Post n° 463 – Tio Chico Informa nº 179 – Data: Dez de 1975 – Local: Bar Alvaro`s, Leblon, Rio – Onde e quando realizei que eu tinha que começar a denunciar a mestiçagem na Raça FB – Onde e quando o inexperiente criador Chico Peltier começou a se transformar no denunciante, historiador e comentarista do FB conhecido como Tio Chico… Data: 16/02/2016

Tio Chico Informa nº 179

Data: Dez de 1975 – Local: Bar Alvaro`s, Leblon, Rio

Onde e quando realizei que eu tinha que começar a denunciar a mestiçagem na Raça FB    

Onde e quando o inexperiente criador Chico Peltier começou a se transformar no

denunciante, historiador e comentarista do FB conhecido como Tio Chico

 NOTA: se voce é preguiçoso, não gosta de ler e aprender, por favor, não leia este artigo…  (Obs: neste aviso acima me inspirei no criador de FB Tozinho Lara Campos, mais conhecido como “Cão Fila KM 26”, que tinha o costume de dificultar a entrada em seu canil de visitantes chatos, duros e, principalmente, daqueles que se  achavam  entendidos em FB…  Se é que voces me entendem  e  conhecem  a  Verdadeira História do FB…  Caso contrário aprendam em  http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/1812.jpg

 

Meus queridos amigos e amigas do Fila Brasileiro (FB),

              1. Quando e onde tudo começou:

00-alvaros-2

O restaurante Alvaro`s é um dos mais tradicionais do Leblon, Rio.  Foi fundado em 1963 pelo pernambucano Álvaro. Em 1967 foi comprado por Manolo Casal e desde então lá se degusta um dos melhores pastéis do Rio de Janeiro, além de um cardápio consagrado e um chope geladíssimo. O Alvaro`s sempre foi um bar frequentado por gente famosa, principalmente artistas, a turma do Pasquim, jornalistas, revolucionários, empresários e boêmios.

Pois bem, foi justamente no Alvaro’s que eu convidei para tomar um chope comigo num sábado de dezembro/75 o Zito Hermanny, amigo de meus irmãos mais velhos, além de ser meu conhecido do clube que frequentávamos.

Afinal, no segundo semestre de 1975 eu já estava muito preocupado com o futuro do Cão de Fila Brasileiro PURO e Zito, além de juiz de FB do então BKC, era filho do Velho Luiz Hermanny que iniciou a criação do FB no Rio de Janeiro ao fundar o Canil Amazonas que teve como origem os FBs do Canil Parnapuan. O Velho Hermanny escreveu um magnifico livro intitulado “O Cão Nosso melhor Amigo” onde se encontra um capítulo especial sobre o nosso FB. Vejam em

http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/3-Documentos-ate-1974/3_3/materia.html

Apesar de nem eu nem minha família jamais termos criado seriamente nenhum animal, eu estava muito preocupado em dez/75, pois havia conhecido o FB em janeiro de 1974, quando adquiri uma fêmea PURA filha de Braúna da Soledade x Bororó do ABC, no Canil dos Pampas, Rio (vide em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/1849.jpg , http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/1848.jpg, http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/1845.jpg  e http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/1844.jpg .

Vejam abaixo algumas fotos de minha fêmea FB Pura, chamada Charrua dos Pampas (Zorra):

 

1-zorra

2-zorra-ninhada

Nota: pelo fenótipo e temperamento acima demonstrado pela Charrua / Zorra, sinto muito pena quando estes criadores de “filas-mestiços” e juízes do CBKC-FCI, como o Sr. Alexandre Bacci, afirmam de forma tolamente irresponsável e ignorante, sem conhecerem a Verdadeira História da Raça Fila Brasileiro que o FB, ou simplesmente mentindo para manter, proteger, promover e vender seus “filas-mestiços” não se constitui numa raça, mais sim num grupo de cachorros mestiços… Pois vejam acima como era o Verdadeiro Fila PURO Brasileiro já em 1974…

Mas infelizmente nesta mesma oportunidade e canil também tive contato  – sem ter a menor ideia de que fosse – com o primeiro “fila-mestiço” que conheci. Seu nome era Arariboia (vide em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/189.jpg ) que infelizmente veio a ser pai de dois cães “filas-mestiços” que adquiri: Dumas e Basa dos Pampas, ambos com pedigree do CBKC-FCI. Arariboia foi importando de São Paulo como veremos mais a seguir. Era extremamente dócil, interagiu pacificamente comigo desde o primeiro minuto que nos conhecemos. Ojeriza = zero… E eu nem sabia em 1974 que o FB tinha que ter ojeriza a estranhos… Arariboia não tinha “ojeriza” e adorava o carinho de estranhos. Era 50% sangue de Mastin Napolitano e encontra-se comigo na foto mais abaixo de nº 3.

Marquei este encontro com o Zito por três motivos básicos: (i) no segundo semestre de 1975 cada vez mais se comentava entre os criadores cariocas que criadores paulistas estavam miscigenando o FB com outras raças e eu, obviamente, não concordava com esta irregularidade, se esta fosse verdade. E era !!! (ii) Eu vinha cada vez mais conhecendo FBs de diferentes fenotípicos e os fotografava e desejava que o Zito visse estas fotos de cães tão diferentes. (iii) Além disto, meus três cães estavam crescendo e no final de 1975 apresentavam três cabeças muito diferentes. Como sabemos, a cabeça é a parte do corpo que mais define uma raça canina. Logo, como poderiam ser tão diferentes ? Bem, seriam, se houvesse a mestiçagem ilegal. E havia !!!

Vejam em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/1829.jpg e mais abaixo na foto nº 4 as três cabeças tão diferentes dos meus cães, todos adquiridos com pedigree emitidos pelo então BKC-FCI, com o selo de qualidade atestando a pureza racial garantida pela tradição de 100 anos da FCI, informando que estes 3 cães se tratavam todos de FBs PUROS. Isto é: que seriam cães de raça pura como determina o Estatuto da própria FCI. Mas não eram, apenas um era !!!

Era então óbvio que os rumores e primeiras evidencias da mestiçagem tinham sim fundamento. Por isto pedi para me encontrar com o Zito a fim de entender o que estava acontecendo. Vejam o Zito julgando numa expo do então RJKC na foto abaixo nº 5. Infelizmente Zito nada sabia sobre a mestiçagem e até ficou bastante surpreso e contrariado com as fotos que eu lhe mostrei de cães que, em nossa opinião, não seriam FBs Puros, independente de possuírem pedigree do então BKC-FCI.

           3-arariboia4-tres-cabecas5-zito

foto nº 3                               foto nº 4                                   foto nº 5.

Mas este encontro foi extremamente útil, pois Zito me recomendou que eu procurasse em Santos, SP, um advogado de nome Dr. Paulo Santos Cruz que era o precursor na criação do FB; tinha elaborado o primeiro Padrão do FB nos idos de 1950, juntamente com o veterinário Sr. Rewin Waldemar Rathsam e o criador de FB Sr. João Ebner; tinha organizado a criação do FB enquanto Raça; era juiz de FB e de outras raças no então KCP-BKC e FCI; era na opinião do Zito a maior autoridade em FB; tinha justamente escrito os capítulos sobre o FB que foram publicados  no livro do pai do Zito, o qual se encontrava esgotado (vide foto mais abaixo nº 6); tinha sido criador e juiz de Pastor Alemão quando dava aulas sobre esta raça em alemão; assim como foi criador de Dobermann, raças que trocou ao conhecer o FB; era renomado professor de cursos para juiz do BKC-FCI, tinha sido o primeiro brasileiro a exportar FBs para a Alemanha e, ainda, era proprietário do lendário Canil Parnapuan e criador e juiz extremamente respeitado… Vejam e leiam este livro em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/3-Documentos-ate-1974/3_3/materia.html .

Nota: por “pura” ironia quis o destino que o veterinário Sr. Erwin Waldemar Rathsam, que também assinou o primeiro Padrão do FB, julgasse e premiasse como  Melhor Ninhada da Expo a que se encontra na foto acima. Esta foi a minha primeira ninhada de apenas três que criei no meu Canil CAFIBRA (vide em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/15.html ). Esta ninhada possuía 25% de sangue de Mastin Napolitano, já que eram netos de Arariboia, assim como possuíam pedigree do então BKC e o selo de qualidade da FCI

Como gosto de pesquisar e aprender sou muito grato ao Zito por ter me aconselhado a conversar com o Dr. Paulo.

Afinal, meus amigos e amigas:

  1. se os primeiros mestiçadores – isto é, os paulistas Joao Batista Gomes do Canil Sete Barras e Ênio Monte do Canil ABC que importaram e se utilizaram de dois cães machos (!?!?!?!) da raça Mastiff Inglês; o também paulista e ex-policial rodoviário, Ibrahim Haddad Hercheu do Canil Bambarê, que conforme se comentava, pois este jamais conheci,  adquiriu um casal de Mastin Napolitanos pretos de um casal de italianos que retornava para a Itália; o mineiro Procópio do Vale do Canil Kirimauá, também chamado de Pai do Fila Preto, que se utilizou de cães da Raça Dinamarquês (Great Dane ou Dog Alemão) na coloração preta (foto nº 7 abaixo); a carta do Kennel Club Paulista datada de 11/09/78  atestado que J. B. Gomes e E. Monte possuíam cães Mastiff Inglês, cuja cópia recebi em Londres enviada pelo criador mineiro Carlos Alberto Barroso Pereira; minha Carta Aberta de Londres datada de 3/08/78 com uma denuncia completa sobre a mestiçagem (foto nº 8 abaixo) e a entrevista que o CAFIB realizou no Centro Hípico Paulista, SP com Ênio Monte (vide em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/novos/30_97/materia.html ) .

zzzxxx

Para acessarem estes documentos no meu site basta clicar em:

– J. B. Gomes: http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/18%20(42).jpg

– E. Monte: http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/1843.jpg

– P. do Valle: http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/1816.jpg

– Carta KCP de 1978: http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/8-Documentos-de-1978/8-21-A.jpg

– Carta Tio Chico de 1978: http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/8-Documentos-de-1978/8_14/materia.html

– Entrevista E. Monte de 2011: http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/novos/30_97/materia.html

  1. se os primeiros criadores de “filas-mestiços”, seus antigos parceiros e os atuais herdeiros apelidados de NAM`s (Neo Apologistas da Mestiçagem), assim como o trio cartório BKC-CBKC-FCI

…se estas pessoas e três clubes tivessem tido no início de suas criações o mesmo interesse que eu tive de conversar e aprender com o Dr. Paulo, certamente a moda da mestiçagem do FB principalmente com Mastiff Inglês, Mastin Napolitano e Dinamarquês (Great Dane ou Dog Alemão) na coloração preta não teria proliferado. Se bem que o então BKC, e na sequencia a partir de 1979 o CBKC, – data de criação deste clube – que tinham na época como presidente Henrique Pereira de Lucena, preferia mesmo era aumentar sempre seu faturamento e por isto registravam qualquer “cachorro grande e cabeçudo” como  sendo FB Puro, desrespeitando violentamente os Estatutos da FCI (vide em “Article 2 – Objectives” clicando em  http://www.fci.be/en/FCI-Statutes-39.html ). Justamente por isto o FB foi de 1977 até 1.982 a raça que mais registrou filhotes no BKC-CBKC-FCI, ficando em segundo lugar até 1.985 no CBKC.

Como todos sabem, esta “experiência” sem controle, jamais poderia ter sucesso, já que foi feita baseada na pura e simples falsificação de pedigrees, onde o produto desta mestiçagem jamais poderia ser devidamente acompanhada e selecionada. Ou seja, o simples desejo e crença de Ênio Monte de realizar, como ele nos relatou ao ser entrevistado pelo CAFIB, “…um choque de sangue” não se sustenta pelo modus operandi utilizado. Nesta entrevista, após o termino da gravação, ao me despedir de Ênio Monte disse para ele: “Dr. Ênio (*), em minha opinião, o senhor foi no FB uma pessoa de boa Fé e que desejava realmente melhorar o FB. Entretanto diferentemente do Cavalo Brasileiro de Hipismo que o senhor idealizou e criou do zero, o FB já existia… O senhor não respeitou este fato e esta enorme diferença”. Ele escutou, refletiu e nada me comentou…

(*) Ênio Monte criou do zero uma raça nova de  cavalo que ele chamou de Cavalo Brasileiro de Hipismo. Nesta criação não era fundamental as raças que foram usadas para cria-lo. O importante e fundamental é que este cavalo pulasse cada vez mais alto. Esta era sua função. Mas a enorme diferença era que o FB já existia e tinha seu tipo e temperamento já estavam definidos há muitos anos.

Obviamente uma “experiência” desta monta somente poderia ter sido realizada:

Dentro do âmbito do BKC-FCI:

A – com a concordância destes clubes e dos demais criadores de FB daquela época;

B – com a concordância expressa do então BKC que seria o responsável por manter, atualizar e controlar um Livro de Registros próprio para registrar e selecionar os cães mestiços produtos destas experiências;

C – o objetivo pretendido de fenótipo e temperamento deveria ser definido a priori de forma clara e aceita pelos demais criadores e clubes;

D – ou seja, os cães mestiços nascidos desta “experiência” jamais poderia receber pedigree de Fila Puro emitidos pelo BKC-CBKC-FCI;

E – esta “experiência” deveria ser feita e acompanhada por técnicos, veterinários, universidades, etc;

F – os cães mestiços fora do fenótipo idealizado pelos mestiçadores jamais poderiam ser registrados e seriam descartados. Deveriam ser dados como simples “vira-latas” que de fato eram;

G – os mestiçadores deveriam ter ciência que não tinham poderes para miscigenar a única Raça Brasileira já tipada, definida e reconhecida internacionalmente.

H – os mestiçadores deveriam ter ciência que toda e qualquer “experiência” pode dar errado !!! E deu !!!

Fora do âmbito do BKC-FCI:

I – os mestiçadores, ao contrário do exposto no item “F” acima, poderiam sim fazer qualquer tipo de experiência, a revelia dos demais criadores e clubes, mas tinham a obrigação de controla-la, de mantê-la exclusivamente num Livro de Registro próprio, onde seriam anotados os cruzamentos realizados, bem como os resultados destes;

J – jamais poderiam falsificar pedigrees e deveriam respeitar o mencionado acima nos itens os itens “C”, “E” e “F”.

Além disto, como lembrado acima qualquer “experiência” pode dar errado. E deu !!!

Ao contrário de uma experiência séria e controlada, que respeitasse no mínimo os itens acima, jantando com João Batista Gomes e Jacob Blumen (Canil Curumaú, Rio) descobri o que segue e pode ser lido em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/9-Documentos-ate-1979/9-24.jpg . Deste jantar sai com a nítida impressão que estavam querendo ganhar muito dinheiro com 55 cães mestiços que seriam apresentados como a grande “salvação” da Raça  FB. Ou seja, a salvação para o que os próprios mestiçadores causaram de errado mestiçando o FB com outras raças Justamente por isto escrevi minha Carta Aberta de Londres datada de 3/08/78 já postada acima.

11-estadao-acordo

Concluindo: na miscigenação praticada contra o FB, com apoio do trio BKC-CBKC-FCI que jamais contra esta se pronunciaram  atesta-se que:

K – o controle, acompanhamento técnico, objetivos pré-determinados, recursos financeiros necessários e prazo pré-determinado = a  zero, pois jamais existiram;

L – preferiu-se a simples, tola, amadora, ingênua e infrutífera falsificação de pedigree onde o fruto da mestiçagem jamais seria selecionado;

M – via um autoritarismo e uma prepotência inacreditável, dividiram a Raça FB em duas: o Fila-CAFIB que é homogêneo e o Fila-CBKC totalmente heterogêneo, caracterizado por muitos tipos diferentes de cães.

N – BKC-CBKC-FCI jamais fizeram uma única investigação decorrentes das dezenas de denuncias enviadas à estes clubes por criadores e  pelo CAFIB, jamais visitaram um único canil criador de “filas-mestiços”, jamais puniu um mestiçador e jamais retirou ou cancelou um único pedigree de um dos tantos “filas-mestiços” destes três clubes.

Ou seja, concluindo: se este mestiçadores, antigos e atuais, tivessem aprendido sobre o Verdadeiro Fila Brasileiro Puro com o CAFIB e o trio BKC-CBKC-FCI não se preocupassem apenas com seu faturamento, certamente hoje não teríamos os cachorros com pedigree de FB apelidados pejorativamente de fila-atarracado, fila-toy, fila-pet, mastifila, napofila, fila-preto, fila-gigante, roitt-fila, blood-fila, fila-dócil, fila-peludo, fila-carregado, filamarquês, fila-salada-genética e até o fila-aberração”  

 

2. Descobrindo e aprendendo com o Dr. Paulo Santos Cruz

Bem continuando com a minha aproximação com o Dr. Paulo:

Logo na segunda-feira seguinte a este encontro, antes de chegar ao meu trabalho, passei bem cedo num sebo que existia na Rua da Quitanda, no Centro do Rio e, com espantosa facilidade, encontrei o livro do Velho Hermanny. Na hora do almoço folheei avidamente o capitulo sobre nosso FB e imediatamente realizei que estava finalmente lendo um texto de alguém – Dr. Paulo Santos Cruz – que realmente conhecia profundamente o FB. Até que enfim, pela primeira vez desde Janeiro/74 – quase dois anos depois de me iniciar no FB — eu lia informações realmente abalizadas sobre o FB, longe dos achismos, disse-que-me-disse e teorias absurdas tão comuns entre os criadores e mestiçadores daquela época. Se bem que infelizmente até hoje estes tipos de pseudo-intelectuais do FB encontramos principalmente nos facebooks em conversas sem nenhum conteúdo histórico e técnico. A grande maioria que compra FB no sistema CBKC-FCI no dia seguinte se acha um expert em FB e que seu cão será um grande campeão e excelente padreador… No Fila-CBKC tudo é fácil, tudo é permitido, qualquer cachorro grande e cabeçudo recebe pedigree de FB Puro… Mas isto jamais ocorreu no Fila-CAFIB.

Naquela época eu trabalhava na Diretoria de Commodities de uma grande trading company brasileira e era responsável pelo escoamento de soja e milho do interior do Brasil ate os nossos portos. Depois fui promovido a Operador de Milho, quando fui trabalhar em New York no segundo semestre de 1976.  Quando retornei ao Brasil no Natal/76 fui promovido a Operador de Soja, sendo logo depois transferido para trabalhar em Londres onde residi em 1978 e 79.

Inicialmente responsável pelo transporte de grãos eu conhecia e trabalhava com muita gente no Porto de Santos que naquela época, juntamente com o Porto de Rio Grande, RS, eram os dois principais portos de escoamento da safra agrícola brasileira. Assim, em 24 horas um funcionário do Pool de exportação me ligou me passando o telefone do Dr. Paulo Santos Cruz que era um advogado muito respeitado e conhecido em Santos.

Abaixo nosso querido e inesquecível Dr. Paulo, que além de ter sido um grande amigo dos fundadores do CAFIB, é o Pai da Raça Fila Brasileiro, fundador e Mestre de Criação do CAFIB. O título de Mestre de Criação é exclusivo do Dr. Paulo, visto que o CAFIB não terá outro Mestre de Criação:

7-pscruz

Acima: Dr. Paulo nas duas primeiras fotos. Na terceira, Dr. Paulo ao final da Expo do CAFIB em Campinas no ano de 1983, ao lado dos criadores Pedro Borotti com Cauana do Amparo e José Maria Resende, com Saci do Querequexê, vencedores de Melhor Fêmea e Melhor Macho. Esta Expo foi presenciada por Christofer Habig, grande amigo do Fila PURO e do CAFIB, que mais tarde viria a ser vice-presidente da FCI (vide em https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/2012/08/25/post-no-34-tio-chico-informa-no-16-a-importancia-de-chris-habig-enviado-em-250812/  ). Chris estava comigo no Rio, visitamos o BKC de Lucena, conseguimos dele o primeiro frágil depoimento dele sobre a mestiçagem (vide em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/10-Documentos-de-1980-a-1983/10-14.jpg , já que o segundo, desta vez para o prefácio do livro de Toninho Linhares Borges, é definitivo: http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/11-Documentos-1984-ate/11_20a/materia.html )  e depois levei-o para Campinas.

Além disto, Chris Habig apesar de jovem já era renomado juiz da FCI especialista em Molossos e editor da importante revista europeia Molosser Magazin que sempre defendia o FB PURO e o CAFIB, além de não aceitar a existência do chamando “fila-preto”. E não foi só: em Maio de 1984 Chris Habig convidou o Dr. Paulo para participar das comemorações do “Dia do Fila” e do 30º aniversário da chegada do primeiro Fila  na Alemanha, que foi importado pelo Príncipe Albrecht Von Bayern justamente do Canil Parnapuan. Nesta oportunidade  Dr. Paulo proferiu uma palestra em alemão e realizou uma Análise de Fenótipo e Temperamento (AFT) nos FBs alemães, sendo ciceroneado pelo nosso querido amigo Chris.

Chris como um bom alemão era muito sincero e objetivo e mandou a carta da foto nº 11 que segue mais abaixo para o Procópio do Vale quando este teve a petulância de convidá-lo para escrever para o livro que este organizava:

Abaixo encontram-se o original e sua tradução da carta de C. Habig enviada a Procópio do Vale em 26/06/79 declinando do convite para escrever no livro de autoria do Procópio e informando que os criadores de FB da Alemanha apoiavam o CAFIB e não miscigenam seus FBs como ocorria no Brasil !!!  Vide foto nº 11. Esta  carta foi anexada ao  oficio nº 79-821 do BKC, datado de 18/07/79, assinada por seu  presidente,  Henrique Pedreira de Lucena, que puniu todos os fundadores  do CAFIB  não os homologando como  juízes do BKC (grande coisa…) e  colocando  sub judice  o  Dr. Paulo proibindo-o  de julgar. O mais cômico deste inútil oficio: como eu não era juiz minha absurda punição foi o Lucena “decretar” que eu era “persona non grata” e que assim não tinha poderes para me expressar sobre a  Raça FB. Logo o futuro Tio Chico e o  meu bom conhecido, o ex-padre Leonardo Boff,  teríamos que cumprir a  punição conhecida como “silêncio obsequioso”… Meu Deus, quanta tolice… O mais engraçado é que Leonardo Boff e eu escrevemos livremente, e muito, até hoje… E o Sistema cartorial BKC-CBKC-FCI e os criadores de “filas-mestiços” com pedigree continuam omissos e se escondendo sem argumentos…

Para ler este oficio completo basta clicar em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/9-Documentos-ate-1979/9_12/materia.html

Nesta mesma noite de segunda feira de Dezembro/75 liguei para o Dr. Paulo e ele me atendeu muito gentilmente. Achou ate gozado depois de tanto tempo um carioca ligar interessado em FB. Ocorria que ele há alguns anos – mesmos sendo juiz do CBK-FCI, de ser professor em cursos para juiz da FCI, de ter sido presidente do Santos Kennel Clube por 18 anos, de ser famoso palestrante inclusive para admiradores da raça Pastor Alemão, estava totalmente afastado de todo o tipo de cinofilia pois discordava de sua politica e de tantos egos inflados e interesses pessoais que ocorriam paralelamente aos da verdadeira cinofilia. Mas eu, como sempre muito otimista, vislumbrei uma chance pois, afinal, o Dr. Paulo ainda possuía FBs em sua casa, sendo um deles o temido Henequem…

Uma curiosidade: o Dr. Paulo me chamava em nossos longos e semanais telefonemas de Chico ou Peltier. Recentemente Airton Campbell comentou comigo que ele nas reuniões semanais do CAFIB em São Paulo me chamava de “Jovem Carioca Incansável e Persistente”… Adorei…!!! Aliás, 42 anos depois, continuo jovem e ainda mais incansável e persistente no que diz respeito ao Verdadeiro Cão de Fila Brasileiro, independente de clubes e imaginando uma Raça FB totalmente Pura, unida e única !!!

Estes nossos telefonemas eram realmente constantes e eu adorava aprender naquela fonte inesgotável de sabedoria e conhecimento sobre a Raça FB, como também sobre os mais diversos assuntos. Afinal, Dr. Paulo teve uma ótima instrução, era muito culto, advogado renomado, e além de FBs possuía um enorme viveiros de pássaros e colecionava relógios antigos todos funcionando e badalando em sua casa. De quebra era casado com uma “santinha” de Niterói: Tia Antonieta…

Seu conhecimento sobre o FB era tão grande que quando o visitei pela primeira vez em Fevereiro de 1976 ele me mostrou os manuscritos do livro que ele estava escrevendo de próprio punho num grosso caderno da antiga e famosa marca Companheiro. Basta contar que ele me mostrou o item “orelha” que era subdividido em 10 subitens… Infelizmente, após seu falecimento, este caderno jamais foi achado. Devido a este fantástico conhecimento foi tão fácil para ele escrever um dos primeiros e mais sensacionais artigos que foi publicado no jornal O FILA nº 1 de Dez/78 (foto abaixo nº 12), que era editado pelo fundador e juiz do CAFIB, jornalista Luiz Antônio Maciel, intitulado “Como distinguir um Fila Puro de um Mestiço”. Vide em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/12-CAFIB%20BRASIL/12_1/materia.html ou no site do CAFIB em http://www.cafibbrasil.com/ofila.html onde se encontram arquivados todos os 42 números deste excepcional jornal.

7-1-cartas-habig

12-o-fila-como

foto nº 11                                                         foto nº 12

Da mesma forma, se os primeiros mestiçadores, seus herdeiros de hoje, os NAM`s, e o trio cartório BKC-CBKC-FCI tivessem estudado este artigo a mestiçagem não teria prosperado. Simples assim… Mas criador de FB é preguiçoso, não gosta de estudar e acha que sabe tudo de FB… Mesmo os que são analfabetos-funcionais… Logo após adquirir seu primeiro FB ou seu primeiro “fila-mestiço” – que certamente será campeão e um excelente padreador – esta turma de sabichões abre uma conta no facebook e passa a escrever tolices e mais tolices…

O fato é que minha visita ao Dr. Paulo se transformaria numa grande revolução na criação do FB. Ele, que estava afastado da cinofilia, se indignou ao ver as fotos dos mestiços de FB que eu lhe mostrei, principalmente do chamado “fila-preto”. Vide estas fotos em http://www.cao-filabrasileiro.com/#!__orga . Ele ficava pensativo, meio que duvidando do absurdo que eu lhe comprovava e eu apelei encarecidamente para que ele voltasse e ajudasse a salvar o Verdadeiro FB da extinção. Afinal ele era o grande responsável pela existência do FB… Dr. Paulo ficou de pensar… Finalmente, depois de muitas e muitas conversas telefônicas, em 23/06/76 ele me enviou uma carta (vide http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/4-Documentos-de-1975-e-1976/4_15/materia.html ) que eu interpretei como sendo o seu retorno e imediatamente pedi que o jornalista Paulo Godinho publicasse uma nota a este respeito em sua coluna semanal no Jornal do Brasil, na época, juntamente com o Jornal O Estado de São Paulo, os dois mais respeitados jornais brasileiros. Desta forma procurei tornar seu retorno público e, portanto, irreversível…  Alias, a nota do genial Paulo Godinho extrapolou com o título “A Volta do Grande Mestre”. Vide em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/4-Documentos-de-1975-e-1976/4-17.jpg e ambas na foto nº 13 mais abaixo:

A fim de comprometer o Dr. Paulo total e definitivamente com o resgate do FB, insistia com ele em dois temas que o incomodavam muito: o terrível término do Registro Inicial (RI) que beneficiava os ”filas-mestiços” com  pedigree do BKC-FCI que era adorado pelos primeiros mestiçadores e seus seguidores (por favor, lembrem-se que o RI nada mais é do que a AFT criada pelo CAFIB e realizada até hoje antes de nossas Expos e a disposição dos criadores interessados) e o tal do mestiço “fila-preto” que tanto indignou o Dr. Paulo. Vejam em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/5-Registro-Inicial-FILA-BRASILEIRO/5-1.jpg e em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/7-Cao-Preto-x-Fila-Puro/7_2/materia.html assim como foto nº 14 abaixo:

         13-a-volta-do-grande14-ri-e-fila-preto

foto nº 13                                                   foto nº 14

Nota: é claro que antes de escrever e publicar meus artigos eu conversava com o Mestre de Santos… Como hoje ainda muitas vezes faço o mesmo com Airton Campbell, Jonas Iacovantuono, Américo Cardoso e Luiz Maciel… a quem muito agradeço.

Obs: Orgulho-me muito de ter sido o primeiro fileiro a denunciar e me colocar veementemente contra o fechamento do Registro inicial (RI) pleiteado e conseguido pelos primeiros miscigenadores junto ao irresponsável BKC de Lucena que, excluindo os Filas Puros sem registros que o CAFIB foi resgatar principalmente no Sul de Minas Gerais e no interior de São Paulo – onde o BKC não possuía filiais, nem se encontrava presente num Brasil continental, nem dava nenhuma facilidade para que o pedigree fosse obtido — ,  priorizava os recém-fabricados e inventados “filas-mestiços” daquela época… E, principalmente, os cães importados de outras raças em detrimento da cinofilia nacional. Orgulho-me muito de ter sido também o primeiro fileiro a denunciar e me opor firmemente à criação do chamado “fila-preto” que naquela época apelidei de “filamarquês”, produto da cruza de Fila tigrado com Dinamarquês preto.

Confesso que me entristece muito o medo e, me perdoem, a covardia dos criadores sérios de Filas Típicos do CBKC-FCI que não se organizam e se insurgem contra os dirigentes destes dois clubes e os criadores de “filas-mestiços”. Afinal, eu os enfrentei com muito menos conhecimento, sozinho e com apenas vinte e pouco anos de idade sem temor.

Devido a minha aproximação com o Dr. Paulo, aprendi muito com o Pai do Fila Brasileiro, me senti seguro e respaldado por ele e fui mais confiante à luta em defesa do Fila Puro. Com vinte e poucos anos fui o primeiro a denunciar sistematicamente a mestiçagem e enfrentar o poderoso Henrique Pereira de Lucena, então presidente do BKC e os primeiros mestiçadores; em Março de 1976 escrevi e publiquei – como apoio do jornalista e juiz all rounder do BKC Paulo Godinho que era editor da revista carioca Animais & Veterinária, — meu primeiro artigo que foi reproduzindo na coluna semanal que eu mantinha (imaginem a minha audácia e petulância…) no jornal carioca O Diário de Noticias (vide em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/4-Documentos-de-1975-e-1976/4_5/materia.html ):

15-expressao-maxima

Com o passar do tempo o Dr. Paulo foi se reintegrando a cinofilia e principalmente ao FB. Passou a escrever com constância artigos e dava entrevistas que eram publicadas na revista Animais & Veterinária, Jornal do Brasil e na coluna semanal de Antonio Carvalho Mendes publicada no Jornal O Estado de São Paulo.

 

3. Dr. Paulo Santos Cruz e o CAFIB

Entretanto o Dr. Paulo foi convidado no primeiro semestre de 1978 para dar um curso sobre o FB no Centro Cultural Itamaraty, localizado na cidade de São Paulo. Desde curso participaram entre outros Airton Campbell, Américo Cardoso, Roberto e Marilia Maruyama e Marilda Mallet. Este curso foi segundo Américo Cardoso o embrião do CAFIB. Eu estava em Londres e nem fiquei sabendo destas ótimas notícias…

Mais detalhes da criação do CAFIB voces podem encontrar em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/12-CAFIB%20BRASIL/12_01/materia.html onde voces poderão ler:

16-cafib

Como é sabido a Comissão CAFIB durou poucos meses e não aceitou permanecer no Sistema CBKC-FCI visto que estes doi$ cartório$ canino$ não se preocupavam com a mestiçagem e sim com seu faturamento, enquanto que o CAFIB desejava RESGATAR, APRIMORAR e PRESERVAR o FB, em sua pureza racial. Então o CAFIB rompeu com o CBKC e nos tornamos um clube independente.

Nos aproximamos do Ministério da Agricultura e depois de longa exposição de motivos coordenada com muito afinco e precisão por Luiz Antonio Maciel, em 1980 foi concedido ao CAFIB o direito de registrar o FB. Esta grande vitória do CAFIB pode ser conhecida em detalhes em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/13.html .

Mas encarecidamente peço publicamente que cafibeanos como Américo Cardoso, Airton Campbell e Luiz Maciel escrevam e disponibilizem para a posteridade a história dos primeiros anos do CAFIB que neste particular eles conhecem mais do que eu.

A mestiçagem naquela época era tão comentada que no nº 12 do jornal O Fila do CAFIB, lançado em novembro de 1.979, na página 11, encontra-se o artigo: A lista dos Filas fora do padrão. Vejam mais abaixo foto nº 17. Alias, os mestiçadores, os dirigentes do trio BKC-CBKC-FCI daquela época nunca discordaram desta lista. Aqueles que atacam o CAFIB, inclusive criadores de antigos e novos clubes sempre que confrontados, se omitem e desaparecem…

 

4. A importância da imprensa e na divulgação para salvar o FB da extinção

Agradeço muito a imprensa por ter tido a sensibilidade de reconhecer que o CAFIB, ao contrario do trio BKC-CBKC-FCI e a maioria de seus sócios e clubes, estava realizando um trabalho sério, digamos, até ecológico, de preservação de um animal brasileiro que caminhava para a extinção devido à mestiçagem sem objetivos, sem controle e ilegal, visto se basear na falsificação de pedigrees.

Em especial agradeço ao jornalista Paulo Godinho que nas páginas do Jornal do Brasil e da revista Animais & Veterinária a partir de 1975, assim como também o jornalista Toninho Carvalho Mendes um pouco mais tarde nas páginas do Jornal O Estado de São Paulo, na época os dois mais importantes jornais do Brasil, sempre defenderam o Fila Puro e o CAFIB. Foram centenas de colunas destes dois jornalistas defendendo o Fila PURO e o CAFIB, sendo as principais digitalizadas e postadas no meu site (http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/ ).

Neste meu site voces encontrarão também um menu especial chamado A Importância da Imprensa clicando em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/16.html

Agradeço também ao colunista Ibrahim Sued que muito prestigiou o FB e o CAFIB em sua coluna diária no jornal O Globo. Tanto que foi criado pelo CAFIB-Rio o Premio Melhor Temperamento Ibrahim Sued, (foto nº 22 mais abaixo). com o qual era homenageado o FB de Melhor Temperamento nas nossas 14 exposições que realizamos na Barra da Tijuca. Este troféu era um presente do CAFIB – Vale do Guaratinguetá, sob o comando de Sebastião Monteiro e do professor, palestrante e âncora da TV CAFIB, Jonas Tadeu Iacovantuono. Agradeço também os jornalistas Ricardo Boechat, Zózimo Barroso do Amaral, entre muitos outros, além da TV  Globo, TV Educativa, a antiga TV Manchete e a antiga Radio Guanabara que cobriam e divulgavam nossas Expos sempre em defesa do Fila Puro. Agradeço também a revista alemã Molosser Magazin editada por Christofer Habig  (foto nº 18 abaixo) e mais recentemente a revista americana Modern Molosser editada por Denise Flaim (vide https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/2016/11/08/post-n-421-tio-chico-informa-156-a-revista-americana-modern-molosser-publicou-um-excelente-artigo-sobre-o-fila-brasileiro-data-8112016/ ), foto nº 19 abaixo.

 

17-lista-fora-do-padrao22-modern-e-molosser23-1-modern-e-molosser

foto # 17                                       foto # 18                                  foto # 19

Vejam também abaixo o importantíssimo apoio que recebemos da imprensa não cinófila no Brasil:

        18-imprensa-119-imprensa-221-imprensa-4

foto # 22

Ou verifique clicando em: http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/16-IMPRENSA-FILA-BRASILEIRO/16-1.jpg , http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/16-IMPRENSA-FILA-BRASILEIRO/16-21.jpg , http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/16-IMPRENSA-FILA-BRASILEIRO/16-23.jpg , http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/16-IMPRENSA-FILA-BRASILEIRO/16-24.jpg http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/16-IMPRENSA-FILA-BRASILEIRO/16-30.jpg , http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/16-IMPRENSA-FILA-BRASILEIRO/16-34.jpg e http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/1837.jpg .

O mais engraçado é que muitas colunáveis e socialites cariocas ligavam, para mim e, principalmente, para meus pais perguntando: — “Por que o Ibrahim põe as fotos dos cachorros do Chico na coluna dele e não põe a minha ou de minha família ?”… rsrsrs… Ora, porque o Ibrahim era muito vivo e foi capaz de sentir a importância ecológica da sobrevivência da única raça canina brasileira… Enquanto que “peruas”, existem muitas… rsrsrs… Muito gozado também é comentar que o presidente do BKC-CBKC, Henrique Pereira de Lucena, adorava coluna social e morria de medo do Ibrahim… Como muitos, aliás… Para os fileiros novos que também não sabem quem foi o Papa do Colunismo Social no Brasil, Ibrahim Sued, basta clicar em:  https://pt.wikipedia.org/wiki/Ibrahim_Sued .

 

5. Meus eternos agradecimentos ao CAFIB

Como sempre registro, reitero que serei eternamente grato ao CAFIB, seus fundadores, diretores e principais criadores, ainda mais aqueles que se empenharam no CAFIB na salvação do Fila PURO de 1978 até 1.990, pois estes foram os anos mais duros que enfrentamos. Basta clicar em https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/2016/05/09/post-n-362-perguntem-ao-tio-chico-no-131-o-inicio-da-formacao-do-plantel-cafib-quase-40-anos-atras-demonstrado-via-fotos-das-primeiras-afts-o-trabalho-unico-de-recuperacao-e-apr/ para ver como eram a frequência e tipicidade dos cachorros e FBs que compareciam às nossas primeiras Análises de Fenótipo e Temperamento e Expos do CAFIB.

Mesmo sabendo que cometerei esquecimentos, e desde já me desculpando, agradeço especialmente ao Dr. Paulo e Tia Antonieta (falecidos);  Airton, Rose e Mariana Campbell (será presidente do CAFIB, podem apostar…) do Canil Parque do Castelo; Américo e Cleide Cardoso do Canil Araguaya;  Luiz Maciel do Canil Barra do Bugre e editor do jornal O FILA ; Luciano e Denise Gavião do Canil Serra Dourada; Pedro e Eliziane Borotti do Canil Embaré; Jorge e Marisa Hino do Canil Hisama; Roberto e Marilia Maruyama do Canil Moinho Velho, Jose Souto Maior Borges do Canil da Fazenda Santa Paula e editor do jornal O FIBRA; Antonio da Silva Lima; Lineu Siqueira Jr. do Canil Fazenda Carolina;  Sergio Salgado de Oliveira do Canil Fazenda Poço Vermelho; Edmundo Contador Brandão do Canil três Curumins; Bernadete Soares de Oliveira do Canil Fazenda da Malota; Jonas e Verônica Iacovantuono, Walter (falecido) e Fabiano Nunes, do Canil Jawa; Sebastião (falecido), Domingos e Leo  Monteiro; Giovani Éder Carvalho do Canil Itapuã; Jurandir Meirelles; Ivan Roussef do Canil Balacobaco;  Genoí Faria do Canil Cunhatã; Waldomiro Castilho; Paulo Angotti do Canil Ibituruna; Jose Hamilton Alves Pereira do Canil Aquenta Sol; Iliano Pinto Ribeiro do Canil Engenho Velho; Toninho Linhares Borges do Canil Caramonã; Romero Tostes Pinto (falecido) do Canil Heropama; Gerson e Cintia Ribeiro Junqueira de Barros do Canil Itanhandu; Joao Nunes do Canil Alufan; Ernani Santa Rita (falecido); Ricardo Pacheco; Half Maas do Canil Ranor; Italo  Di Marzio  do Canil Princesa D’Oeste; José Gonçalves Franco Junior; Nelsinho e Édina Fernandes do Canil Mantiqueira; Caico Amaral do Canil Amparo; Marília Barroso Pentagna do Canil Boa Sorte;

Agradeço ainda muito a Antonio Alves Freire, Vicêncio Lomba Lima, Carlos Feijó, Helio Touriel,  Augusto e Marilia Canizza, Evandro Ballesteros, Gustavo Ribas, Helson Lemos, sem o apoio dos quais o CAFIB-Rio não teria sido um sucesso realizando 14 Expos na Barra da Tijuca.

No exterior agradeço também a Jaime Pérez Marhuenda e Elvira Pizones Fernández do Canil Acablocado; Inês Van Damme do Canil Los Tres Naranjos, ambos da  Espanha; Daniel Balsas do Canil Piedras de Afilar do Uruguai; Jerry Trias da República Tcheca; Linda Maggio nos USA e Aniello Aliberti da Itália.

E a muitos e muitos outros a quem mais uma vez peço desculpas pelo esquecimento involuntário…

Cabe-me comentar que a turma do CAFIB deu ao Dr. Paulo e a Tia Antonieta, a verdadeira administradora do Canil Parnapuan, um excelente final de vida. Com a volta deste casal ao mundo do FB eles ganharam muitos e queridos sobrinhos. Dr. Paulo viajava toda sexta-feira de tarde para São Paulo dar o curso onde floresceu o CAFIB, retornando sábado de madrugada; visitou o interior do Brasil na companhia dos fundadores do CAFIB a fim de obter Filas Puros;  percorreu muitas cidades brasileiras julgando e ministrado cursos. Foi homenageado indo até a Alemanha… Passou a ser o Mestre de Criação do CAFIB e escreveu artigos memoráveis destruindo as falsas teses que defendiam a miscigenação. Mas sem o Dr. Paulo, tenho plena convicção de que o CAFIB não se tornaria uma realidade, eu não teria conhecimento e suporte histórico e técnico para iniciar em 1976 minhas persistentes e constates denuncias, o CAFIB não teria formado tantos juízes, não teria o seu Padrão racial respeitado, admirado e até copiado em todo o mundo e até no Brasil. Afinal o CAFIB será sempre o único clube responsável por ter resgatado da extinção o Cão de Fila Brasileiro PURO, tal qual herdamos da Mãe Natureza. Dr. Paulo faleceu em 27/09/1990  proporcionando 13 anos de cultura e ensinamento indispensáveis para o CAFIB se desenvolver. Pois me lembro agora que logo após seu falecimento alguns dos primeiros miscigenadores e seus seguidores os conhecidos NAM`s (Neo Apologistas da Mestiçagem) , isto, aqueles que ainda hoje cruzam e possuem “filas-mestiços” com pedigree, alardearam que seria o fim do CAFIB… Mais uma tolice desta turma reincidente em tantos erros… Lá se vão 27 anos e o CAFIB vai muito bem obrigado… Apesar de ter sido furtado em grande parte de seus bens e patrimônio, tais como site, senha, registros, documentos, arquivos, dados, fotos, centenas de jornais O FILA e de ser somente copiado por um recém criado clube que apregoavam que iriam revolucionar e inovar a criação do FB,  mas nada faze além de copiar o CAFIB… E muito mal !!! Vide em http://www.cafibbrasil.com/leitor_not/items/comunicado-do-cafib-aos-proprietarios-e-criadores-de-fila-brasileiro-no-brasil-e-no-mundo.html ).

 

5. Os “fileiros-analfabetos-funcionais”

Enquanto isto os “fileiros-analfabetos-funcionais” e os “fileiros-de-filas-mestiços” tolos e infantis me designam com apelidos pejorativos e falsos nos facebooks de forma agressiva e deseducada, me xingam, me enviam emails repletos de palavrões, me ameaçam fisicamente, afirmam que eu não posso escrever e responder perguntas ou que sou porta-voz do CAFIB… Mas o fato concreto é que não são nunca capazes de contra argumentar ou de refutar com inteligência, fundamentos e razões meus artigos, pensamentos e centenas de argumentos sólidos e comprovadosE muito menos tem capacidade de discordar da Filosofia de Criação do CAFIB !!! E contra argumentar discordando seria o mínimo que deveriam fazer, mas, não tendo argumentos se tornam totalmente  incapazes e, ai, injuriam, caluniam, mentem, se omitem e somem… Mas o Tio Chico retribui mostrando que – mesmo sem criar a quase 40 anos, pois se recusou a criar “filas-mestiços”, mesmo sendo possuidores de pedigree emitidos pelo então BKC e com o selo de pureza racial da FCI e de ter sido bajulado pelo BKC e CBKC do Lucena, os devolveu ao Canil dos Pampas, que foi também mais uma vítima dos primeiros mestiçadores, o que ele fez nestes últimos 42 anos pelo resgate, salvação e preservação do Cão de Fila Brasileiro PURO.

Pois eu desafio a todos voces apresentarem e compararem os seus currículos no FB com o do Tio Chico resumido neste artigo.. Aceitam este desafio ? Basta enviarem para meu email seus currículos. Tá apostado !!!…

6. Comparando os planteis CAFIB x CBKC: E precisa ?

Estes criadores acima mencionados e muitos e muitos outros que se juntaram ao CAFIB e foram inteligentes e capazes de entender, seguir e contribuir para a Filosofia de Criação do CAFIB, depois de 39 anos chegaram a este plantel típico, homogêneo e PURO que exemplifico abaixo:

         23-filas-cafib-124-filas-cafib-2

25-filas-cafib-326-filas-cafib-4

27-filas-cafib-529-filas-cafib-7

30-filas-cafib-8

Nota: a primeira foto acima é da cabeça do famoso Fila Puro chamado Lord, tirada na década de 70, com o legendário criador Zé Gomes de Oliveira – MG. Ou seja exatamente igual ao Filas-CAFIB. Logo, a Raça FB já esta fixada há anos… Mas o “juiz” A. Bacci acha que FB é cão mestiço, vira-lata….  Só mesmo se ele se refere ao “fila” criado e registrado no CBKC-FCI…

Infelizmente, outros criadores de “fila” e de “filas-mestiços”, assim considerados pelo CAFIB, preferiram acompanhar os primeiros miscigenadores e o trio cartório BKC- CBKC-FCI. Recordo-me dentre aqueles primeiros seguidores cujas criações encontravam-se fora do Padrão CAFIB, já mencionados no jornal O Estado de São Paulo e, depois, no jornal O FILA nº 12 os seguintes: Canil Curumaú, de Jacob e Andréia Blumen; Canil Cachoeira, de Ailton e Marly Milward de Azevedo; Canil Corumbá, de Jether Benevides Garotti;  Canil Samor, da família Sampaio Moreira; o Canil do Camping, de Clélia Kruel; o Canil Kirongozi, de Achileu Nogueira Filho; Canil Embirema de Wagner Bacconi; Canil Rio Negro de Raul Pereira; Canil Odnamra of Tenopmap de Armando Pires Pamponet; Canil Cruzeiro do Sul de Osni de Moraes Pinto; Consorcio Japonês do Canil Brasdog; além dos criadores Ivan Alves Corrêa de Brasília e Armando de Souza Reis de São Paulo.

Estes canis acima mencionados tiveram como seus seguidores e herdeiros nesta mestiçagem incontrolada, sistêmica e institucional, já que contou com o apoio institucional do BKC-CBKC-FCI, os criadores que hoje chamamos NAN`s (Neo Apologistas da Mestiçagem ) que depois de mais de 40 anos sem liderança, conhecimento, foco, objetivo e sem um fenótipo e temperamento pré-estabelecido e rigidamente fiscalizado, chegaram a uma quantidade enorme de tipos diferentes, heterogêneos e atípicos. Estes cães estão muito longe do padrão CAFIB e são os chamados ““fila-atarracado, fila-toy, fila-pet, mastifila, napofila, fila-preto, fila-gigante, roitt-fila, blood-fila, fila-dócil, fila-peludo, fila-carregado, filamarquês, fila-salada-genética e até o fila-aberração”. Ou seja são os chamados Mastim Brasileiros (vide em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/novos/pergunte_chico_3/materia.htm ) que seguem exemplificados abaixo em seus tipos tão diferentes:  

32-filas-cbkc-133-filas-cbkc-2

35-filas-cbkc-441-filas-cbkc-10

43-filas-cbkc-1244-filas-cbkc-13

AFINAL, QUE TIPO DE PLANTEL DE FILA BRASILEIRO VOCE PREFERE ?

O plantel do FILA-CAFIB típico e homogêneo ou os diversos tipos heterogêneos e atípicos do “fila”-CBKC-FCI ? Em que clube voce encontra o que eu chamo há 40 anos de Pureza Racial em que clube voce encontra o que eu também chamo há 40 anos de SALADA GENETICA”?

Ou seja, meus amigos e amigas, infelizmente os criadores sérios de FB típico do CBKC-FCI (vejam o plantel destes criadores clicando em https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/2013/11/25/post-no-142-tio-chico-informa-no-54-fotos-de-56-filas-tipicos-do-cbkc-data-221113/ e em

https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/2015/02/06/post-no-242-tio-chico-informa-no-88-fotos-de-mais-25-filas-tipicos-do-sistema-cbkc-fci-enviado-em-40215/ ) , assim como os criadores de “filas-mestiços” destes dois clubes, depois de mais de 40 anos de falta de objetivo racial pré-determinado, sem liderança, sem conhecimento, sem controle, sem APR, sem AFT, sem a ajuda financeira dos riquíssimos CBKC-FCI chegaram somente ao Mastim Brasileiro, vide em: http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/novos/pergunte_chico_3/materia.html . Ou o Tio chico esta errado ?

Quem discordar do Tio Chico, por favor envie seus educados e inteligentes argumentos contrários aos meus de forma clara e bem redigida para meu endereço eletrônico (fbcp2009@uol.com.br ). E vamos conversar estes assuntos de forma civilizada. Desde já muito grato.

 

6. Concluindo:

Meus amigos, o fato é que eu sozinho, com 20 e poucos anos, discordei imediatamente da mestiçagem, que para mim não fazia nenhum sentido.

Eu me infiltrei no meio de muitos destes mestiçadores e seus seguidores, principalmente, João Batista Gomes, Procópio do Valle e Jacob Blumen, passando a tomar conhecimento do absurdo, amadorismo, falta de controle e objetivos efetuados por estes aprendizes de feiticeiros que brincavam de Deus, desorganizando geneticamente uma Raça canina fixada há tanto tempo.

Ora, se voce cruzar o melhor Pastor Alemão do mundo com o melhor Boxer do mundo, talvez nasça o melhor Vira-Lata ou mestiço do mundo… Não existe este tal de “choque sanguíneo” sem controle, sem registros corretos adequados, sem acompanhamento técnico-científico, sem muito trabalho e, pior, com falsificação de pedigree. 

Além disto, existia muito comercio, marketing e muita vontade de se ganhar dinheiro fácil. E naquela época o FB virou infelizmente moda… E mais ainda o tal do “fila-preto” que é a cor mais comercializada do mundo em todos os segmentos de produção…

Mas infelizmente creio que o dirigente do CBKC, Sergio Castro, e os da FCI, Rafael de Santiago, Gerard Jipping, Raymond Triquet e Yves De Clercq,  apesar de totalmente cientes destas terríveis irregularidades que desrespeitam frontalmente os Estatutos da própria FCI no seu “Article 2 – Objectives” (vide em http://www.fci.be/en/FCI-Statutes-39.html ) que só permite a criação de cães de raça pura, vão continuar se “esquecendo”, se omitindo e faturando com a criação e registro de cachorros grandes e cabeçudos como se fossem FB. Os criadores sérios de FB típicos do CBKC-FCI continuarão se omitindo sem liderança e com medo de reagir e os criadores de “filas-mestiços” continuarão gostando mais de seus cachorros mestiços, fingindo que criam FB Puro, e dizendo que adoram e trabalham em prol da raça FB…

E a FCI prefere se esquecer que pouco tempo atrás resolveu idêntico problema de mestiçagem que existia na Raça Akita do Japão…

Afinal, como tenho afirmado,  se o FB fosse alemão ou inglês, seria uma das raças caninas mais populares e amadas em todo o mundo, pois teria sido criado e preservado num pais civilizado onde um clube como o CAFIB seria por todos respeitado e admirado, a começar pela própria FCI, que o apresentaria ao mundo como exemplo de clube a ser seguido e copiado. Se o CAFIB fosse alemão ou inglês, por ter resgatado esta raça animal da extinção, seria idolatrado pela imprensa e reconhecido como clube de utilidade publica e ecológica. Mas, esquecido pela FCI e no Brasil, criado por criadores e administrado por clubes dirigidos por “analfabetos funcionas” deu nesta grande mestiçagem.                                                                                    

Mas, Graças a Deus e ao nosso trabalho o CAFIB existe.

7. Finalizando:

yyy

Nota super especial: agradeço muito aos meus amigos Airton Campbell, Jonas Iacovantuono, Américo Cardoso, Luiz Maciel, Pedro Borotti e Cintia Junqueira que me ajudaram na coleta de alguns dos dados e informações que fazem parte deste artigo.

Desejando a voces todos um excelente Carnaval,

Abraços, Chico Peltier.

Note: as I have always done with all emails sent in the past, this was also sent primarily to those responsible for FCI + CBKC

Nota: como sempre fiz com todos os emails que enviei no passado, este também foi encaminhado primeiramente para os responsáveis pela FCI + CBKC

Anúncios