Post nº 31 – Tio Chico Informa nº 14 – Parabéns aos criadores de Filas Típicos do CBKC!!! – enviado em 17/08/12

Tio Chico Informa nº 14

Amigos,

1. Expo do Fila-CBKC:

Recentemente ocorreu uma amostra de Filas realizada pelo Kennel Club de Curitiba, com uma especializada do CBRFB.

O link para acessar as fotos deste evento encontra-se em: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.344573062295514.82124.100002284689052&type=1

Vejam que a grande maioria das fotos dos Filas apresentados neste link é de boa tipicidade e, apesar de eu não ser Juiz do CAFIB, diria que a grande maioria seria aprovada em nossa Análise de Fenótipo e de Temperamento.

Ficamos muito felizes em poder constatar, conforme eu venho afirmando há bastante tempo, que existem muitos Filas Típicos no plantel do CBKC.

Mas, infelizmente, ficamos tristes por não vermos nenhuma política séria e consistente que afaste do plantel do Fila-CBKC os cães mestiços e atípicos que possuem pedigree de Fila. Pois não acreditamos que sem seleção e controle seja possível criar nenhuma Raça animal. Muito menos a Raça Fila que, como todos nós sabemos, sofreu enorme miscigenação.

Assim, mais uma vez, meus parabéns aos criadores de Filas Típicos do CBKC!!!

2. Fila “franco-brasileira”…:

Recentemente Andre Castro (Canil do Sertão – Porto – Portugal) postou no Facebook do Edison Souza a foto de uma boa fêmea Fila de criação francesa. Repito que não sou juiz do CAFIB, mas vejam abaixo esta foto e percebam como este plantel do Fila-CBKC poderia ser também muito bem trabalhado no sentido de se buscar o Verdadeiro Fila. Assim como fazemos no CAFIB há 35 anos com muito sucesso!!! Bastaria que os verdadeiros criadores de Filas do CBKC saíssem do anonimato e passassem a se interessar e participar mais do aprimoramento desta criação. Se isto ocorrer, tenho absoluta certeza de que em breve desaparecerão dos Facebooks uma enorme quantidade de fotos de Mastins Brasileiros que são postados como se fossem Filas Puros.

 

3. Elegância:

Na Expo de Curitiba ainda se comenta a elegância do juiz Roberto Sene…(rsrsrs).

Abraços a todos, Chico.

Post nº 30 – Perguntem ao Tio Chico nº 15 – criadores do CBKC frequentando Expos do CAFIB – enviado em 8/08/12

 Perguntem ao Tio Chico nº 15

Amigos/as,

Nos últimos meses mais criadores de Fila do CBKC têm passado a frequentar as Exposições do CAFIB, descobrindo que não existe incompatibilidade alguma em participar de eventos destes dois clubes. Eles têm sido muito bem recebidos e ficam bem impressionados com o nosso conhecimento técnico e histórico, bem como com nossa administração e sistema de aprimoramento racial, baseado em nossa Análise de Fenótipo e Temperamento. Alguns destes criadores chegaram até a se associar ao CAFIB e outros tiveram seus Filas aprovados em nossas Análises. Alguns chegaram até a conquistar boas qualificações em nossas Exposições. Entendo que por causa disto temos recebido perguntas de criadores de outros clubes pretendendo conhecer e entender a Filosofia de Criação do CAFIB, principalmente referentes às nossas Análises (vide no excelente artigo de Américo Cardoso http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fila_brasileiro-cachorro.html ) e nosso sistema de aprimoramento genético. Sendo assim, agrupei as perguntas recebidas nos itens abaixo, de forma a facilitar estes esclarecimentos para voces.

Nota 1: como desejo acreditar que todas estas perguntas foram feitas com seriedade e de boa fé, não se tratando apenas de tolas provocações ou “pegadinhas”, as responderei com o máximo de respeito e atenção.

Nota 2: fui informado na semana passada que Chris Habig não é mais vice-presidente da FCI, tendo sido substituído por Rafael de Santiago.

50. Pergunto se uma pessoa poderia levar conscientemente um cão que não seja Fila a uma Analise do CAFIB, inventando um nome fictício para este animal e inscrevendo-o para ser Analisado?

Penso que este pretenso falsário pode tentar sim uma ilegalidade como esta, mas não só no CAFIB, como também em qualquer outro clubeque disponibilize o RI (Registro Inicial). Por exemplo: o CBKC recriou para todas as Raças um sistema semelhante ao antigo RI (Registro Inicial) chamado hoje de Certificado de Pureza Racial (CPR). Logo, ambos os clubes estão sujeitos a este tipo de trapaça.

Mas lembre-se que, pelo menos no CAFIB, esta será uma atitude inócua, pois para coibir práticas desonestas e efetivamente aprimorar a Raça Fila, o CAFIB sempre faz em todos os cães analisados, aprovados ou não: registro fotográfico, resenha em sumula escrita e colocação de chip. Soma-se a estas praticas  o uso do cancelamento dos Registros Iniciais  em caso de fraude comprovada ou pela impossibilidade de comprovação genotípica, conforme nosso acompanhamento genético explicado em detalhe mais abaixo:

51.a – Pergunto se uma pessoa poderia levar um vira-lata numa Analise do CAFIB, usando o pedigree de algum Fila do CBKC e usando o nome de algum Canil do CBKC?
Conforme já respondido acima, este pretenso falsário pode tentar sim esta ilegalidade, não só no CAFIB como em outros clubes que possuam RI ou CPR.  Mas note que não solicitamos o afixo dos cães inscritos para Análise. Para ser aprovado na Análise um cão deverá possuir caracteres mínimos que o enquadrem no Padrão Racial do CAFIB. Desta forma, o vira-lata exemplificado nesta pergunta não seria aprovado em nossa Analise. Entretanto, se um cão possuir estas características mínimas, o CAFIB passa a fazer seu acompanhamento, permitindo que este animal comprove por meio de acasalamentos com diferentes parceiros/as as características genéticas das quais é de fato portador. Caso não as comprove, seu registro  será  automaticamente cancelado. Parece que criadores, mesmos os antigos de outros clubes, ainda não sabem que os pedigrees do CAFIB não são vitalícios, nem que da Análise (RI) do CAFIB consta apenas o nome do cão aprovado em Análise. Esta pratica adotada pelo CAFIB é comum em muitas criações sérias e honestas de outras Raças animais, onde realmente se deseja selecionar, aprimorar e criar com seriedade.
Como todo clube que adota esta pratica o CAFIB também adota o cancelamento do RI uma vez que os descendentes destes cães não atinjam o mínimo exigido no Padrão Racial  do CAFIB. Ou seja, o simples ato de possuir características mínimas não dará a nenhum cão analisado e aprovado (com ou sem Restrições) o direito de uso vitalício do RI.
Ou seja: registrar cartorialmente sem fiscalizar e acompanhar e, ainda, faturando com a venda de pedigrees definitivamente é fácil e a isto não chamamos de criar!!! Logo, o resultado desta pretensa ilegalidade também seria nulo. Mas creio que assim como a pergunta nº 50, isto seria mais um caso policial do que cinófilo. Em minha opinião o resultado desta tola tentativa de trapaça continuaria, assim como na pergunta acima, sendo inócuo.
51.b – Pergunto se uma pessoa poderia levar um vira-lata numa Expo do CAFIB?
Evidente que não. Das nossas Expos somente participam cães aprovados, registrados e/ou com o pedigree do CAFIB.
Obs: neste tópico comento que, obviamente, existe a possibilidade de uma pessoa levar de boa fé um vira-lata (ou mestiço / atípico) a um evento do CAFIB por achar ou desejar saber se seu cão trata-se mesmo de um Fila Puro, pois ganhou ou comprou este cão de alguém como se Fila puro fosse. Meu amigo: voce não faz ideia de como corta o coração de todos os juízes do CAFIB quando se veem obrigado a reprovar um cão. Sabemos que trata-se de um querido e admirado amigo da família, mas, infelizmente, que não é Fila. E, ao contrário do que muitos criadores de outros clubes escrevem, nosso compromisso de fato é com a Raça Fila.
52. Como se explica o fato do CAFIB não premiar um Fila com a qualificação Ótimo, que é representada por uma Medalha de Ouro?

O CAFIB entende que a qualificação Ótimo deva ser concedida somente a expoentes da Raça e não distribuída sem critério ou simplesmente para agradar politicamente criadores e diretores de clubes. Não compactuamos com o que presenciamos em outros clubes onde basta ganhar uma Classe para receber Excelente, mesmo que desta Classe não tenha participado nenhum exemplar digno de premiação ou um número suficiente de participantes. Por outro lado, os juízes do CAFIB estão cada vez mais exigentes e nosso aprimoramento genético se comprova com um número cada vez maior de Filas obtendo a qualificação Bom e Muito Bom.

Alem disto, mais importante do que uma medalha de ouro é a qualidade dos juízes que a concedem. Afinal, qual o valor de um premio concedido por um juiz sem o devido conhecimento técnico? O CAFIB adota a pratica do treinamento de seus juízes, lembrando que no CAFIB os cães somente são avaliados por juízes especializados na aplicação correta do Padrão Racial, ao contrario de outros clubes, salvo raríssimas e honradas exceções, que sequer encontram-se “aptos para julgar” e por falta de conhecimento técnico passam a distribuir medalhas de ouro até mesmos para cães evidentemente MESTIÇOS E ATIPICOS.
Assim, orientamos nossos associados a estudarem os futuros acasalamentos levando-se em conta tão somente a Qualificação dos nossos Filas e não o resultado obtido nas Exposições.
Voce tem todo o direito de discordar, mas este é nosso critério. Logo, não recomendo a nenhum criador que gosta de receber muitos prêmios a se filiar ao CAFIB.
53. Se a seleção do CAFIB é tão séria, porque não há controle de displasia, de DNA e a utilização de microchips?
A displasia ocorre em praticamente todas as Raças e clubes no mundo inteiro, muitos destes mais antigos que o CAFIB e em países com maior acesso à tecnologia, portanto com maior facilidade de serem utilizadas pelos criadores. O CAFIB orienta a pratica do controle de displasia por ser geneticamente transmissível. Os animais portadores desta e de outras doenças geneticamente transmissíveis são excluídos da reprodução. Entretanto constatamos ser extremamente baixo o número de Filas que apresentaram tal anomalia em nosso plantel.
Quanto ao DNA informo que o CAFIB trabalha com o apoio de veterinários e Universidades, nacionais e estrangeiras, incumbidos em nos orientar para colocar em pratica o trabalho de sequencial genético para a Raça Fila Brasileiro. Entretanto, ao contrario do apregoado por diversos criadores, entendemos que este é um trabalho de longo prazo e de alto custo financeiro, mas estudamos sim iniciar o controle de  Padreadores  usando  o  DNA, conforme nosso comunicado em http://www.cafibbrasil.com.br/cafib-brasil-noticias.php . Entendemos ainda que os estudos para o levantamento de perfil do DNA devem ser feitos com absoluta fidelidade, sem nenhuma margem de erro, uma vez que em caso de desvio fatalmente culminaria na aprovação de mestiços de Fila.
Apesar de toda tecnologia, o tradicional procedimento do CAFIB conhecido como Analise de Fenótipo e Temperamento será mantido como pratica indispensável para o aperfeiçoamento do Fila Brasileiro, pois somente a pratica do “bom olho” contribuirá para  a Qualificação dos exemplares para fim de acasalamento.
Mas, até onde vai meu conhecimento, os demais clubes brasileiros, alguns extremamente ricos e com quase 100 anos de existência, também ainda não usam o recurso do DNA. É uma pena que alguns criadores, principalmente de outros clubes, sejam sempre tão rigorosos com o CAFIB, se esquecendo das fragilidadese erros antológicos de seus próprios clubes, sendo que alguns clubes há quase 40 anos emitem pedigree de Fila para mestiços, sem que estes mesmos criadores se sintam incomodados. Alias, que eu saiba, estes clubes sequer usam o sistema elementar do APR (Apto para Reprodução)…
Quanto ao microchip, informo que já são utilizados pelo CAFIB em todos os cães analisados, Aprovados ou não, como medida preventiva de controle.
54. Como voce analisa o fato de que alguns criadores do CBKC estarem denunciando nos Facebooks de forma extremamente deseducada (e talvez até invejosa) que um Fila premiado numa Expo do CAFIB tem um ascendente de cor preta?

Muito simples: a opiniões e afirmações destes criadores não significam absolutamente nada para o CAFIB. Ainda mais se vierem de  pessoas reconhecidamente defensoras do assim chamado “fila-preto”, de vendedores de “fila-preto”, de cães criados para “show”, geralmente sem temperamento ou de mestiços e atípicos. Muito mais do que isto: o CAFIB  não reconhece os pedigrees de Filas emitidos pelo trio-cartório BKC-CBKC-FCI, pois se tratam de documentos que entendemos ser inidôneo, que foi e talvez ainda esteja sendo falsificado, onde os dados ali constantes não merecem nossa credibilidade, conforme fartamente denunciado há quase 40 anos. Por favor, entenda que este foi um dos motivos da criação do CAFIB em 1.978: não acreditar na seriedade destes pedigrees. E, ainda, de termos recebido em 1.983 a autorização do Ministério da Agricultura para emitirmos nosso próprio pedigree. Não acreditamos, não lemos e não estudamos um pedigree sequer destes 3 clubes. Basta dizer que pedigrees de um mesmo Fila emitido pelo CAFIB às vezes tem ascendentes diferentes no BKC-CBKC-FCI…

O CAFIB, partindo desta premissa, adota há quase 35 anos com enorme sucesso a Análise de Fenótipo e Temperamento como base para emitir nosso RI, onde consta apenas o nome do cão informado pelo criador, seja ele de que origem for. A partir disto, começa o controle  que a nosso modo de ver é muito importante, ou seja,  a  portabilidade genética. Tanto machos como fêmeas, deverão comprovar seu genótipo com no mínimo três acasalamentos com parceiros/as diferentes. Por ser provisório este pedigree do CAFIB é, portanto, passível de ser cassado caso este exemplar não consiga comprovar sua portabilidade genética. Logo, o simples fato de ter um cão seu  fenótipo e temperamento aprovado numa Análise ou ser premiado numa Exposição, não deve ser motivo para espanto e, muito menos, de indignação.

Para mim, digno de espanto e indignação, é existir uma criação que se diz da Raça Fila sem a existência de nenhum tipo de controle e seleção como, no mínimo, o APR (Apto para Reprodução) que deveria ser inclusive precedido do APJ (Apto para Julgar), pois me permito duvidar muito da competência da maioria dos juízes de outros clubes nacionais. Internacionais então, nem se fala!!! Respeito todos os clubes, mas realmente não entendo como um clube especialista em Fila, a Raça mais mestiçada do mundo, não possuiu nenhum tipo de seleção e controle que exclua definitivamente do seu plantel os cães mestiços e atípicos. Pelo simples fato de NÃO serem Filas. O que afinal este ditos criadores pretendem criar?

Cabe ainda acrescentar que o CAFIB adota como pratica para orientação de acasalamentos para seus associados a nossa Qualificação, que vai desde Regular,com ou sem de Restrições que deverão ser respeitadas em acasalamentos, passando pelo Bom, Muito Bom e Ótimo. Assim, o simples fato de um cão obter o Registro Inicial no CAFIB não o referencia como um Padreador. São estes e outros detalhes da Filosofia de Criação do CAFIB que apesar de vigorarem com sucesso há quase 35 anos são totalmente desconhecidos por criadores que se dizem antigos criadores de outros clubes, mas que sequer sonham com o rigor existente no CAFIB. Até porque não possuem em seus clubes o mínimo, que seria um APJ e um APR sério e criterioso.

A isto o CAFIB entende por “aprimoramento”. Para quem ainda não sabe: CAFIB = “Clube de APRIMORAMENTO do Fila Brasileiro”. Entenderam? Ou seja, ao CAFIB não importa informações vindas de criadores, nem sequer reconhecemos os documentos emitidos pelo trio BKC-CBKC-FCI. O que importa é o cão, seu fenótipo, seu temperamento, seus 3 acasalamentos e seus descendentes. E, ainda, se seus descendentes forem Reprovados, seu pedigree será cassado. Será que deu para entender agora que se um cão aprovado for descendente de um cão preto, verde ou rosa, não faz muita diferença; já que este próprio cão se auto denunciará, sendo eliminado? Pois “aprimoramento” é sinônimo de criação séria e honesta que não se atinge em poucos anos e, muito menos, num plantel que abriga e até concede prêmios para mestiços e atípicos. É justamente por isto que em qualquer criação séria e honesta no mundo inteiro, de qualquer Raça animal, os mestiços e os atípicos são afastados do plantel e da reprodução. Será esta minha afirmação difícil de entender? Quando será que os demais clubes terão a coragem de excluir do seu plantel os mestiços e atípicos mesmo que sejam possuidores de pedigree de Fila?

55. Voce acredita que seja possível diluir o sangue e característica de um “filamarques” por meio de cruzamentos com Filas Puros e que nas novas gerações suas características atípicas à Raça Fila logo desaparecerão?

Penso que podemos diluir o sangue de um cão preto, entretanto, não podemos afirmar que suas características logo desaparecerão. Pois sempre será portador destas. Isto não se dará somente com a cor preta, mas também com os amarelos e tigrados que por ventura em sua origem tenham sido miscigenados com cães de outras Raças. Entretanto este  processo de PC (puro por cruza) é muito lento e oneroso, devendo seu criador utilizar em todas suas coberturas somente Filas com muito bom fenótipo e temperamento, seguir aconselhamento especializado, possuir apurado conhecimento técnico e ser isento da conhecida “cegueira de canil”. Ou seja: na minha opinião seria muito mais fácil começar com um Fila Puro, do que tentar copiar a Mãe Natureza.

56. Ao se aprovar numa Analise do CAFIB um cão amarelo que tenha antecedentes negros, em tese não se estaria aprovando um “filamarques”?
Claro que não. A aprovação  refere-se a um cão amarelo, com características que o enquadram no Padrão do CAFIB. Absolutamente nada mais do que isto. Cabe a este cão provar ao CAFIB que ele deve continuar em nosso plantel. Caso contrário terá seu registro cassado. Até porque a origem da informação de que este cão amarelo tem um antepassado de cor negra não é digna de fé. Repito: o CAFIB não leva em consideração informações de terceiros, criadores de outros clubes, muito menos postadas levianamente em Facebooks; posto que não acredita sequer em pedigrees relativos à Raça Fila que tenham sido emitidos pelo trio e cartório BKC-CBKC-FCI.

57. Um cão sendo aprovado numa Analise do CAFIB terá automaticamente toda sua linhagem aprovada?

Evidente que não. A aprovação deu-se tão somente, única e exclusivamente ao exemplar apresentado na Analise. Por desconhecermos sua origem, somente o Fenótipo e o Temperamento deste cão podem ser analisados. Depois de suas futuras coberturas com pelo menos 3 fêmeas diferentes e com a análise de seus descendentes poderemos então avaliar  sua portabilidade genética. Ao contrário, seus antepassados e descendentes NÃO foram aprovados e estão sujeitos às nossas Analises. Alem disto parece que voce não sabe que esta “aprovação” não é vitalícia: em nascendo um “fila-pretinho”, mestiço ou atípico sequer, todos os pedigrees envolvidos serão cassados. A isto chamamos de “APRIMORAMENTO”. Será que voce consegue entender agora como o CAFIB é um clube extremamente rigoroso?

58. E se algum criador no futuro cruzar um descendente de “filamarques” com outro,será tarde demais para cassar o pedigree ou significará cassar o pedigree de toda uma linhagem já aprovada?

Não existe pedigree vitalício. Vide respostas acima. Nunca será tarde para cassar um pedigree uma vez constatado a transmissibilidade de características ATIPICAS à Raça Fila. Sempre é tempo de continuar o nosso trabalho de aprimoramento que já ocorre com sucesso há quase 35 anos. A cor é simplesmente uma evidencia de muito fácil identificação. Todo mundo sabe o que é preto, mas nem todos sabem identificar as faltas desqualificantes decorrentes de mestiçagem (*).Logo, em se constatando atipicidade e/ou mestiçagem todos os registros serão cassados. Visto que uma linhagem não pode gerar atipicidades. Este é o principio do APRIMORAMENTO genético racial que empregamos no CAFIB.

(*) Sugiro que voce estude o magistral artigo do Dr. Paulo Santos Cruz intitulado “Como distinguir um Fila Puro de um Mestiço” acessando em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/8-Documentos-de-1978/8_30/materia.html. Este artigo complementa o Padrão do CAFIB redigido pelo próprio do Dr. Paulo juntamente com os fundadores do CAFIB em 1.978.  Este Padrão nada mais é do que o primeiro Padrão criado pelo mesmo Dr. Paulo em 1.951 para o BKC-FCI. Apenas foi REVISTO E CORRIGIDO DEVIDO A MESTIÇAGEM . Mas, infelizmente, existem muitos criadores de outros clubes que preferem continuar mencionando e se baseando no Padrão de 1.951 e não no corrigido e que o substituiu em 1.978 pela mesma pessoa 27 anos depois!!! Se voce acredita em alguma lógica e nexo neste procedimentode se seguir algo substituído, caduco e superado, siga então o Padrão antigo e boa sorte!!!.

59. Voce acha que muitos criadores de Filas de outros clubes temem terem seus cães Reprovados nas Análises do CAFIB e, por isto, não levam seus cães aos eventos do CAFIB?

Infelizmente, sim. Organizei no passado 14 Analises e Exposições do CAFIB-Rio. Sempre foi assim, mas quando seus cães são aprovados tiram um peso enorme de suas vidas. Parece que estão no Paraíso… Por outro lado, outros têm seus cães reprovados e, assim como muitos cafibeanos, recomeçam suas criações. Nós criamos a Raça Fila, não cães mestiços com pedigree de Fila. No meu entender trata-se de pura teimosia e tolice permanecer no erro de criar mestiços.

60. É verdade que voce escreveu que um dos maiores inimigos do Fila Puro é o cão mestiço e atípico que ainda se encontram em alguns canis e que são muito admirados e amados por seus donos que não tem a coragem de admitir que estejam criando mestiços com pedigree de Fila e não Filas?

Claro, com certeza.

61. Depois de ler o excelente artigo do Américo Cardoso (vide http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fila_brasileiro-cachorro.html ) que explica como funciona a Análise do CAFIB, passei a entender este excelente sistema de aprimoramento e seleção do CAFIB. Pena que eu tenha demorado tanto tempo para estuda-lo. Assim, pergunto se a Análise lembra o antigo RI (Registro Inicial) que existia no então BKC na década de 1.970?

Sim, apenas muito mais exigente e técnica. Na segunda metade da década de 70 nós lutamos muito para que o RI não acabasse. Infelizmente foi extinto pelo então BKC na administração do Henrique Lucena, por influência de alguns mestiçadores que desejavam mudar o fenótipo do Fila e, alguns, até tornar o temperamento do Fila mais dócil. Veja mais detalhes sobre a nossa veemente defesa em favor do RI em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/5.html . Este grupo de mestiçadores desejava evitar que Filas Puros passassem a fazer parte do plantel do então BKC por meio do RI, já que desejavam supervalorizar o fenótipo e aumentar muito o valor comercial principalmente dos mestiços de Fila com Mastiff Inglês e chegaram até a declarar que tinham selecionado 55 cães “meio-sangue” de Fila com Mastiff Inglês para serem “a revitalização” da Raça Fila (vide  http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/9-Documentos-ate-1979/9-24.jpg ). Estas declarações absurdas me foram prestadas pessoalmente por João Batista Gomes e nunca foram negadas pelo ex-presidente do Clube Paulista do Fila Brasileiro — hoje SPFB–,  que gostava mesmo era de http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/1843.jpg … Mastiff Inglês.

62. Permita-me comentar: pena que a criação do Fila-CBKC não tenha nenhuma ferramenta de seleção (APR ?) semelhante à Análise usada pelo CAFIB. Agora entendo que é justamente por não existir nenhum tipo de controle e seleção na criação do CBKC-FCI e por ter havido tanta mestiçagem e continuarem a cruzar estes descendentes de mestiços, que no Fila CBKC-FCI prolifera tantos “tipos” e “variedades” de Filas que voce comprovou claramente por meio do seu trabalho propondo a criação da Raça Mastin Brasileiro (http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/novos/pergunte_chico_3/materia.html ).

É verdade. Realmente são cães diferentes do Fila, pois são descendentes das mestiçagens ilegais de Filas com Mastiff Inglês, Mastin Napolitano e Dinamarquês (Great Dane). Entendo que estes cães já formam 4 Variedades de Filas distintas e devidamente consolidadas e que deveriam se transformar numa nova Raça, aliás como ocorreu recentemente com o Akita que foi dividido em duas Raças: o Akita Americano e o Akita Japonês. Penso que deveríamos nos orgulhar do Brasil dotar o mundo de mais uma Raça canina de Molossos: o Mastin Brasileiro.

63. Tenho uma ótima noticia para voce, Tio Chico: tenho um “filamarques”, gosto e continuarei a gostar muito dele, é um grande companheiro para toda minha família, mas não mais o cruzarei, pois não quero ser cúmplice dos primeiros mestiçadores que tanto dano causaram a Verdadeira Raça Fila. Parabéns pelo trabalho do CAFIB!

Obrigado e parabéns pela sua coragem e verdadeiro amor ao Fila Puro!!!

Meus amigos e amigas, concluindo:

a) peço encarecidamente, mais uma vez, que estes criadores que fazem estas perguntas se dediquem um pouco mais e, já que dizem gostar tanto do Fila, estudem no site do CAFIB e no meu site como funciona a Filosofia de Criação do CAFIB. Por favor, entendam que respondo com prazer, educação, respeito e atenção a todos voces, mas estas respostas tomam muito tempo do meu trabalho profissional, de minha família e do meu lazer;

b) espero que estas perguntas não tenham decorrido apenas da implicância e ciumeira existente entre criadores de outros clubes, decorrente do fato de que alguns criadores do CBKC terem entendido o trabalho do CAFIB, passado a frequentar nossos eventos, serem premiados e, até,  passarem a ser sócios do CAFIB;

c) se voces não concordam comigo, ok, sem problemas. Pela enésima vez repito que não levo nada relativo ao Fila para o lado pessoal e não tenho inimigos. Apenas adversários de ideias. Se desejaram, me enviem suas contra-argumentações, mas, por favor, de forma clara, inteligente, educada e com uma forte argumentação. Serão respondidas com prazer. Entretanto, me reservo o direito de não responder e ignorar tolices e opiniões sem argumentação.

Afinal, vamos respeitar nosso tempo.

Nota 2: fui informado na semana passada que Chris Habig não é mais vice-presidente da FCI, tendo sido substituído por Rafael de Santiago.

Abraços a todos,

Chico Peltier.

::::::::::::::::::::::