Post n° 324 – Tio Chico Informa nº 126 – Por que o CAFIB não reconhece o pedigree do CBKC-FCI ? – Tio Chico é contra a exceção, o casuísmo, o privilégio, o individualismo e a outra “ponta da guia” – Sou a favor da instituição CAFIB, seus Regulamentos e do seu espírito de clube – Enviadoi em 16/12/15

Tio Chico Informa nº 126

Por que o CAFIB não reconhece o pedigree do CBKC-FCI ?

Tio Chico é contra a exceção, o casuísmo, o privilégio, o individualismo e a outra “ponta da guia”.

Sou a favor da instituição CAFIB, seus Regulamentos e do seu espírito de clube.

Amigos e amigas do CAFIB,

Recentemente fui veementemente questionado por um criador ligado ao CBKC, pelo fato de que eu desde 1976, isto é, antes mesmo da fundação do CAFIB, entendo que os pedigrees emitidos pelo trio BKC, CBKC e FCI, para cães da Raça Fila Brasileiro, não têm nenhum valor, pois não são dignos de Fé; devido a mestiçagem e o consequente registro ilegal de “filas-mestiços” nestes três clubes.

Esta mesma pessoa que me interpelou disse ainda que é criador ha algumas décadas, que ele conhece um criador que tem registrado seus Filas nestes clubes acima mencionados há muitos anos com muita seriedade e honestidade e, ainda, que ele conhece e atesta que um dos exemplares da criação deste criador trata-se de um ótimo Fila PURO e que por isto, não só este cão, como também toda a sua ancestralidade registrada em seu pedigree emitido pelo CBKC-FCI deveria ser reconhecida pelo CAFIB como digna de Fé. Ou seja, que o pedigree deste cão deveria ser automática e totalmente respeitado, aceito como verídico e copiado como tal pelo CAFIB.

Meus comentários:

               1. É verdade: venho afirmando há exatamente 40 anos que, em meu entendimento, os três clubes-empresas, do tipo cartório e que não visam o aprimoramento da Raça Fila Brasileiro, denominados BKC, CBKC e FCI, no caso do Fila, optaram por privilegiar o aumento do seu faturamento. Para tanto passaram a aceitar o registro de um enorme numero de “filas-mestiços” como se Filas PUROS fossem. “Filas-mestiços” estes decorrentes da sistêmica, institucional e criminosa mestiçagem perpetrada contra a Raça Fila Brasileiro e contra a qual infelizmente a grande maioria dos criadores de Fila se silenciou e se omitiu. Salvo os fundadores, criadores e membros do CAFIB. Logo estes pedigrees não podem ser mesmo dignos de Fé;

2. Consequentemente, quem não sentiu a necessidade ou obrigação de sair do Sistema BKC-CBKC-FCI, ou de criar um clube totalmente independente ou mesmo de registrar seus Filas Típicos no CAFIB, deve arcar com as consequências desta decisão;

3. Mas eu estou em ótima companhia, pois esta pessoa que discorda de mim, também discorda e desconhece o básico e elementar na Filosofia de Criação do CAFIB, que idealizou e instaurou a Análise de Fenótipo e Temperamento, por meio da qual todos os Filas aprovados podem fazer parte do plantel CAFIB e ir assim, ninhada após ninhada, preenchendo os pedigrees de sua criação. Afinal, o CAFIB foi criado em 1978 justamente numa reação contra a mestiçagem e contra a falsificação de pedigrees;

4. O fato é que existem criadores que possuem um sentimento de clube, não são individualistas e não buscam administrar um Clube via exceções. Temos que seguir nossos Regulamentos, sem abrir exceções nem privilegiar a outra “ponta da guia”. E fazer esta opção de forma institucional, transparente e clara. Jamais de forma casuística e arbitrária, privilegiando os amigos. Prefiro respeitar e seguir na prática a Filosofia de Criação e os Regulamentos do CAFIB. Não se pode gerenciar um clube sem respeitar os seus Regulamentos. Eu prefiro me submeter aos Regulamentos, pois não me julgo mais capaz ou superior do que ninguém. Eu sou institucionalista e clubista. Não sou individualista.

5. E é justamente por este respeito aos seus Regulamentos que o CAFIB no ano que vem completará 38 anos de existência;

6. Mas, se esta pessoa ainda discorda dos transparentes argumentos elencados acima, e dos três comentários que seguem mais abaixo registrados por três membros do CAFIB, sugiro que envie oficialmente por escrito sua proposta à Diretoria de CAFIB e demonstre claramente seu pensamento e as consequências deste. Se eu for voto vencido, respeitarei como sempre respeitei o voto da maioria vindo da nossa Diretoria. A ela sempre me submeti;

7. Comento ainda, que o maior exemplo de como deveríamos começar do zero – e de fato começamos — o plantel do CAFIB, sem respeitar ou copiar nenhum ascendente de nenhum pedigree do trio BKC-CBKC-FCI, nos foi dado por ninguém menos do que o próprio Dr. Paulo Santos Cruz pois, quando o CAFIB foi emitir o seu primeiro Registro de Ninhada que tinha como padreador Zerê do Parnapuan, nosso querido Dr. Paulo preferiu que deste pedigree do CAFIB não constasse nenhuma ascendência do Zerê, a qual logicamente era por ele muitíssimo bem conhecida. Logo, meu voto é não às exceções !!! Quer ter seu cão aprovado? É muito simples: basta entrar na pista, ser Aprovado e começar a construir e completar seu pedigree cheio, como fizeram ao longo dos anos todos os demais criadores do CAFIB;

8. Confesso que ando meio cansado de pessoas que fingem ser cafibeanos autênticos e originais; mas que não se associam ao CAFIB, não participam de nossas AFT`s, não expõem seus exemplares em nossas expos, nem registram suas ninhadas no CAFIB. Ou seja, em ultima análise, não se submetem ao nosso Regulamento, preferindo permanecerem sempre “mais ou menos” livres e individualistas.

Finalizando, comentei este fato com 7 membros do CAFIB e todos concordaram com meu pensamento acima. Sendo que três deles chegaram a me enviar um email com seus comentários afirmando na integra que:

Comentário n° 1:

Caro Chico,

          Você sabe que uma das principais razões do inquebrantável sucesso do CAFIB ao longo destas últimas quase quatro décadas é justamente nosso intransigente rigor em todos os aspectos do melhoramento genético do Fila Brasileiro e da administração do clube. A idoneidade, a firmeza de princípios e a recusa em abrir exceções têm sido regras religiosamente respeitadas desde que fundamos a Comissão de Aprimoramento do Fila Brasileiro em 1978, ainda no Brasil Kennel Club. E foi justamente esse rigor no cumprimento de nossos propósitos que levou ao rompimento com o BKC, entidade que, com o objetivo de arrecadar mais dinheiro, preferia abrandar a luta contra a mestiçagem na raça mais registrada do País naquela época. 

          O CAFIB, por ser uma entidade absolutamente independente, nunca reconheceu, não reconhece, nem pretende reconhecer, a validade dos registros de origem, ou pedigrees, emitidos por quaisquer outros clubes ou associações de criadores, embora, evidentemente, não proíba que seus associados também registrem seus cães na CBKC, ou em qualquer outra agremiação similar. É preciso frisar que ao CAFIB só interessam os exemplares detentores de permissão para reproduzir por terem sido aprovados nas Análises de Fenótipo e Temperamento e que – para trabalhar em prol do aprimoramento zootécnico do Fila Brasileiro – todos os criadores associados precisam adotar nossa filosofia e nossos princípios, além de seguir rigorosamente nossos regulamentos e normas de criação e de exposição. Por outro lado, também vale ressaltar que o CAFIB não se imiscui na vida particular de seus sócios, nem pode proibir que eles possuam e mantenham cães reprovados nas Análises ou, ainda, exemplares de quaisquer outras raças.

          Meu amigo Chico, confesso que não entendo o motivo de seu cansaço e de suas preocupações porque nunca abrimos, nem pretendemos abrir, exceções e também nunca consideramos a “outra ponta da guia”. É claro que sempre tivemos –  e, seguramente, sempre teremos – os falsos cafibeanos, que fingem estar do nosso lado, mas não registram seus cães no CAFIB nem participam de nossas Análises e Exposições. Essas atitudes são próprias da espécie humana, mas, principalmente agora, que somos já sexagenários, não devemos perder o sono com tais tolices.

          Grande abraço,

Comentário n° 2:

Querido “Tio” Chico,

CAFIB é Filosofia de Criação.

É aprimorar e para tanto preservar e selecionar. Nesses quase 40 anos implantou um mecanismo que o define: a AFT (Análise de Fenótipo e Temperamento).  Pois bem, por ela, os animais que reproduzem após serem certificados para tanto, dependendo de suas proles, poderão perder a condição de apto se constatada a falta das qualidades necessárias. Por outro lado, mesmo sendo RO´s, os exemplares devem passar obrigatoriamente pela AFT a partir dos 18 meses. Ou seja, qualquer exemplar para “ser CAFIB” tem que passar pela AFT.

Há 37 anos isso vem dando certo. O CAFIB apenas e tão somente entende ser responsável pela criação que controla e este é mais um entre seus diferenciais. Não nega a participação de seus filiados/expositores/criadores onde quer que seja, mas aceita exclusivamente os documentos que produz. Este modo de operar tem garantido seu “selo de qualidade”, por muitos e muitos almejados.

Só que para isso é fundamental submeter-se às regras existentes, que são balizas norteadoras dos caminhos a serem seguidos. No mais Tio Chico, basta reconhecer: o CAFIB está certo e por isso desperta amor e paixão, mas também nos invejosos de plantão o ódio e inveja. Questões  da natureza humana.

Como em nosso último encontro sob a pergunta: o que, quem é o CAFIB? Resposta de cada um: sou eu, somos nós! Isso basta.

Apesar do excesso de informações diárias virtuais, nem sempre de qualidade, dá para vivermos sossegados na tranquilidade de quem abraça o certo e o correto,  sem preocupações com os disparates constantes e fúteis”.

Comentário n° 3:

Amigo Chico,

O que você relatou acima não chega a ser surpresa nem novidade para mim. Sempre percebi que estas pessoas não têm e infelizmente nunca entenderão a Filosofia de Criação defendida pelo CAFIB. A referência que eles têm do Fila Brasileiro são outras.

Embora eles falem do CAFIB e pareçam ser cafibeanos, na verdade estão sempre defendendo os cães de sua redondeza. De forma sutil estão sempre enaltecendo esses cães e pensam que o CAFIB tem a obrigação de reconhecê-los como excelentes exemplares da Raça Fila.

Eles não tem a mesma ideologia do CAFIB e isso dificulta a sua submissão às regras de um Clube que eles não conseguem dominar e que não está sob o seu comando.

Não se discute que qualquer Fila para ser aprovado como tal pelo CAFIB deverá se submeter à AFT do nosso Clube. E não deverá mesmo haver nenhuma exceção. Se pensam que determinado cão é um excelente Fila Brasileiro e que poderia ser aproveitado pelos criadores do CAFIB, ótimo. Mas que o apresentem numa AFT e se submetam ao resultado desta análise. Mas isso não acontece. Preferem não se sujeitar a uma AFT, e assim não contribuem para aumentar o plantel CAFIB.

Outros não o fazem por temerem que o CAFIB julgue a “ponta da guia” coisa que jamais ocorreu no CAFIB, haja visto como excelente exemplo o recente resultado do Melhor Tigrado com mais de um ano vencedor na Expo de Guará-15, assim como a Melhor Cabeça desta Expo, de criação de um ex-membro do CAFIB.

Quem teme a “ponta da guia” é geralmente quem a pratica. Quem dela não faz uso, como nós do CAFIB, nem pensa nisto. Estas pessoas tem que crescer como criadores e como seres humanos. E amar e defender mais a Raça Fila Brasileiro e não seus próprios Filas, sua criação e da redondeza.

Justamente em razão disso é que defendem como fidedignos os pedigrees do BKC e da FCI. Pois são os pedigrees que ainda usam, com medo de usar o pedigree do CAFIB.  E deles querem fazer uso sempre como “exceções”. Esses dois clubes-cartórios não reprovam e não exigem rigor na condução da criação para a preservação e o aprimoramento da Raça Fila Brasileiro.

Por tudo isso, querido Chico, entendo que a sua indignação faz todo o sentido, mas não causa grande preocupação. O CAFIB precisa apenas tomar o cuidado de vigilância para evitar que essas pessoas consigam influenciar seus membros e tentem disseminar, ainda que de forma indireta e disfarçada, ideais de criação e de tipicidade do Fila Brasileiro que não se encaixam e não respeitam os Regulamentos e o Padrão do CAFIB. Afinal, isto em nada contribui para o fortalecimento do Clube e da Raça.

Forte abraço,

Note: as I have always done with all emails sent in the past, this was also sent primarily to those responsible for FCI + CBKC

Nota: como sempre fiz com todos os emails que enviei no passado, este também foi encaminhado primeiramente para os responsáveis pela FCI + CBKC.

Frases do Ano: 

  1. “É mais fácil criar outro clube do que explicar o inexplicável”.
  2. “Não adianta criar sem seleção e sem responsabilidade”.
  3. “Prefira o original, não use cópias, prefira o CAFIB”.
  4. “Não crie “fila-mestiço”, crie Fila Brasileiro Puro, analisado e aprovado pelo CAFIB”.
  5. “CBKC e FCI enquanto cartórios-empresas, visam aumentar o faturamento, já o CAFIB enquanto Clube, visa aumentar o aprimoramento do Fila Brasileiro”.
  6. Caroneiros”: DESAPEGUEM !!! DESAPEGUEM !!!

Atenciosamente,  Chico Peltier.