro a arrasadora e sintética frase do jornalista Paulo Godinho publicada na página nº 368 do seu excelente livro FB: Um Presente das Estrelas (HTTP://blogdopaulogodinho.blogspot.com ou pelo email paulogodinho@ique.com.br ): “Nada é mais mestiço do que um fila-preto”. Basta !!!

Aproveito para acrescentar uma ótima leitura: o artigo escrito pelo Dr. Paulo Santos Cruz em resposta a uma carta-pergunta de minha autoria datada de 1977, antes mesmo da fundação do CAFIB, justamente sobre o “fila-preto”. Vide em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/7-Cao-Preto-x-Fila-Puro/7_2/materia.html

Aproveito ainda para sugerir uma curiosa e reveladora reflexão para meus leitores: por que  Procópio do Vale, chamado de O Pai do fila preto, no seu  livro com quase 400 páginas nada escreveu sobre o — grande trabalho genético — realizado por ele e que resultou no resgate o “fila-preto”, livrando este — raríssimo espécime – ­(rsrsrs)… da extinção ?  Por que ele perdeu esta grande oportunidade de comprovar e explicar para todos nós este magnifico trabalho…? Teria sido porque Enio Monte, que financiou e viabilizou a publicação deste livro, não acreditava na pureza racial do “fila-preto” e não permitiu que Procópio relatasse o seu “milagre” da fabricação do “fila-preto” ?

Pergunta nº 450:  Voce acha que a foto do cachorro abaixo seria representativa de um fila original ?

Resposta do Tio Chico: Como respondi acima, não conheço, nem nunca vi um fila original.

O que eu conheço é o Cão de Fila Brasileiro PURO criado e registrado no CAFIB, desde 1978, cujas duas fotos seguem como exemplo acima e encontram-se as centenas em meu site e blog. Conheço ainda alguns Filas Típicos (*) criados e registrados no CBKC-FCI (vide em  https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/2013/11/25/post-no-142-tio-chico-informa-no-54-fotos-de-56-filas-tipicos-do-cbkc-data-221113/ e em https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/2015/02/06/post-no-242-tio-chico-informa-no-88-fotos-de-mais-25-filas-tipicos-do-sistema-cbkc-fci-enviado-em-40215/ ) e uma enorme quantidade de “filas-mestiços”, totalmente heterogêneos, sem tipo definido, que são há décadas apelidados de diversas formas depreciativas, inclusive de “fila-aberração” e que são também criados e registrados neste dois clubes. Suas fotos também encontram-se as centenas no meu site e blog.

Pergunta nº 451: Me recordo que anos atrás voce analisou em profundidade a pseudo-tese da existência do “fila-preto” fabricada e inventada pelo Procópio do Vale. Qual o link para este seu artigo ?

Resposta do Tio Chico: Realmente escrevi muitos artigos comprovando que o “fila-preto” não passa de um “fila-mestiço”, de um vira-lata com pedigree !!! Inclusive quando no início de 1976 visitei o Dr. Paulo Santos Cruz em sua casa localizada em Santos, SP, um dos argumentos dos quais me utilizei para convencê-lo a retornar a convivência e a criação mundial do Fila Brasileiro foi mostrar fotos de cachorros mestiços muitos deles de coloração preta, que eram registrados e apresentados em expos do BKC como sendo Filas Puros. Estes artigos encontram-se postados no menu Cão Preto versus Fila Puro no meu site: http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/7.html

Sugiro também clicar numa coletânea de fotos que mostrei ao Dr. Paulo nesta visita em http://www.cao-filabrasileiro.com/#!__orga que resultou no seu retorno ao FB e à Cinofilia. Vide em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/4-Documentos-de-1975-e-1976/4-17.jpg .

Mas voce esta correto: fiz a “necropsia” de toda a tese, ponto por ponto, item por item, do Procópio do Vale em Fevereiro de 2010 no artigo intitulado “Cães Negros chamados por alguns de “fila-preto”, mas com pedigree da FCI…” ( vide em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fila-brasileiro-3.html ).

Mas sou obrigado a reconhecer que no início da mestiçagem no FB os principais mestiçadores/miscigenadores/misturadores inventavam teses sofisticadas para justificar a mestiçagem e vender seus cães. João Batista Gomes, primeiro presidente do Clube Paulista do Fila Brasileiro, antecessor da SPFB, por ser fã do Mastiff Inglês (vide em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/1843.jpg  e em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/9-Documentos-ate-1979/9-24.jpg ) inventou  a tese do Fila Terceirence e o Simpósio de Brasília; enquanto que Procópio do Vale foi ainda mais criativo inventando a tese do Dogue de Fort Race, envolvendo Mauricio de Nassau, comentando sobre importações inexistentes e não comprovadas e até, imagine, inventando uma incrível e longa caminhada via uma “autoestrada” até hoje inexistente que trouxe o FB do Nordeste até o Centro e Sul do Brasil…

Vide abaixo o cachorro Tição de Kirimauá (vide também em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/1816.jpg ) que é um exemplo de “fila-preto” fabricado por Procópio do Vale.

Logo, sou obrigado a reconhecer que hoje a imaginação e sofisticação para se inventar teses foi deixada de lado. A pressa é maior que o zelo… E tem que faturar… Uma pessoa cria um facebook e posta fotos de cachorros pretos sem se preocupar em discutir e tentar esclarecer um dos causos mais curiosos da Raça Fila. No mais é apenas “vamo que vamo” e tudo bem… Outros, sem nenhuma preocupação em investigar em maior profundidade, afirmam que se encontraram com o criador “X” que afirmou 20 anos após a mestiçagem !!!??? que o cão “Y” trata-se de um Fila Puro porque sim (!!!???). Agora é assim: falou, tá falado. E “vamo que vamo”… Vale tudo !!!

Bem, quem achar que “fila-preto” existe enquanto Raça Pura, que seja feliz com suas crenças. Quem desejar conversar comigo sobre o assunto “fila-preto”,  que antes leia, estude e analise em profundidade meu artigo http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/7.html . Antes de responder ou comentar qualquer pergunta recebida, farei perguntas para saber se meu interlocutor leu e estudou mesmo este meu artigo. Ocorre que os analfabetos funcionais não gostam de ler e, quando leem, muitas vezes interpretam de forma errada e parcial. Mas adoram fazer muitas perguntas. Geralmente sem nexo… rsrsrs…

Ou seja e finalizando: quem acredita nos tipos caninos chamados de fila original ou fila-original-preto e no o “fila-preto” do CBKC e deseja cria-los que crie e seja feliz. Apenas penso que deveriam se preocupar em respaldar suas teses com comprovações mais sérias, profundas e realistas, longe do disse-me-disse e de um oba-oba sem critério e, pior, e sem argumentação consistente. Afinal, há décadas escrevo que o Cão de Fila Brasileiro PURO esta acima de todos nós e dos diversos egos inflados… Afinal, nossa cota de joões batistas gomes e procópios do vales já transbordou há muito tempo.

Mas, como disse, repito: se acreditam nesta tolice, sigam em frente e sejam felizes.

Abraços, Chico Peltier.

Post 589 – Uncle Chico Newsletter # 225 – Everything certainly would be very different in the breeding of the PURE Fila Brasileiro – if the breeders of the 70s and 80s had studied and been informed correctly… – Data: Nov, 1sr.-2018

Uncle Chico Newsletter # 225

Everything certainly would be very different in the breeding of the PURE Fila Brasileiro

if the breeders of the 70s and 80s had studied and been informed correctly …

              

My dear friends of the Fila Brasileiro (FB)  and CAFIB,

Everything would certainly be very different in the PURE Fila Brasileiro breeding if the breeders of the 70 and 80 had studied and informed correctly…

See below the letter of the breeder Carlos Feijó that was published on August 5, 1981, that is, 37 years ago, in Jornal do Brasil, which at the time was together with the newspaper O Estado de São Paulo, the two most important and most read newspapers printed in Brazil.

The Irish thinker Edmund Burke, who died in 1797, wrote: “A people who do not know their history are doomed to repeat it.” This is: many breeders of Fila Brasileiro unfortunately do not know and are not interested in studying the True History of Miscegenation in the FB, made by unscrupulous breeders who, without any control, chose to falsify pedigrees and counted as the systemic and institutional support of BKC-CBKC-FCI; nor does they know the True History of CAFIB, the only club responsible for having rescued the FB from extinction and having preserved it in its breed purity even 40 years after its foundation.

If they had studied the true history of FB and CAFIB, I am convinced that today we would have a single and homogeneous FB, far from the “freak-fila” and the “black-fila“.

This simple letter below tells EVERYTHING !!!

To see just click  http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/16-IMPRENSA-FILA-BRASILEIRO/16-5.jpg or bellow:

O Cão de Fila

A importante revista alemã Molosser, da qual sou correspondente no Brasil, dedicou quase um terço das 72 páginas de sua edição de maio último à raça cão de fila brasileiro e seus atuais graves problemas; tal fato, entre outros, dá-me a esperança de sensibilizar parte do seleto público leitor do JB, com um alerta sobre os danos que ações inconseqüentes de pessoas anormalmente ambiciosas vêm trazendo à nossa cinofilia (a criação de cães de raça), atividade inegavelmente associada à cultura de todas as nações.

Conforme levantamento criteriosamente efetuado pelo executivo de comércio exterior Francisco Peltier de Queiroz, o Cão de Fila Brasileiro, última raça canina originária de nossa pátria, vem sendo vítima de um processo de mestiçagem, não apurado por várias diretorias do Brasil Kennel Club, entidade que também se intitula Confederação do Brasil Kennel Club.

Em busca de uma real solução para este problema, foi fundado o Cafib (Clube de Aprimoramento do Fila Brasileiro), sediado à praça Prof. Resende Puech, 43 — Pinheiros — 05444, São Paulo, SP.

O Cafib apresentou ao Ministério da Agricultura, embasado no levantamento de Peltier — que recebeu apoio da Imprensa, na figura do titular da então coluna de cinofilia do JORNAL DO BRASIL, Sr Paulo Roberto M. Godinho e na figura do colunista cinófilo de O Estado de S Paulo, Sr Antonio Carvalho Mendes — um dossiê sobre a mestiçagem, o qual foi lá tecnicamente apreciado e aceito, ocasionando a elaboração em 1980 de um relevante protocolo (publicado no Diário Oficial da União) entre o Ministério e o Cafib, prévia do reconhecimento deste por aquele, o que viria a outorgar logo em seguida ao Cafib o status de única entidade autorizada pelo Governo brasileiro a emitir pedigrees (certificados de registro de origem de cães de raça) e a realizar exposições caninas especializadas da raça Fila Brasileiro.

Esta situação, mundialmente constrangedora principalmente para as seis últimas diretorias do Brasil Kennel Club, porém causada essencialmente apenas pela mestiçagem e pela não apuração dela, teve seus lógicos rumos subitamente alterados por uma aparente manobra política dos mestiçadores: aconteceu curiosa medida ministerial, excluindo surpeendentemente todos os caninos (de todas as mais de 300 raças estrangeiras também) de qualquer controle por aquela Pasta, dentro de nosso território.

Comentam grandes conhecedores de cinofilia entretanto, que a medida do governo teria provocado suspiros de provisório alívio no seio da mestiçagem, pelas seguintes razões:

  1. a) o Brasil Kennel Club não tem como explicar cinologicamente o impressionante número e a vexatória diversidade de seus filas-mestiços, que contudo ostentam pedigreescomo se fossem de pura raça. Ao afirmar que semelhantes coquetéis rácicosseriam decorrência do Fila não estar ainda geneticamente fixado, seus dirigentes mentem, contradizendo as evidências cinotécnicas amplamente explanadas nas dezenas de edições do tablóide O Fila, pelo advogado e cinólogo Paulo Santos Cruz e também contradizem a si mesmos, considerando que a raça foi reconhecida décadas atrás no estrangeiro como já fixada, a pedido deles próprios…
  2. b) diante de uma opinião pública cinófila brasileira grandemente iludida pelos mestiçadores e alheia aos mecanismos sutis da mestiçagem, anestesiada ainda por natural apego ao que é seu e que pensa ser puro, porque lhe foi vendido como tal, configurando um círculo vicioso que se origina na reduzida difusão da cinofilia no país em padrões efetivamente técnicos, fruto das péssimas administrações do próprio Brasil Kennel Club, prefere esta agremiação que haja um mínimo de controle às suas atividades por assegurar-se desse modo que as irregularidades nunca seriam devidamente apuradas;
  3. c) persistindo o controle ministerial e a saneadora realidade do reconhecimento governamental ao Cafib, estaria o Brasil Kennel Club fadado a rápida insolvência, peculiarmente vulnerável à uma enxurrada de processos judiciais movidos pelos milhares de pessoas por ele lesadas, proprietários de falsos-filas espalhados nos últimos anos pelos mestiçadores por todo o Brasil, o que rendeu a estes, livre do Imposto Sobre a Renda, muito dinheiro…
  4. d) não havia como o Ministério da Agricultura inverter ou anular o andamento do justíssimo reconhecimento ao Cafib, por maiores que fossem as pressões políticas por parte dos interessados na mestiçagem do Fila;
  5. e) afastada a ação controladora do Ministério — vínculo este cuja importancia o B.K.C. ainda ousou minimizar após consumado o rompimento — sem dúvida o Brasil Kennel Club levava algumas vantagens iniciais no confronto com o Cafib, a saber: foi fundado há muito mais tempo, desfruta de eventual vínculo com a FCI (Bélgica), dispõe de poder econômico elevado (decorrente de congregar aficcionados de todas as raças caninas e decorrentes das altas taxas pelo enorme número de indefesos proprietários dos mestiços) e utiliza o nome pomposo de um quadro de árbitros, formado de conhecedores de algumas raças estrangeiras, para tentar dar credibilidade a um cenário de mestiçagem, através de um padrão de raça tendenciosamente modificado para favorecer os mestiçadores e seus produtos.

Os principais nomes apontados nos trabalhos de Peltier como envolvidos direta ou indiretamente no quase aniquilamento técnico-cultural do puro Fila, são os dos Srs Eugenio Lucena, Enio Monte, João Baptista Gomes, Prof. Procópio do Vale e Jacob Blumem.

O casal Jacob e Andrea Blumen, titulares do canil Curumaú, do Rio de Janeiro, são proprietários de cães amplamente utilizados na reprodução na seara do Brasil Kennel Club, embora expressamente apontados como mestiços pelos estudos técnicos do Cafib.

O Clube Mineiro de Criadores de Fila Brasileiro desfiliou-se do Brasil Kennel Club, em histórica decisão tomada por seu então presidente Cel. Arthur José Walter Verlangiéri, solidarizando-se com o cinólogo Paulo Santos Cruz e com o Cafib na luta contra a mestiçagem, e dando colorido especial ao assunto, pois Minas Gerais e São Paulo são os dois principais centros brasileiros de Filas puros.

O brado liderado por Christofer Habig, juiz alemão de Filas, árbitro da FCI e editor da revista Molosser, é o sinal que vem da Alemanha, pátria mundial das grandes raças de trabalho, em defesa do nosso Fila, fato tão marcante quanto a exportação de Filas de Paulo Santos Cruz na década de 50 para o príncipe alemão Albrecht da Baviera; desta feita, um brado para rapidamente minimizar os malefícios que os mestiçadores muito já causaram e estão causando à imagem de nosso país nesta fronteira cultural junto às cinofilias de todo o mundo.

Carlos Feijó de Carvalho — Rio de Janeiro.  — Jornal do Brasil, quarta-feira, 5 de agosto de 1981

Think: It’s never too late to start over in the right way.

Fila Brasileiro desserves it.

Best regards, Chico Peltier.

Post 588 – Tio Chico Informa nº 225 – Tudo certamente seria muito diferente na criação do PURO Cão de Fila Brasileiro se os criadores dos anos 70 e 80 tivessem estudado e se informado corretamente… – Data: 1/11/18

Tio Chico Informa nº 225

Tudo certamente seria muito diferente na criação do PURO Cão de Fila Brasileiro

se os criadores dos anos 70 e 80 tivessem estudado e se informado corretamente…

             

Amigos e amigas do Cão de Fila Brasileiro (FB) e do CAFIB,

Tudo certamente seria muito diferente na criação do PURO Cão de Fila Brasileiro se os criadores dos anos 70 e 80 tivessem estudado e se informado corretamente…

Vejam abaixo a carta do criador Caros Feijó que foi publicada no dia 5/08/81 , isto é, ha 37 anos atrás, no Jornal do Brasil, que na época era juntamente com o jornal O Estado de São Paulo, os dois mais importantes e mais lidos jornais impressos no nosso pais.

O pensador irlandês Edmund Burke que faleceu em 1797 escreveu: “Um povo que não conhece a sua história está condenado a repeti-la”. Isto é: muitos criadores de Fila Brasileiro infelizmente não conhecem e não se interessam em estudar a Verdadeira Historia da Mestiçagem na Raça FB, realizada por criadores inescrupulosos que, sem nenhum controle, optaram por falsificar pedigrees e contaram como o apoio sistêmico e institucional da BKC-CBKC-FCI; nem conhece a Verdadeira Historia do CAFIB, único clube responsável por ter resgatado o FB da extinção e tê-lo preservado em sua pureza racial até hoje decorridos 40 anos desde sua fundação.

Se tivessem estudado a história do FB e o CAFIB, tenho plena convicção que hoje teríamos uma raça FB unida e homogênea, longe do “fila-aberração” e do “fila-preto”.

Esta simples carta abaixo conta TUDO !!!

Vide também em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/16-IMPRENSA-FILA-BRASILEIRO/16-5.jpg ou em:

O Cão de Fila

A importante revista alemã Molosser, da qual sou correspondente no Brasil, dedicou quase um terço das 72 páginas de sua edição de maio último à raça cão de fila brasileiro e seus atuais graves problemas; tal fato, entre outros, dá-me a esperança de sensibilizar parte do seleto público leitor do JB, com um alerta sobre os danos que ações inconseqüentes de pessoas anormalmente ambiciosas vêm trazendo à nossa cinofilia (a criação de cães de raça), atividade inegavelmente associada à cultura de todas as nações.

Conforme levantamento criteriosamente efetuado pelo executivo de comércio exterior Francisco Peltier de Queiroz, o Cão de Fila Brasileiro, última raça canina originária de nossa pátria, vem sendo vítima de um processo de mestiçagem, não apurado por várias diretorias do Brasil Kennel Club, entidade que também se intitula Confederação do Brasil Kennel Club.

Em busca de uma real solução para este problema, foi fundado o Cafib (Clube de Aprimoramento do Fila Brasileiro), sediado à praça Prof. Resende Puech, 43 — Pinheiros — 05444, São Paulo, SP.

O Cafib apresentou ao Ministério da Agricultura, embasado no levantamento de Peltier — que recebeu apoio da Imprensa, na figura do titular da então coluna de cinofilia do JORNAL DO BRASIL, Sr Paulo Roberto M. Godinho e na figura do colunista cinófilo de O Estado de S Paulo, Sr Antonio Carvalho Mendes — um dossiê sobre a mestiçagem, o qual foi lá tecnicamente apreciado e aceito, ocasionando a elaboração em 1980 de um relevante protocolo (publicado no Diário Oficial da União) entre o Ministério e o Cafib, prévia do reconhecimento deste por aquele, o que viria a outorgar logo em seguida ao Cafib o status de única entidade autorizada pelo Governo brasileiro a emitir pedigrees (certificados de registro de origem de cães de raça) e a realizar exposições caninas especializadas da raça Fila Brasileiro.

Esta situação, mundialmente constrangedora principalmente para as seis últimas diretorias do Brasil Kennel Club, porém causada essencialmente apenas pela mestiçagem e pela não apuração dela, teve seus lógicos rumos subitamente alterados por uma aparente manobra política dos mestiçadores: aconteceu curiosa medida ministerial, excluindo surpeendentemente todos os caninos (de todas as mais de 300 raças estrangeiras também) de qualquer controle por aquela Pasta, dentro de nosso território.

Comentam grandes conhecedores de cinofilia entretanto, que a medida do governo teria provocado suspiros de provisório alívio no seio da mestiçagem, pelas seguintes razões:

  1. a) o Brasil Kennel Club não tem como explicar cinologicamente o impressionante número e a vexatória diversidade de seus filas-mestiços, que contudo ostentam pedigreescomo se fossem de pura raça. Ao afirmar que semelhantes coquetéis rácicosseriam decorrência do Fila não estar ainda geneticamente fixado, seus dirigentes mentem, contradizendo as evidências cinotécnicas amplamente explanadas nas dezenas de edições do tablóide O Fila, pelo advogado e cinólogo Paulo Santos Cruz e também contradizem a si mesmos, considerando que a raça foi reconhecida décadas atrás no estrangeiro como já fixada, a pedido deles próprios…
  2. b) diante de uma opinião pública cinófila brasileira grandemente iludida pelos mestiçadores e alheia aos mecanismos sutis da mestiçagem, anestesiada ainda por natural apego ao que é seu e que pensa ser puro, porque lhe foi vendido como tal, configurando um círculo vicioso que se origina na reduzida difusão da cinofilia no país em padrões efetivamente técnicos, fruto das péssimas administrações do próprio Brasil Kennel Club, prefere esta agremiação que haja um mínimo de controle às suas atividades por assegurar-se desse modo que as irregularidades nunca seriam devidamente apuradas;
  3. c) persistindo o controle ministerial e a saneadora realidade do reconhecimento governamental ao Cafib, estaria o Brasil Kennel Club fadado a rápida insolvência, peculiarmente vulnerável à uma enxurrada de processos judiciais movidos pelos milhares de pessoas por ele lesadas, proprietários de falsos-filas espalhados nos últimos anos pelos mestiçadores por todo o Brasil, o que rendeu a estes, livre do Imposto Sobre a Renda, muito dinheiro…
  4. d) não havia como o Ministério da Agricultura inverter ou anular o andamento do justíssimo reconhecimento ao Cafib, por maiores que fossem as pressões políticas por parte dos interessados na mestiçagem do Fila;
  5. e) afastada a ação controladora do Ministério — vínculo este cuja importancia o B.K.C. ainda ousou minimizar após consumado o rompimento — sem dúvida o Brasil Kennel Club levava algumas vantagens iniciais no confronto com o Cafib, a saber: foi fundado há muito mais tempo, desfruta de eventual vínculo com a FCI (Bélgica), dispõe de poder econômico elevado (decorrente de congregar aficcionados de todas as raças caninas e decorrentes das altas taxas pelo enorme número de indefesos proprietários dos mestiços) e utiliza o nome pomposo de um quadro de árbitros, formado de conhecedores de algumas raças estrangeiras, para tentar dar credibilidade a um cenário de mestiçagem, através de um padrão de raça tendenciosamente modificado para favorecer os mestiçadores e seus produtos.

Os principais nomes apontados nos trabalhos de Peltier como envolvidos direta ou indiretamente no quase aniquilamento técnico-cultural do puro Fila, são os dos Srs Eugenio Lucena, Enio Monte, João Baptista Gomes, Prof. Procópio do Vale e Jacob Blumem.

O casal Jacob e Andrea Blumen, titulares do canil Curumaú, do Rio de Janeiro, são proprietários de cães amplamente utilizados na reprodução na seara do Brasil Kennel Club, embora expressamente apontados como mestiços pelos estudos técnicos do Cafib.

O Clube Mineiro de Criadores de Fila Brasileiro desfiliou-se do Brasil Kennel Club, em histórica decisão tomada por seu então presidente Cel. Arthur José Walter Verlangiéri, solidarizando-se com o cinólogo Paulo Santos Cruz e com o Cafib na luta contra a mestiçagem, e dando colorido especial ao assunto, pois Minas Gerais e São Paulo são os dois principais centros brasileiros de Filas puros.

O brado liderado por Christofer Habig, juiz alemão de Filas, árbitro da FCI e editor da revista Molosser, é o sinal que vem da Alemanha, pátria mundial das grandes raças de trabalho, em defesa do nosso Fila, fato tão marcante quanto a exportação de Filas de Paulo Santos Cruz na década de 50 para o príncipe alemão Albrecht da Baviera; desta feita, um brado para rapidamente minimizar os malefícios que os mestiçadores muito já causaram e estão causando à imagem de nosso país nesta fronteira cultural junto às cinofilias de todo o mundo.

Carlos Feijó de Carvalho — Rio de Janeiro – Jornal do Brasil, quarta-feira, 5 de agosto de 1981

Pensem: nunca é tarde para recomeçar da forma correta.

O Fila Brasileiro agradece.

Abraços, Chico Peltier.