Post 535 – Tio Chico Informa nº 205 – Comentando a repercussão e três postagens sobre meu artigo “Tio Chico Informa nº 203” – Data: 08/01/18

Tio Chico Informa nº 205

Comentando a repercussão e três postagens sobre meu artigo

“Tio Chico Informa nº 203” cujo link é https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/2018/01/04/post-531-tio-chico-informa-no-203-sobre-a-possivel-falsificacao-e-ou-adulteracao-de-pedigrees-de-fb-de-responsabilidade-e-de-emissao-do-cbkc-fci-e-a-possivel-utilizacao-indevida-de-importa/ .

Amigos e amigas do Fila Brasileiro (FB) e do CAFIB,

Inicialmente agradeço a todos os fileiros que compreenderam e aplaudiram os claros questionamentos que fiz no artigo mencionado acima, sobre a possível falsificação e/ou adulteração de dados constantes em pedigrees emitidos pelo CBKC-FCI, e que concordam com a necessidade de só se solicitar a emissão e só se emitir pedigrees que respeitem a verdade dos fatos e a ética.

Agradeço principalmente os seguintes emails, WA`s e tele recebidos que:

  1. a) me parabenizou por continuar defendendo o FB independente de clubes e sempre com educação, argumentação e respeitando os adversários em ideias;
  2. b) comparou os pedigrees por mim disponibilizados com a pirataria infelizmente presente no submundo atual;
  3. c) afirmou que os cães com pedigrees “fakes” são como “cães-genéricos” tentando se passar pelos originais de “laboratórios famosos”, tais como Araguaya, Jawa e Ibituruna;
  4. d) alegou muito objetivamente que um cão chamado Jorge Amado, que é muito conhecido por todos, não pode ser magicamente renomeado e rebatizado com outro nome como, por exemplo, de Jorge Amado de Paulo Coelho;
  5. e) declarou que quem age descentemente e com ética, não adiciona nomes a cães tão conhecidos;
  6. f) entendeu que “é melhor errar educadamente do que ser aético propositalmente”;
  7. g) afirmou que estas pessoas “se justificam em normas espúrias como se fossem obrigatórias”…
  8. h) e, finalmente, simplificou e resumiu: “ai é cachorragem”…;

Até o presente momento apenas o criador Sr. Olegário Bretas me enviou um inteligente e educado email com seu claro esclarecimento, o qual foi postado na íntegra no meu blog e pode ser lido no link https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/2018/01/05/post-532-tio-chico-informa-no-203-comentando-email-recebido-em-4-01-do-sr-olegario-bretas-sobre-o-meu-artigo-tio-chico-informa-no-203-data-4-01-18/ .

Entretanto nos últimos dias houve três postagens em facebooks com diversas tentativas de justificação, tentando seus “postadores” se esquivarem pela tangente, contando longas estórias que nada tem a ver com os fatos or mim questionados. As questões são: houve falsificação e/ou adulteração nos pedigrees por mim questionados e, ainda, respeitou-se à ética e as normas na emissão destes pedigrees? Pois foi simplesmente isto que questionei no meu artigo. Divertidamente informo que a um destes três posts se seguiu um comentário de uma surtada seguidora… Alias, como sempre…

Repito: é legal e ético mudar nome de cães ao registra-lo em outro clube ? Ou colocando o nome de um criador “fake”? Ou outro clube copiar a ascendência do CAFIB ?

Nenhuma postagem me foi enviada diretamente pelos três “postadores”. Nenhum “postador” disponibilizou nos três facebooks utilizados meu artigo na íntegra para que seus seguidores e leitores pudessem avaliar de forma independente meus questionamentos. Logo, os comentarei abaixo e retribuirei desta mesma forma. Mas com educação.

Sendo assim, deixando de lado a grosseria, a falta de educação e a falta de uma contra argumentação objetiva:

  1. Uma postagem é absolutamente ininteligível, tanto que me informaram que foi retirada do facebook. Não sei se foi. Talvez não só por ser incompreensível, mas provavelmente também porque anexou um pedigree que parece causar desconforto a um criador “amigo” deste mesmo “postador”.

Com referência a esta primeira postagem o detalhe por mim levantado foi a grave falsificação e/ou adulteração — não comentada pelo “postador” – que me parece existir no enorme erro e total falta de fiscalização apontada há anos no seio do sistema CBKC-FCI, já que um cão nascido no Canil Araguaya, [ tendo como criador Américo Cardoso dos Santos Jr., conhecido fundador, diretor e membro do CAFIB ], teve seu nome de criador trocado pelo nome do Canil Cara Branca. Quem trocou ? Com que objetivo ? Por que quem recebeu este pedigree errado não solicitou sua correção ?

Notem que neste pedigree que segue abaixo que, além disto, o CBKC-FCI aceitou como digno de Fé a ascendência atestada no pedigree do CAFIB. Mas como todos sabem o CAFIB jamais reconheceu o pedigree do CBKC-FCI como digno de Fé, devido a mestiçagem, a falta de verificação e controle, como já foi diversas vezes comentado por diversos outros criadores e por mim.

  1. O segundo postou — comprovando assim o fato que questionei !!! — o pedigree que entendo ter sido aeticamente falsificado e/ou adulterado, emitido pelo CBKC/FCI. Neste pedigree o nome do FB Quilombo do Araguaya, que como todos os envolvidos sabem é de criação do Canil Araguaya, de propriedade de membro e fundador do CAFIB, foi rebatizado com o novo nome de Quilombo do Araguaya de São Jose da Lapa, passando a ser então utilizado por muitos interessados.

Ou seja, este segundo “postador” ainda nem se conscientizou da falsificação e/ou adulteração que me parece existir e tanto tenho questionado.  E da utilização em sequência deste pedigree “fake” emitido pelo CBKC-FCI, no qual o próprio canil dele e/ou de sua Tia incorreu. Talvez mais tarde este “postador” seja capaz de entender finalmente que o mesmo cão com o nome de “A” no pedigree do CAFIB não pode ser eticamente renomeado mais tarde pelo CBKC-FCI como sendo magicamente o cão de nome “A+B”… Ou por outra: que o escritor Jorge Amado não pode ser transformado, rebatizado e renomeado de Jorge Amado de Paulo Coelho. Certo ?

Atestem o que afirmo nos pedigrees abaixo:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3. Terceiro postador:

3.1. Ao contrário do afirmado por este terceiro “postador”, que me parece nunca ter conhecido de fato o CAFIB, este clube nunca exigiu nenhum nome de canil ao aprovar um FB em suas tradicionais Análises de Fenótipo e Temperamento (AFT). Aproveito para sugirir a leitura do excepcional artigo sobre AFT de autoria do próprio Américo Cardoso dos Santos Jr., em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fila_brasileiro-cachorro.html . Assim como o CAFIB nunca fez esta exigência para emissão do seu Certificado de Analise (CA).

A maior prova do que afirmo é que no início do CAFIB e na primeira ninhada que teve como padreador Zerê do Parnapuan, criação do querido Mestre de Criação do CAFIB, Dr. Paulo Santos Cruz, apesar do Dr. Paulo possuir toda sua ascendência, esta não constou do CA.

Outras provas:

– o FB de nome Leão (CAFIB SP 0013), de criação do pioneiro criador João Costa, da cidade de Itanhandu, MG, foi um excelente reprodutor e consta em diversos pedigrees do CAFIB, simplesmente com o nome de Leão. O CAFIB  jamais aeticamente adicionou ao nome Leão, por exemplo, o nome Parque do Castelo. Lembrando que Leão viveu neste canil até seu falecimento. E provando que esta postura ética sempre prevaleceu no CAFIB desde seu início já que Leão recebeu o nº 0013;

– o FB de nome Max (CAFIB SP 1.423), filho do Zerê de Parnapuan (CAFIB SP 0597), outro reprodutor do CAFIB, aparece em vários pedigrees apenas com o seu nome original e jamais foi aeticamente modificado para Max de Parnapuan;

– recentemente na 2ª AFT realizada no Uruguai em 25/11/17, foram analisados e aprovados entre muitos outros a fêmea Pipoca e o macho Saci, que receberam o Certificado de Aprovação com os seus verdadeiros nomes, Pipoca (CAFIB CA 6.349) e Saci (CAFIB CA 6.350). Ou seja: apesar de muito conhecidos da diretoria do CAFIB, estes dois FB`s não foram renomeados e rebatizados aeticamente respectivamente de Pipoca Piedras de Afilar ou Saci do Borghetto.

O fato é que o CAFIB trabalha com honestidade, seriedade e transparência há 40 anos. Sempre foi assim, respeitando a ética, a moral e os regulamentos.

3.2. Ao contrário do também afirmado por este terceiro “postador”, segue abaixo um exemplo de pedigree cuja emissão foi solicitada ao CBKC-FCI respeitando a ética e o trabalho de criação de outros criadores, o qual foi emitido constando apenas o nome do cão: DRAKE. Isto é, não constando o nome do criador, nem sua ascendência. Ou seja: quem solicitou este pedigree não se utilizou aeticamente do nome de conhecidos canis de terceiros, nem incluiu aeticamente o nome do seu canil neste pedigree como sendo seu criador. Nem o CBKCFCI copiou sua ascendência. E é exatamente isto que estou questionando.

Por favor, observem que os dois pedigrees do item acima, ambos emitidos pelo CBKC-FCI, também não possuem ascendentes, ao contrário do postado no item nº 1 acima.

Vejam abaixo pedigree emitido pelo CBKC-FCI para o FB chamado Drake, sem a sua ascendência pois, como fui informado, no CBKC este caso é chamado de “Cão de Procedência Desconhecida” ou Registro Inicial e, como tal, não deve ter a sua ascendência copiada de documentos do CAFIB ou de qualquer outro clube. Mesmo sendo o pedigree do CAFIB acreditado e digno de Fé:

 

3.3. Defendeu-se afirmando que outro criador o autorizou a falsificar e/ou adulterar um ou mais pedigrees no CBKC/FCI. Poxa, que legal !!! Se alguém “autorizou”, tudo bem !!! Sendo assim, peço encarecidamente a este poderoso e importante criador que me autorize também a trancafiar políticos, empresários e agentes públicos corruptos sem o devido julgamento prévio e ao meu livre arbítrio… E os falsificadores e/ou adulteradores de pedigree também…

Logo, receio que parece que para estes três “postadores” os fins justificam os meios.

  1. Mas a dupla CBKC-FCI continua na eterna omissão e no silêncio…  Esperando que este rio lamacento mais uma vez passe solenemente…

CONCLUINDO

A – Com a ajuda de muitos amigos levamos quatro meses fazendo uma investigação séria e criteriosa, inclusive na ferramenta-site Dog Family,  a fim de fazermos estes simples e objetivos questionamentos. Enquanto isto esta turma vai postando qualquer pedigree, desculpas, longas estórias, grosserias e muitas frases sem absolutamente nada explicarem ou até incompreensíveis, achando que conseguem se justificar.

B – Caixa dois também era e sempre foi crime, mas muitos fingiam que não era…

C – Creio firmemente que a estes três postadores bastaria apenas e simplesmente esclarecer de forma educada e transparente, se agiram com ética ou se falsificaram e/ou adulteraram algum nome de cão nos pedigrees em questão e/ou se modificaram o nome do real criador em algum pedigree. Simples. Nada mais do que isto;

D – Creio que caberia também ao CBKC-FCI simplesmente esclarecer se este clube obriga ou não a quem solicita um pedigree para o chamado “Cão de Procedência Desconhecida” ou “Registro Inicial” a indicação obrigatória do nome do cão, nome do canil, nome do criador e sua ascendência, ao contrário do que ocorreu com o FB chamado Drake acima;

E – É ético que pessoas que se conhecem há tantos anos e que conhecem muito bem os exemplares de FB`s existentes no Brasil, principalmente os que compõe o plantel do CAFIB, adulterarem o nome do criador e/ou manterem em sua posse um pedigree do CBKC-FCI com o nome adulterado do criador do FB chamado Quilombo do Araguaya, que é como todos sabem de criação de Canil do Araguaya, membro do CAFIB ? É ético que pessoas adulterarem o nome deste mesmo FB chamado Quilombo do Araguaya, desrespeitando a criação e o trabalho de uma das mais conceituadas pessoas que participam do mundo fileiro no Brasil e no exterior, Américo Cardos dos Santos Jr., fundador, diretor, articulista e membro do CAFIB desde 1978 ? É ético vender o FB chamado Quilombo do Araguaya com nome adulterado ? É ético manter o FB chamado Quilombo do Araguaya com nome adulterado em algum canil ?

F –  Será correto que os centenário cartórios CBKC e FCI não possuam um simples e básico sistema de cruzamento de dados e informações que identifique ou pelo menos desconfie que um cão chamado Quilombo do Araguaya já possui pedigree nos seus sistemas, um com e outro sem ascendentes ?

G – Infelizmente me parece que o Tio Chico continua em 2018 apontando os erros e espertezas aéticas que ainda são cometidos por criadores que se julgam acima das boas práticas, das normas, da moral e da ética.

H – Ser deseducadamente insultado e maltratado é o preço que o Tio Chico paga por lutar por uma cinofilia LIMPA desde 1974…  Logo, não posso me preocupar com o impacto que meus questionamentos causam em pessoas e clubes que atuam de forma aética ou comentem erros. Da mesma forma que não me preocupei no passado com João Batista Gomes, Procópio do Vale, seus herdeiros e seguidores há mais de 40 anos atrás. Meu compromisso continua sendo com o Cão de Fila Brasileiro. Desde 1974.

 

NOTA FINAL:

Tio Chico não tem compromisso com o erro. Repito: meu compromisso é com o FB. Basta então meus adversários em ideias, os  quais infelizmente sempre resvalam para a grosseria, assim como a dupla CBKC-FCI, comprovarem com documentos e fatos que no item nº 1 acima não foi modificado o nome do criador e não foi adicionado parte da ascendência do Quilombo do Araguaya registrada no CAFIB e, ainda, que nos itens nº. 2 e 3 acima que aos verdadeiros e originais nomes dos cães mencionados não foram adicionados o nome de canis de terceiros interessados. Ou seja, que todos estes pedigrees mencionados no “Tio Chico Informa nº 203” foram emitidos respeitando a ética, a moral e a verdade dos fatos.

Abraços, Chico Peltier.

 

Anúncios