Post nº 37 – Tio Chico Informa nº 18 – Comentando recentes postagens de Facebooks – enviado em 31/08/12

Tio Chico Informa nº 18

Amigos,

O email abaixo foi enviado para alguns criadores do CAFIB, comentando recentes postagens em Facebooks que eles me enviaram:

Como eu já escrevi diversas vezes, muitos criadores atuais do Fila-CBKC começaram a criar mestiços com pedigree de Fila quando a mestiçagem já estava impregnada no CBKC, isto é, basicamente após o final da década de 70.

Logo, eles se iniciaram em suas criações sem jamais terem tomado antes conhecimento do Fila Puro e do CAFIB. Eles não conheciam o Fila Puro da mesma forma que eles não conhecem a Verdadeira História do Fila. Foram introduzidos na criação do Fila com cães mestiços (apesar dos pedigrees emitidos pelo BKC-CBKC e muitas vezes terem comprado seus cães oriundos de filhos de Grandes Campeões do CBKC, apesar de mestiços).

Construíram com muito trabalho e carinho seus canis, se dedicaram com empenho e passaram a amar seus cães; dedicaram tempo e energia às suas criações e, infelizmente, acreditam que o Fila não tem homogeneidade e não tem um fenótipo definido; acreditam que o Fila tem 4 fenótipos (vide em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/novos/pergunte_chico_3/materia.html ), onde se encaixam mesmo que a força vários “tipos” como o fila-atarracado, o fila-toy, o fila-basset, o fila-preto, o filamarquês, o mastiff-fila, o napo-fila, o fila-gigante, o fila-pet e até o fila-aberração; como tem muito dificuldade em estudar, pois rejeitam sem analisar o conhecimento do CAFIB e também pelo fato de que não existem no Fila-CBKC criadores que sejam realmente professores como existe tantos no CAFIB, estas pessoas não tem como objetivo o aprimoramento racial como existe em qualquer criação animal; como não encontram no CBKC nenhum tipo de orientação, seleção e controle na criação do Fila como deveria ser o APR, perdem o foco e o objetivo, passando a aceitar qualquer “tipo” de Fila como se fosse Fila Puro; desconhecem o verdadeiro temperamento do Fila, já que houve a irrefutável miscigenação do Fila com cães das raças de temperamento dócil como o Mastiff Inglês, Mastin Napolitano e Great Dane que não possuem o mesmo temperamento característico do verdadeiro Fila e, portanto, estes cães mestiços não podem mesmo ter “ojeriza a estranhos”.

Logo, ao contrário do que alguns afirmam, nada, absolutamente nada tenho contra os criadores de mestiços Apenas pena. Muita pena, pois estes se iniciaram na criação do Fila com cães mestiços. Pena que não foram capazes de refazer suas criações. Entretanto, cabe lembrar que isto também ocorreu comigo e vários outros criadores do CAFIB, mas a grande diferença é que nos tivemos o verdadeiro amor à Raça Fila e excluímos com muita dor os mestiços do nosso plantel, mantendo conosco apenas os Filas Puros.

Entretanto, revoltados, desorientados, sem liderança e, pior, com vários “tipos de fila” estes criadores de mestiços – lembrando que existem sim Filas típicos no CBKC — atacam e culpam o CAFIB, o Paulo Santos Cruz e o Tio Chico. Chegam ao ponto de tentar mudar a historia do Fila, criando fatos e argumentos que jamais aconteceram e, de tão repetidos, os coitados passam a acreditar. Por tudo isto entendo que eles deveriam se rebelar não contra o CAFIB mas sim contra os primeiros mestiçadores e o CBKC que é um cartório que emitiu documentos fraudados. Estes dois são de fato os responsáveis por esta grande confusão em que se encontra o Fila-CBKC. Isto é: sem fenótipo definido, sem homogeneidade, sem seleção e controle. Pior: sem lideres que de fato os representem e que com coragem sejam capazes de cobrar as responsabilidades inerentes ao CBKC, que eles ainda seguem e pagam suas taxas.

O CAFIB não tem absolutamente nada com a origem e existência da mestiçagem. Apenas temos como objetivo resgatar o Fila da extinção, preservá-lo e criá-lo emitindo nossos próprios pedigrees por meio do nosso Controle Genealógico e nossa Filosofia de Criação CAFIB. Apenas isto.

Àqueles que desejarem estudar um pouco mais sobre a Raça Fila, recomendo a leitura “Tio Chico Informa nº 6 – Piores e Melhores de 2.011” clicando em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/novos/30_114/materia.html , onde eu fiz uma consolidação de minhas respostas e comentários a muitas mentiras, erros, enganos, falhas e tolices diversas vezes repetidas pelos criadores e defensores de filas-mestiços.

Forte abraço, Chico.

Post 36 – Tio Chico Informa nº 17 – Unifila e o “fila-preto” – enviado 30/08/12

Tio Chico Informa nº 17

Amigos,

Recentemente perguntei ao Marcus Flávio Vilasboas Moreira, presidente do UNIFILA, se ele saberia me informar se existiria algum “fila-preto” no plantel do Unifila. Pois bem, devidamente autorizado pelo Marcus Flávio, segue abaixo e na íntegra a sua franca e objetiva resposta para o conhecimento de todos voces:

De: Marcus Flávio Vilasboas Moreira
Enviada em: segunda-feira, 27 de agosto de 2012 12:18
Para: fbcp2009@uol.com.br
Assunto: RE: pergunta

Meu amigo Chico,
Posso lhe garantir com toda certeza que nunca existiu cão com essa cor de pelagem no plantel da UNIFILA.
A cor preta não é reconhecida como típica para o nosso padrão Paulo Santos Cruz.
Logo, todos os exemplares que tiverem essa cor são considerados atípicos e mestiços.
Tenho certeza que nos meus 17 anos de criação do Fila Brasileiro puro, nunca conheci um “Fila Preto” originário dos criadores mineiros (UNIFILA).
Prova disto, que nas 9 Exposições Nacionais da UNIFILA realizadas anualmente desde 2003, e em diversas outras exposições, eventos e encontros organizados por nós, nunca apareceu algum mestiço “Fila Preto”.
Tenha certeza, que a UNIFILA trabalha pelo aprimoramento, propagação e pela preservação do verdadeiro Fila Brasileiro, assim como você e o CAFIB fazem.

Um forte abraço! Felicidades!
Marcus Flávio Vilasboas Moreira/ Presidente da UNIFILA – UNIÃO DE CRIADORES E SELECIONADORES DO FILA BRASILEIRO.

………………

Agradecendo o posicionamento transparente do Marcus Flávio, concluímos:

1. No primeiro artigo que se tem noticia sobre a Raça Fila datado de 1.942 e escrito por João Laraya ( http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/3-Documentos-ate-1974/3-1.jpg ), portanto, antes de Paulo Santos Cruz e do CAFIB, não é sequer mencionada a possibilidade da coloração preta na Raça Fila;

2. Durante o início da década de 70, justamente quando se iniciou a mestiçagem na Raça Fila, começaram a “serem inventados” s assim chamado “fila-preto”;

3. No nº 25 da Revista Animais & Veterinária de Abril de 1.977 (vide em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/7-Cao-Preto-x-Fila-Puro/7_2/materia.html ) é comentada a inexistência da cor preta no Fila;

4. Em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/7.html voces poderão ler vários documentos que defendem em profundidade a tese da inexistência da coloração preta no Fila, conforme atesta Marcus Flávio acima.

5. Finalmente, atendendo a pedidos, segue abaixo parte do padrão CAFIB, onde é mencionado “Cor”, “Desqualificações Gerais” e “Desqualificações por Miscigenação”.

Este artigo pode ser encontrado no jornal O FILA nº 8 do CAFIB que segue abaixo:

Abraços, Chico Peltier.

CAFIB – Padrão Oficial da Raça Fila Brasileiro

Vide na íntegra em: http://www.cafibbrasil.com.br/cafib_padrao_raca.html

Cor:

São permitidas as seguintes cores:

1) Amarelos, em todas as tonalidades, desde o baio até o vermelho.

2) Amarelos, em todas as tonalidades, do baio ao vermelho, mas com uma sombra acinzentada.

3) As cores 1 e 2, mas com máscara e orelhas pretas, ou somente máscara preta.

4) Rajados, tigrados ou araçás: fundo, ou cor base, igual a uma das anteriores, com listas ou rajas pretas. As rajas são finas, de uma só largura em toda sua extensão, distribuídas irregularmente por todo o corpo; e também de comprimento muito variado e diverso. Na linha superior do corpo, costumam se encontrar em “V”.

5) Rajados com máscara e orelhas pretas.

6) Brancos com grandes malhas rajadas, estas iguais à cor 4. O branco deve ser puro, sem manchas escuras na pele, provocando sombras.

7) Cinza claro, prateado.

8) Quaisquer dessas cores, com marcas brancas, geralmente nos membros, no peito e na cauda; mais raramente no pescoço, e no focinho, subindo ao crânio.

Desqualificações Gerais

1) Orelhas operadas.
2) Caudas operadas.
3) Nariz cor de carne.
4) Prognatismo, influenciando a linha anterior do focinho.
5) Brancos sem qualquer mancha de outra cor.
6) Fundo branco com malhas pretas.
7) Pretos azeviche.
8) Pretos ardósia.
9) Pretos azeviche ou ardósia, com manchas brancas.
10) Cinza rato.
11) Cinza azulado.
12) Fundo cinza com malhas pretas.
13) Rima labial em ângulo agudo.
14) Temperamento sem reação positiva ao ataque.
15) Forte sensibilidade negativa ao tiro.

Caso voce deseje se aprofundar, sugiro ler no Padrão CAFIB o item intitulado “Desqualificações por Miscigenação” com as Raças

Mastiff  Inglês, Mastim Napolitano e Dogue Alemão (Great Dane ou Dinamarquês) no link http://www.cafibbrasil.com.br/cafib_padrao_raca.html .

Nota: este email foi enviado para CBKC e FCI em inglês e português.

Post 35 – Ask Uncle Chico # 17 – Unifila and the “black-fila” – sent Aug, 30th.2012

Ask Uncle Chico # 17

Dear friends,

Recently, I asked Marcus Flávio ​​Vilasboas Moreira, president of UNIFILA, if he could inform me if there were any “black-fila” in the UNIFILA stock.

Well, duly authorized by Marcus Flávio, his frank and objective response follows below, in full for your knowledge:
From: Marcus Flavius ​​Vilasboas Moreira
Posted on: Monday, 27 August 2012 24:18
To: fbcp2009@uol.com.br
Subject: RE: Question

My friend Chico,
I can assure you with all certainty, that a dog having this coat color never existed in Unifila`s stock.

The black color is not recognized as typical by our Paulo Santos Cruz standard.

Therefore, all the dogs having this coat color are considered atypical and mixed-bred.
I’m sure that in my 17 years of breeding the pure-bred Fila Brasileiro, I have never come across a “black-fila” originated from the breeders of Minas Gerais (UNIFILA).
Proof of this is that in the nine UNIFILA National Exhibitions held annually since 2003 and in several other exhibitions, events and meetings organized by us, no mixed-bred “black –fila” ever showed.

Rest assured that UNIFILA works for the improvement, propagation and preservation of the true Fila Brasileiro, just like you and CAFIB do.

A big hug! Cheers!
Marcus Flavius ​​Vilasboas Moreira / President of Unifila

UNIFILA – UNIÃO DE CRIADORES E SELECIONADORES DO FILA BRASILEIRO.

………………

Thanking the transparent positioning of Marcus Flávio, we conclude:

1. In the first known article about the Fila dated 1942 and written by João Laraya (http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/3-Documentos-ate-1974/3-1.jpg ), ie, before Paulo Santos Cruz and CAFIB, is not even mentioned the possibility of black coloration in the Fila;

2. During the early ’70s, just when it started the mix-breeding in the Fila Breed, began to appear the so-called “black-filas”;
3. In issue # 25 of “Animais & Veterinária” magazine dated April 1977 (see in http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/7-Cao-Preto-x-Fila-Puro/7_2/materia.html ) the absence of the black coat color in the Fila Breed is commented;
4. In http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/7.html you will find several documents that support the thesis of the lack of black coat color in the Fila Breed, ​​as stated by the UNIFILA president Marcus Flávio above.

5. Finally, considering the requests, follows part of the CAFIB Standard, where it is mentioned about “Color”, “General Disqualifications” and “Disqualifications for Miscegenation”.  You can see the full CAFIB Oficial Standard in http://www.cafibbrasil.com.br/cafib_padrao_raca.html or part in Portuguese below in the # 8 of CAFIB`s newspaper O FILA:

Regards, Chico Peltier.

Cor:

São permitidas as seguintes cores:

1) Amarelos, em todas as tonalidades, desde o baio até o vermelho.

2) Amarelos, em todas as tonalidades, do baio ao vermelho, mas com uma sombra acinzentada.

3) As cores 1 e 2, mas com máscara e orelhas pretas, ou somente máscara preta.

4) Rajados, tigrados ou araçás: fundo, ou cor base, igual a uma das anteriores, com listas ou rajas pretas. As rajas são finas, de uma só largura em toda sua extensão, distribuídas irregularmente por todo o corpo; e também de comprimento muito variado e diverso. Na linha superior do corpo, costumam se encontrar em “V”.

5) Rajados com máscara e orelhas pretas.

6) Brancos com grandes malhas rajadas, estas iguais à cor 4. O branco deve ser puro, sem manchas escuras na pele, provocando sombras.

7) Cinza claro, prateado.

8) Quaisquer dessas cores, com marcas brancas, geralmente nos membros, no peito e na cauda; mais raramente no pescoço, e no focinho, subindo ao crânio.

Desqualificações Gerais

1) Orelhas operadas.
2) Caudas operadas.
3) Nariz cor de carne.
4) Prognatismo, influenciando a linha anterior do focinho.
5) Brancos sem qualquer mancha de outra cor.
6) Fundo branco com malhas pretas.
7) Pretos azeviche.
8) Pretos ardósia.
9) Pretos azeviche ou ardósia, com manchas brancas.
10) Cinza rato.
11) Cinza azulado.
12) Fundo cinza com malhas pretas.
13) Rima labial em ângulo agudo.
14) Temperamento sem reação positiva ao ataque.
15) Forte sensibilidade negativa ao tiro.

Caso voce deseje se aprofundar, sugiro ler no Padrão CAFIB o item intitulado “Desqualificações por Miscigenação” com as Raças

Mastiff  Inglês, Mastim Napolitano e Dogue Alemão (Great Dane ou Dinamarquês) no link http://www.cafibbrasil.com.br/cafib_padrao_raca.html .

Note: this email was sent to CBKC e FCI.

Post nº 34 – Tio Chico Informa nº 16 – A importância de Chris Habig – enviado em 25/08/12

Tio Chico Informa nº 16

A importância de Chris Habig para o Fila Puro e o CAFIB de 1.979 a 1.984.

Meus amigos e amigas,

Recentemente fui informado por amigos que são criadores de Filas na Europa que nosso querido Christopher Habig deixou a vice-presidência da FCI.

Como voces todos sabem, eu entendo que é muito importante preservar a Verdadeira História do Fila. Infelizmente é comum não se dar a devida atenção as nossas memórias. Esta é uma das causas se repetir tanto os erros do passado. E a mestiçagem no Fila é um terrível exemplo de grave erro teimosamente repetido. Justamente por isto que eu gosto de preservar a História do Fila. E continuarei sem dar atenção aos pouquíssimos tolos que reclamam de mim por lembrá-los das seqüelas decorrentes da mestiçagem. Até porque a maioria destes possui mestiços e “filas-pretos” em seus canis.

Sendo assim, desejo relatar para vocês a importância de Chris Habig na História do Fila de 1.979 até 1.984. Principalmente para voces que se iniciaram na criação do Fila após 1.985, quando a mestiçagem já havia sido infelizmente impregnada no nosso Fila. Pois alguns de vocês que se enquadram nesta categoria e que são portanto novos criadores, sequer conhecem o Verdadeiro Fila ou sabem distingui-los dos mestiços com pedigree.

Acho que quem me apresentou o Chris foi o Luciano Cruz de Oliveira, antigo criador de Rottweiler do Rio de Janeiro. Aproximamos-nos melhor depois da minha denuncia que é muito conhecida como a “Carta Aberta de Londres” ( http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/8-Documentos-de-1978/8_14/materia.html ). Eu trabalhava em Londres e em 1.979 Chris me convidou para assistir na cidade alemã de Essen uma Expo de Molossos, onde aconteceria uma Especializada de Fila. Não só assisti como entreguei o “Troféu CAFIB” ao Fila Andador d`Alma Vedro, vencedor da exposição do Club fur Molosser  (veja na segunda foto no link http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/1812.jpg ).

Obs: Foto deste Troféu com este artigo já se encontra disponibilizada no meu blog (https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/ ).

O fato é que de 1.979 até 1.984, Chris e o CAFIB fizeram uma grande parceria em favor da preservação do Fila Puro. Chris foi o primeiro divulgador do Fila Puro e do CAFIB na Europa, denunciando a mestiçagem e o BKC-CBKC.

Este trabalho conjunto pode ser constatado por meio dos documentos abaixo, onde fica comprovado que Chris, enquanto profundo conhecedor da raça Fila, comungou com os objetivos e com a Filosofia de Criação do CAFIB, nos ajudando muito a difundi-la na Europa, brigando pela pureza racial da Raça Fila e, como não seria surpresa, sendo perseguido pelo CBKC. O firme posicionamento do Chris contra a mestiçagem foi tanto que ele abertamente e por diversas vezes tentou retirar do Padrão do Fila-CBKC o malfado “fila-preto” como vocês leram abaixo.

1. Cartas de Chris para Chico Peltier:

1.1. datada de 8/02/79 onde Chris informa que “sabe de diferentes fontes sobre o problema de filas mestiços no Brasil. Os alemães lamentam informar que importaram um fêmea Fila na cor arlequim e um Fila macho com características evidentes de Mastiff-Inglês”. Nota minha: a cor arlequim jamais foi encontrada no Fila e é uma das cores características e que só existe no Dinamarquês (Great Dane), provando assim a utilização do Dinamarquês-preto para se inventar o “fila-preto”. Vejam a segunda foto em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/1842.jpg.

1.2. datada de 3/05/79: onde Chris informa que recebeu de Procópio do Vale “o artigo publicado na revista Animais & Veterinária nº  38-42”. Entretanto me informou:  “A teoria do Procópio sobre a origem do Fila é a Teoria do Fila-Mastiff”…

2. Carta datada de 18/06/79 (http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/9-Documentos-ate-1979/9_12/materia.html ) do ex-presidente do BKC- CBKC, Henrique Lucena, endereçada ao jornalista Paulo Godinho, pedindo a divulgação para:

2.1. o repudio do BKC ao CAFIB, seja lá o que isto for… (rsrsrs);

2.2. a punição a vários membros do CAFIB, entre eles, Paulo Santos Cruz, Airton Campbell e Américo Cardoso;

2.3. alem disto Lucena determinou que eu seria “condecorado” com o título de “Persona non Grata” (rsrsrs), seja lá o que isto for… Apesar de não ter obviamente poderes para tanto, a pretensão e prepotência do Todo Poderoso Lucena chegou ao ponto de que ele “decretou” que eu “não tinha poderes para fazer qualquer pronunciamento sobre a Raça Fila”. Ora, meus amigos, quanta bobagem e politicagem inútil. Como se eu fosse parar de fazer minhas denuncias por causa de uma intimidação tola e vazia como esta (rsrsrs)…

2.4. Entretanto, ao final desta mesma carta, revela-se o motivo da ira de Lucena contra o CAFIB: o ingênuo Procópio do Vale escreveu uma carta ao Chris convidando-o para escrever um artigo para seu livro sobre o Fila. Quanta inocência do meu Velho Procópio… Evidente que recebeu do nosso querido Chris a resposta que merecia ( vide http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/9-Documentos-ate-1979/9_12/doc_6.jpg ). Com muita objetividade e franqueza, assim respondeu o Chris: “Na Alemanha nós criamos o Fila Puro. Nós possuímos um seriíssimo controle de criação e ficamos indignados com o cruzamento de Filas com outras raças realizadas em seu país. Além do mais, nós seguimos os objetivos dos nossos amigos do CAFIB, que brigam contra os mestiços de Fila. Eles contam com a total solidariedade dos amantes do Fila na Alemanha. Não conhecemos suficientemente suas intenções pessoais e qual é o seu papel (na criação do Fila). Sendo assim, informo não desejar participar do seu livro”. Procópio ficou então muito surpreso com esta dura repreensão que recebeu do Chris que foi pedir socorro ao Todo Poderoso Lucena. Caso prefiram a tradução desta carta entregue pelo próprio Procópio ao Lucena basta clicar em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/9-Documentos-ate-1979/9_12/doc_7.jpg.

3. Documento do jornal o Estado de São Paulo (Estadão) datado de 22/07/82 ( http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/10-Documentos-de-1980-a-1983/10-8.jpg ) publicado por Antonio Carvalho Mendes, informando que o Clube dos Molossos da Alemanha e o então Kennel Clube da Alemanha Ocidental (VDH) não aceitaram o pedido de Henrique Lucena, à época presidente do CBKC, solicitando que estes clubes não aceitassem mais os pedigrees emitidos pelo CAFIB. Entretanto o CBKC sofreu ainda mais uma dura derrota, visto que estes clubes responderam ao CBKC que recusavam esta solicitação com “base no argumento de que os documentos emitidos pelo CAFIB são confiáveis, o que não ocorre com os pedigrees emitidos pelo CBKC”. Ou seja: mais uma vergonha para o CBKC!!!

4. Em 12/08/83 Chris e eu visitamos o Henrique Lucena em seu apartamento na Barra da Tijuca no Rio. Ao contrário do que muitos pensam, eu sempre me dei bem com meus adversários de idéias e sempre freqüentei a sede do BKC e, depois, CBKC na Rua Debret no Centro do Rio onde Lucena, Miranda e outros presidentes despachavam. Depois de muita conversa e do Lucena ter comentado abertamente a existência da mestiçagem, Chris e eu “arrancamos” este importante e primeiro depoimento do Lucena reconhecendo a mestiçagem em Carta Aberta datada de 12/08/83. Basta clicar em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/10-Documentos-de-1980-a-1983/10-14.jpg. Anos mais tarde, já afastado de suas obrigações junto ao CBKC, Lucena bem mais relaxado deu seu irrefutável depoimento sobre a mestiçagem no livro do criador e escritor do UNIFILA Antonio Carlos Linhares Borges (http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/11-Documentos-1984-ate/11_20a/materia.html ).

5. Documento do jornal Estadão datado de 18/08/83 (http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/10-Documentos-de-1980-a-1983/10-15.jpg ) informando que nosso Chris estava “muito desapontado” pois, apesar de ser Juiz da FCI, recebeu um oficio de Jayme Martinelli, então Presidente do Conselho de Árbitros do CBKC, impedindo-o — sem direito a defesa (!!!) — de “julgar a Raça Fila, na I Exposição Geral Sulamericana do Jundiaí Kenel Clube/FCI nos dias 20 e 21 de Agosto de 1.983”, visto que nosso querido Chris cometeu o “crime” de assistir a Expo do CAFIB em Campinas uma semana antes… Nesta mesma edição do Estadão é publicada a carta acima de 12/08/83 onde Lucena reconhece a mestiçagem no Fila.

6. Documento do jornal Estadão datado de 25/10/83 (  http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/10-Documentos-de-1980-a-1983/10-16.jpg) acrescentando detalhes da proibição arbitrária imposta pelo CBKC ao Chris, dando mais detalhes sobre a visita dele ao nosso país e, ainda, informando que Chris retornou para a Alemanha levando em sua bagagem dois Filas fruto de uma ninhada programada e com pedigree do CAFIB.

7. Documento do jornal Estadão também datado de 25/10/83 (   http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/10-Documentos-de-1980-a-1983/10-16-A.jpg ) publicando relatório elaborado pelo próprio Chris sobre esta sua viajem ao Brasil, de onde destaco as seguintes declarações:

7.1. devido ao fato de que a Alemanha esta recebendo muitos Filas sem aparência de Filas (mestiços) vim ao Brasil ver como membros do CBKC estão encarando este problema e como o CAFIB esta implementando suas idéias de “aprimoramento”. Nota minha: uma simples viagem como esta para apurar as denuncias de mestiçagem jamais foi feita pelo “cartório” FCI que, via CBKC, cobra pela emissão de pedigrees de Filas…

7.2. minha impressão (sobre a mestiçagem) que tenho desde 1.978 foi confirmada. “A luta a respeito do Fila no Brasil é uma briga dos que se esforçam muito para preservar o Fila” e os que estão “envolvidos na exposição ou promoção ou na criação de Filas de raças mistas”. Chris recrimina os mestiçadores e apóia o CAFIB;

7.3. fiquei contente com a “longa conversa que tive com o Sr. Lucena,” e pude dizer a ele “o que os europeus acham em relação a mistura de raças”; “fiquei muito contente em ver que o Sr. Lucena não hesitou em declarar oficialmente que de fato houve a miscigenação na criação dos Filas e que, conseqüentemente, existem pedigrees falsos”, acrescenta ainda que a miscigenação na Raça Fila já era conhecida na Europa, devido inclusive aos artigos publicados pela revista Molosser-Magazin;

7.4. Na qualidade de juiz da FCI eu não poderei colaborar com o CAFIB. Mas em termos de cinofilia, em termos de fortalecimento do maravilhoso Fila Puro, nos estamos muito próximos (do CAFIB)”.

8. Documento do jornal Estadão datado de 10/11/83 (  http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/10-Documentos-de-1980-a-1983/10-17.jpg ) informando que Chris publicou um relatório de sua viagem ao Brasil na revista Molosser-Magazin, inclusive mencionando o depoimento de Lucena reconhecendo a existência da mestiçagem.

9. Documento do jornal Estadão datado de 3/05/84 (  http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/11-Documentos-1984-ate/11-1.jpg ) dando as primeiras informações sobre as comemorações que seriam realizadas na Alemanha e organizadas pelo Club fur Molosser celebrando o 30º aniversário da chegada do primeiro Fila naquele pais e da qual participaria como convidado de honra Dr. Paulo Santos Cruz. O jornalista Antonio Carvalho Mendes publicou ainda nesta reportagem um excelente balanço sobre a Raça Fila e a mestiçagem.

10. Documento do jornal Estadão datado de 17/05/84 (  http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/11-Documentos-1984-ate/11-3.jpg ) informando que foi criado pelo Club fur Molosse o “Dia do Fila” que será comemorado na Alemanha com a presença do Dr. Paulo Santos Cruz, reconhecido como “Pai do Fila”, “Mestre de Criação do CAFIB” e como “uma verdadeira autoridade mundial em cinofilia, admirado e respeitado pela profundidade e amplitude de seus conhecimentos cinotécnicos”. Informa ainda que nesta oportunidade ao redor de 70 Filas da Alemanha serão analisados segundo o Padrão do CAFIB, o que representa “o reconhecimento do trabalho técnico que o CAFIB vem desenvolvendo no Brasil nos últimos anos, na seleção e aprimoramento dos Filas Puros, através de rigorosas Análises de Fenótipo e Temperamento”. Na organização destas comemorações encontrava-se o nosso Chris.

11. Documento do jornal Estadão datado de 24/05/84 (  http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/11-Documentos-1984-ate/11-5.jpg ) informando que o Dr. Paulo Santos Cruz embarcou para cidade de Kirccheim, para participar das comemorações do “Dia do Fila” e do 30º aniversário da chegada do primeiro Fila  na Alemanha que foi importado pelo Príncipe Albrecht Von Bayern. Informa ainda que Dr. Paulo realizará uma palestra em alemão e fará uma Análise (do CAFIB) nos Filas, sendo ciceroneado pelo nosso Chris.

12. Documento do jornal Estadão datado também de 24/05/84 (  http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/11-Documentos-1984-ate/11-6.jpg ) onde, comentando as comemorações da Alemanha, são publicadas duras criticas do Coronel  Arthur Verlangiei, ex-presidente do Clube Mineiro de Criadores de Fila Brasileiro, aos “órgão responsáveis” pela cinofilia brasileira. O jornalista Antonio Carvalho Mendes publica ainda as seguintes declarações do Coronel Verlangieri: “O Dr. Paulo é inegavelmente o embaixador natural do Fila, pelo seu pioneirismo, pela primeira exportação para a Alemanha e pelo sacrifício que se impôs durante anos, afastado dos eventos cinófilos pelo egoísmo e ganância dos que se apossaram do poder e procuraram de todas as maneiras possíveis impedirem o seu retorno às pistas, inclusive alguns de seus antigos alunos, conhecedores do seu carisma”.

13. Documento do jornal Estadão datado ainda de 28/06/84 (  http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/11-Documentos-1984-ate/11-8.jpg e http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/11-Documentos-1984-ate/11-8-A.jpg ) com extenso relatório sobre a viagem de Dr. Paulo a cidade de Kirccheim, Alermanha para as comemorações mencionadas acima que foram organizadas pela revista Molosser Magazin, editada por Chris Habig; pelo Club fur Molosser presidido por Walt Weisse e pelo Arbeitsgemeinschaft Fila Brasileiro presidido por Dagmar Deininger.

Deste grande evento participaram 59 Filas e, alem das 3 pessoas mencionados acima, o consul-geral do Brasil Mario Calabria, Fraú Maria Pujahl, juíza da FCI e diversos criadores como Gerd Piekarski. E, ainda, para surpresa do Dr. Paulo, compareceu o ex- presidente do CAFIB, Antônio Silva Lima que estava trabalhando na Holanda e ajudou na Análise dentro da pista.

13.1. Palestra proferida pelo Dr. Paulo que durou das 16 às 24 horas, e foi interrompida para um jantar para 80 participantes e, após, muitas perguntas. Depois disto a diretoria do clube deliberou assuntos internos e, mais uma vez, aprovou “por unanimidade uma moção dirigida ao CBKC pedindo para incluir no Padrão (CBKC) do Fila a proibição da cor preta que passaria a ser falta desqualificante por miscigenação”.

13.2. Análise de fenótipo e Temperamento de 59 Filas realizada nos moldes do CAFIB, com sumula escrita, da qual  participaram Filas da Alemanha e da Holanda, sendo alguns de “alta qualidade, bem típicos, de excelente temperamento e sistema nervoso”, assim como fora da pista estavam alguns cães atípicos que não participaram do evento pois sabiam que o Dr. Paulo era do CAFIB. Conclusão: “Os criadores alemães já sabem distinguir os mestiços”…

Sendo assim meus amigos, por todo este seu forte posicionamento em defesa do Fila Puro e do CAFIB no Brasil e principalmente na Europa, ajudando a preservar o Fila e difundir a Filosofia de Criação do CAFIB ao redor do mundo, considero Chris Habig um dos mais importantes divulgadores do Fila Puro e do CAFIB na Europa.

Entretanto, para minha surpresa, quando retornei ao mundo do Fila no final de 2.008, do qual havia me afastado em meados de 1.995, e fui receber de surpresa na Expo de Quatis-RJ uma emocionante homenagem do CAFIB à minha pessoa (uma placa com a inscrição “Pai do CAFIB”, que é mais do que mereço… Vide http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/12-CAFIB%20BRASIL/12_6/materia.html ) e ser instigado a criar meu site (http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/) a fim de disponibilizar grande parte da documentação histórica que possuo para todos vocês, fiquei sabendo que Chris era vice-presidente da FCI. De inicio não acreditei, pois não o via aprisionado numa estrutura clubística rígida como esta, mas fui ao site da FCI e lá estava o nome do meu velho amigo.

É claro que o Chris que eu conheci de 1.979 até 1.984 tinha todo o conhecimento cinófilo e formação cultural para ocupar este cargo ou a própria presidência da FCI. Prova disto que ele é alto-executivo de um grande banco alemão. Mas eu, pessoalmente, sempre achei o Chris um “espírito-livre”, contestador, pronto para tentar reescrever e corrigir os erros do passado como ainda é a mestiçagem na Raça Fila. Onde o maior erro é, em última análise, emitir pedigrees para mestiços por quase 40 anos. E isto sem que a FCI tenha sequer se interessado em apurar as denuncias expressas do CAFIB !!! Insistindo neste erro apesar de tantas denúncias, ofícios e depoimentos. Até mesmo o reconhecimento por duas vezes da mestiçagem por parte de  Henrique Lucena!!! Sendo assim, de certa forma me recusava a imaginá-lo como um burocrata da FCI que por meio do BKC e do CBKC tanto mal fez a Raça Fila. Mesmo levando em consideração o conhecimento do Chris pelas demais raças, principalmente os molossos, algo em mim sempre perguntava por onde andaria o meu Velho Chris dos anos 70 e 80. Afinal, nós dois juntamente com os precursores do CAFIB, tais como Airton, Américo, Maciel, Fernando, Caico, Silva Lima, Souto Maior, Pedro, Luciano e tantos outros, fazíamos parte da geração revolucionária e contestadora dos anos 60 e 70, de onde saíram tantos “dissidentes” ilustres que ajudaram a mudar o mundo para muito melhor!!! Nós jamais aceitaríamos a mestiçagem ilegal e sem controle ou a falsificação de pedigrees. Jamais toleraríamos a tentativa de mudança no Fenótipo e no Temperamento da Raça Fila. Nunca. Afinal, acomodação e Zona de Conforto não fazem parte de nosso dicionário e atitudes!!!

Pois bem, desde 1.984 perdi o contato com o Chris. Não sei como ele foi parar na FCI, nem muito menos por que de lá ele saiu. Isto não importa. O fato é que o CAFIB e eu somos muito gratos ao Chris e sempre dedicaremos a ele nossa eterna gratidão pelo seu posicionamento ético, corajoso e honesto em relação ao Cão de Fila Brasileiro durante aquele período.

Quanto a voces que se iniciaram na criação do Fila após 1.984, espero que este artigo consiga elucidar as dúvidas que por ventura voces tenham e faça com que voces prefiram criar o Verdadeiro Fila.

Assim, com meu reconhecimento e agradecimento, envio meu forte abraço para o velho amigo Chris. Onde quer que ele esteja.

Chico Peltier.

Obs: este artigo já se encontra postado com fotos no meu blog https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/

Post n° 33 – Uncle Chico Newsletter # 16 – The importance of Chris Habig – sent Aug, 24th.- 2012

Uncle Chico Newsletter # 16

The importance of Chris Habig for the Pure-Fila & the CAFIB from 1979-1984.

Dear friends,
Recently, I was told by friends that are Fila breeders in Europe that our beloved Christopher Habig left the vice-presidency of the FCI.

As you all know I understand it is very important to preserve the True History of Fila. Unfortunately, one commonly does not give proper attention to his own memories. This is one of the causes of repeating many past mistakes. The mix-breeding of the Fila is a terrible example of serious error repeated stubbornly. This is precisely why I like to preserve the history of the Fila. Thus, I will keep ignoring the few fools who complain about me for reminding them of sequel resulting from mixed breeding. Especially because, most of those persons own mix-breeds and “black-fila” in their kennels.

Therefore, I wish to report to you about the importance of Chris Habig in the History of the Fila from1979 until 1984. Most importantly, to those who began breeding Filas after 1985, when unfortunately, mixed-breeding had been imbued within our Filas. Because some of you who fall into this category are therefore new breeders, you do not even know the True Fila know or how to distinguish them from crossbred having a pedigree.

I think whoever introduced me to Chris was Luciano Cruz de Oliveira, former Rottweiler breeder in Rio de Janeiro. We approach better after my complaint well known as the “Open Letter from London” (http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/8-14/Page6.html ). I was working in London in 1979 and Chris invited me to attend the Molosser Expo in the German city of Essen, wherein a Fila specialty show would occur. Not only did I attend but, I handed the “CAFIB Trophy” to the Fila named Andador d`Alma Vedro, winner of Club fur Molosser Expo. (second photo in the link http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/1812.jpg ).

Note: This Trophy Photo with this article is already available on my blog (https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/ ).

The fact is that from 1979 until 1984, Chris and CAFIB had a great partnership in favor of the preservation of the Pure-Fila. Chris was the first spreader about the Pure-breed Fila and CAFIB in Europe, exposing mixed-breeding and the BKC-CBKC.

This joint effort can be evidenced throughout the documents below, where it is proved that Chris, while being a Fila connoisseur, communed with the goals and the CAFIB Breeding Philosophy, helping us to really spread it throughout Europe, fighting for the Pure-breed Fila and as it would not be surprising, being persecuted by CBKC. Chris’s firm position against mixed-breeding was such that he openly and repeatedly tried to remove the awful “black-fila” variation from the CBKC-Fila Standard, as you will read below.

1. Letters to Chris Chico Peltier:
1.1. dated Feb,8/79 where Chris advises that “knows from different sources about the problem of Filas “mestizos” in Brazil. The Germans regret to inform that imported a Fila female harlequin color and a  Fila male  with obvious characteristics of English-Mastiff. “My Note: the color harlequin ever been found in the Fila and is one of the colors and features that only exist in Great Dane, thus proving the use of the black Grat Dane to “invent” the so called  “black-fila”. Look at the second picture in http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/1842.jpg .
1.2. dated May, 3-79: where Chris inform he received from Procopio do Valle “article published in the magazine “Animal & Veterinary No. 38-42”. However Chris informed me: Procopio`s theory about the Fila origin is the Fila-Mastiff Theory” …
2. Letter dated Jun,18/79 (http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/9-Documentos-ate-1979/9_12/materia.html ) from the former president of BKC-CBKC, Henrique Lucena, addressed to the journalist Paulo Godinho, asking for the publication of:
2.1. The repudiation of the CAFIB by the BKC, whatever that means … (Lol);
2.2. Punishment of several members of CAFIB, among them, Paulo Santos Cruz, Airton Campbell and Americo Cardoso;
2.3. Besides this, Lucena determined that I would be “honored” with the title of “Persona Non Grata” (Lol), whatever that means … Obviously, not having any power grant such a thing. The pretense and arrogance of the Almighty Lucena reached the point that he “decreed” that I “had no power to make any pronouncement about the Fila.” Well my friends, what silly and pointless politicking. As if I would stop doing my complaints because of a silly, empty intimidation and like that (Lol) …
2.4. However, at the end of this same letter the reason for Lucena’s anger against CAFIB is revealed: the naive Procopio do Vale wrote a letter to Chris asking him to write an article for his book about the Fila. How much innocence, Procopio!… Clearly he received the response he deserved from our beloved Chris (see http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/9-Documentos-ate-1979/9_12/doc_6.jpg ). With great candor and objectivity, Chris said: “In Germany we breed the Pure-breed Fila. We have very serious breeding regulations and we are repulsed by the crossing of the Fila with other breeds as been held in your country. Furthermore, we follow the goals of our friends in CAFIB, who fight against the mix-bred Fila. They have full solidarity from Fila Lovers in Germany. We do not know your personal intentions sufficiently and what your role is (in the Fila breeding). So, I inform you do not want to participate in your book”. Procopio was then very surprised with this stinging rebuke he received from Chris and sought help from the Almighty Lucena. If you prefer the translation of the letter given Procópio’s to Lucena just click http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/9-Documentos-ate-1979/9_12/doc_7.jpg
3. Document published in the newspaper “O Estado de São Paulo” (Estadão) dated Jul,22/82 (http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/10-Documentos-de-1980-a-1983/10-8.jpg ) published by Antonio Carvalho Mendes, stating that the Molossos Club of Germany and the West German Kennel Club (VDH) refused the request of Henrique Lucena, president of CBKC at the time, that these clubs no longer accept the pedigrees issued by CAFIB. However CBKC suffered yet another heavy loss, as these clubs reported to the CBKC that they refused this request “on the grounds that the documents issued by CAFIB are reliable, which does not occur with pedigrees issued by CBKC.” In other words: another shameful outcome for CBKC!!
4. On Aug,12/83 Chris and I visited the Henrique Lucena in his apartment in Barra da Tijuca in Rio. Contrary to what many think, I always got along with my opponents on ideas and always frequented BKC headquarters and afterward, when it became CBKC on Debret Street in downtown Rio where Lucena, Miranda and other presidents dispatched. After much argumentation and Lucena have commented openly about the existence of mix-breeding, Chris and I “plucked” this important first testimony about mixed-breeding out of Lucena, acknowledged in a letter dated Aug,12-83 ( http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/10-Documentos-de-1980-a-1983/10-14.jpg ). Years later, by then already free from his obligations under the CBKC, a much more relaxed Lucena, gave his irrefutable testimony about mixed breeding in Unifila breeder and writer Antonio Carlos Linhares Borges’s book. ( http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/11-Documentos-1984-ate/11_20a/materia.html ).

5. Document Estadão newspaper clipping dated Aug,18/83 ( http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/10-Documentos-de-1980-a-1983/10-15.jpg ) stating that Chris was “very disappointed” because, despite being a FCI Judge, he received an official letter from Jayme Martinelli, then Chairman of the CBKC Referee Counsel, banning him – without right of defense (!) – to “judge the Fila in the I South American Kennel Club General Exhibition of Jundiaí / FCI from the 20th and 21st  August 1983″, since our beloved Chris committed the “crime” of attending the Expo in Campinas CAFIB a week before … In this same issue of the Estadão it is published about the letter dated Aug,12/83 wherein Lucena recognizes mix-breeding within the Fila breed.

6. Document Estadão newspaper clipping dated Oct,25/83 (http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/10-Documentos-de-1980-a-1983/10-16.jpg) added details about the arbitrary ban imposed by CBKC on Chris, giving details about his visit to our country, and also stating that Chris returned to Germany taking with him up two Filas resulting from a scheduled litter and having a CAFIB pedigree.
7. Document from newspaper Estadão clipping dated Oct,25/83 (http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/10-Documentos-de-1980-a-1983/10-16-A.jpg ) published a report elaborated by Chris himself about this journey to Brazil, where I highlight the following statements:
7.1. “due to the fact that Germany is receiving many Filas without the appearance of Fila (mix-bred), I  came to Brazil to see how members of CBKC are facing this problem and how CAFIB implementing their ideas of “improvement”. My Note: a simple trip like this to investigate the allegations of mix-breeding was never made by the FCI, which via CBKC “registry” and charges for issuing pedigrees …
7.2. “The impression I have (about mix-breeding) since 1978 have been confirmed.” “The fight about the Fila in Brazil is a fight by those who strive hard to preserve the Fila” and those “involved in promotion or exhibition or breeding Fila of mixed breeds.” Chris chides the mix-breeders and supports CAFIB;
7.3. “I was pleased with the “long conversation I had with Mr. Lucena,” and I could tell him “what Europeans think about the mixing of breeds”, “I was very pleased to see that Mr. Lucena did not hesitate to declare officially that in fact there was mix-breeding in Fila breeding and that, consequently, there are false pedigrees,” I added that the mix-breeding in the Fila was known in Europe, due to articles published by the magazine Molosser-Magazin”;
7.4. “As an FCI judge, I will not be able to collaborate with CAFIB. But in terms of cinophilia, in terms of strengthening the wonderful Pure-breed Fila, we are very close (to CAFIB). “

8. Document Estadão newspaper clipping dated Nov,10/83 ( http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/10-Documentos-de-1980-a-1983/10-17.jpg) stating that Chris published a report of his travel to Brazil in the Molosser-Magazin, including citing the testimony from Lucena recognizing the existence of mixed-breeding.
9. Document Estadão newspaper clipping dated May,03/84 (http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/11-Documentos-1984-ate/11-1.jpg ) with the first  information about the celebrations that were held in Germany and organized by Club fur Molosser celebrating the 30th anniversary of the arrival of the first Fila in that Country and the participation of Dr. Paulo Santos Cruz as Guest of Honor. The journalist Antonio Carvalho Mendes also published an excellent assessment report on Fila mixed-breeding.

10. Document Estadão newspaper clipping dated May,17/84 (http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/11-Documentos-1984-ate/11-3.jpg ) stating that it the “Day of Fila “was created by the Club fur Molosse will be celebrated in Germany with the presence of Dr. Paulo Santos Cruz, recognized as “Father of the Fila”, ” CAFIB’s Master Breeder ” and as “a true world authority on show dogs, admired and respected by the depth and breadth of his technical knowledge.” Also informed was that around 70 Filas in Germany will be analyzed according to the CAFIB Standard, which represents “the recognition of the technical work that CAFIB has been developing in Brazil in recent years, the selection and improvement of Pure-breed Filas through rigorous analysis of Phenotype and Temperament”. Our beloved Chris was present in organizing these celebrations.

11. Document Estadão newspaper clipping dated May,24/84 (http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/11-Documentos-1984-ate/11-5.jpg

) stating that Dr. Paulo Santos Cruz embarked to the city of Kirccheim to participate in the celebrations of the “Day of the Fila” and the 30th anniversary of the arrival of the first Fila in Germany that was imported by Prince Albrecht von Bayern. It further reported that Dr. Paulo would hold a lecture in German and will do an (CAFIB) analysis of Filas, being chaperoned by our Chris.

12. Document Estadão newspaper also dated May,24/84 ( http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/11-Documentos-1984-ate/11-6.jpg) where, commenting on the celebration in Germany, harsh criticism made by Colonel Arthur Verlangiei, ex Club president of the Clube Mineiro de Criadores de Fila Brasileiro (Fila Breeders Club of Minas Gerais), to the “agency responsible” for Brazilian dog fancy. The journalist Antonio Carvalho Mendes also publishes the following statements by Colonel Verlangieri: “Dr. Paul is undeniably the natural ambassador of the Fila, for his pioneering, for being the first to export to Germany and for the self imposed sacrifice that prevailed during years removed himself from Fila events by reason of the selfishness and greed of those who seized power and sought in every way possible to prevent his return to the dog shows, including some of his former students, all knowing of his charisma. “

13. Document Estadão newspaper clipping dated Jun,28/84 (http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/11-Documentos-1984-ate/11-8.jpg

and http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/11-Documentos-1984-ate/11-8-A.jpg ) an extensive report on Dr. Paulo’s  trip from to the city of Kirccheim, Germany for the celebrations that were organized by Molosser Magazin edited by Chris Habig; by Club fur Molosser chaired by Walt Weisse and the Arbeitsgemeinschaft Fila Brasileiro chaired by Dagmar Deininger.

In this great event 59 Filas participated and also besides the three people mentioned above, the Brazil`s general consul Mario Calabria, Frau Maria Pujahl, FCI Judge and various breeders such as Gerd Piekarski. And still, to the surprise of Dr. Paulo, the former president of CAFIB, Antonio Silva Lima who was working in Holland, attended and helped in the Analysis in the show.

13.1. The Lecture, by Dr. Paul lasted from 4pm to midnight only interrupted by a dinner for 80 participants, after many questions. After that, the club board decided affairs and, once again, approved “unanimously a motion addressed to CBKC asking that the prohibition of the black color Fila be a disqualifying fault due to mixed-breeding, be included in the (CBKC) Standard.”

13.2. Temperament and phenotype analysis of 59 Filas from Germany and Holland held in the model of CAFIB in writing on their template, some being of “high quality, very typical, having excellent temperament and nervous system” as well as outside the show some dogs were atypical that attended the event because they knew that Dr. Paulo was from CAFIB. Conclusion: “German breeders already know how to distinguish the mix- bred dogs” …

So my friends, by his strong position in defense of Pure-breed Fila and CAFIB in Brazil and especially in Europe, helping to preserve the Fila and to spread the CAFIB Breeding Philosophy around the world, I think Chris Habig was one of the most important disseminators of the Pure-breed Fila and CAFIB public in Europe.

However, to my surprise, when I returned to the world of Fila in late 2.008, which had walked away from in mid-1.995, and went on to receive a surprise Expo Quatis-RJ an exciting CAFIB tribute to my person (with a plate with the inscription “Father of CAFIB”, which is more than I deserve … ( click http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/12-CAFIB%20BRASIL/12_6/materia.html )  and be prompted to create my website (http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/ ) in order to provide much of the historical documentation that I have for all of you, I learned that Chris was vice president of the FCI. At first I did not believe it, because I could not visualize him trapped in a rigid clubistic structure like this, but I went to the FCI website and there was the name of my old friend.
Of course, the Chris I knew from 1979 to 1984 had full knowledge about dogs and cultural background to fill this position or the presidency of the FCI itself. Proof of this is that he is a high executive of a major German bank. But, I personally have always found Chris to be a “free-spirit”, a challenger, ready to try to rewrite and correct the mistakes of the past as interbreeding and as it still is within the Fila. Where is the biggest mistake, ultimately issuing pedigrees for mix-breed for nearly 40 years. And this without the FCI has not even been interested in investigating the complaints expressed by CAFIB!!! Insisting on this error despite many official complaints, letters and testimonials. Even the twice recognition of mixed-breeding by Henrique Lucena!!! So, somehow I refused to imagine him as a FCI bureaucrat, which through BKC and CBKC did the Fila much harm. Even taking into account the Chris’s knowledge of the other breeds, especially the molossers, something I always wondered, where would good old from the 70’s and 80’s Chris be?

After all, the two of us along the forerunners of CAFIB such as Airton, Americo, Maciel, Fernando, Caico, Silva Lima, Souto Maior, Pedro, Luciano and many others, were part of the revolutionary and rebellious generation of the 60’s and 70’s, where many ” “distinguished dissidents” helped change the world for the very best!! We would never accept illegal and uncontrolled mixed-breeding or falsifying pedigrees. We would never tolerate the attempt to change the phenotype and temperament of the Fila. Never. After all, Comfort Zone and accommodation are not part of our dictionary and attitudes!!!

Well, since 1984 I have lost touch with Chris. I do not know how he ended up in FCI, much less why he went there. It does not matter. The fact is that CAFIB and I are very grateful to Chris and always dedicate to him our eternal gratitude for his ethical stance, having been bold and honest about the Fila Brasileiro during that period.

As for you guys that started breeding Filas after 1.984, I hope this article can clarify the doubts that perhaps you may have and let you guys prefer to breed the True Fila.
So, with my appreciation and gratitude, I send my warm embrace for his old friend Chris. Wherever he is.

Chico Peltier.

Notes:

Translated by Ligia Moris, Boiadeiro do Jatobá Kennel – MG, Brazil.

This article is already posted on my blog with photos https://filabrasileirochicopeltierblog.wordpress.com/

Post nº 32 – Tio Chico Informa nº 15 – Sobre o Temperamento do Fila – enviado em 20/08/12

Tio Chico Informa nº 15

Sobre o Temperamento do Fila 

Recebo muitos emails reclamando da falta de Temperamento característico da Raça Fila, que não é encontrado com freqüência no Fila-CBKC. Pedem que eu escreva artigos comentando esta deficiência que infelizmente aparece em muitos cães.

Ora, meus amigos, apesar de não ser juiz do CAFIB, acredito que vocês tem que ter em mente que o plantel de Fila-CBKC, apesar dos muitos Filas Típicos que possui, congrega também um enorme número de mestiços.

Então pergunto a voces: estes mestiços são provenientes do que?

Resposta: todos nós sabemos, apesar de alguns fingirem não saber, que são provenientes de cruzamentos e registros ilegais do Fila com Mastiff Inglês, Mastin Napolitano e Dinamarquês (Great Dane).

Então eu pergunto: estas três raças tem, como característica do seu temperamento, OJERIZA a estranhos?

Resposta: claro que não.

Então como muitos de vocês podem desejar que num passe de mágica e com este elevado grau de mestiçagem, que os filas-mestiços portadores de pedigrees de Fila tenham temperamento de verdadeiros Filas? É obvio que não vão ter obrigatoriamente.

Esta falta de Temperamento é, portanto, decorrente geneticamente da mestiçagem e daqueles que nela preferem permanecer e continuar criando.

Quando trabalhei em New York e Londres, visitei muitos canis de Mastiff Inglês, Mastin Napolitano e até de Mastin Tibetano. Fui as duas maiores exposições caninas do mundo que são Westminster (USA), organizada pelo AKC e a Crufts (GB), organizada pelo The Kennel. A FCI não tem nada sequer parecido. Nem de longe. Fui também à expo de Essen (AL). Em todas estas expo e em vários canis que visitei brinquei e acariciei vários cães destas raças. Eles são dóceis. O Dinamarquês (Great Dane) que se encontra com facilidade Brasil também possui um temperamento tranqüilo.

Logo, pelo amor de Deus, não queiram exigir de mestiços o TEMPERAMENTO característico de um Fila-Puro. Não existe mágica nem milagre. O Temperamento dócil é apenas uma das muitas seqüelas impregnadas na Raça Fila pela mestiçagem e pelos cartórios emissores e vendedores de pedigree. Apenas isto.

Sugiro que vocês aprendam a distinguir um Fila Puro de um mestiço lendo o excepcional artigo do Mestre de Criação do CAFIB, Dr. Paulo Santos Cruz, que foi publicado no nº 1 do jornal “O FILA”, editado pelo jornalista Luis Antonio Maciel, fundador e primeiro secretário do CAFIB:http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/8-Documentos-de-1978/8_30/materia.html.

Vejam abaixo nesta foto de 1.978 o Tio Chico brincando com um belo, enorme e dócil exemplar da Raça Mastiff Inglês no norte de Londres. Este é o temperamento destas raças.

Concluindo: é justamente por isto que tenho sugerido aos criadores sérios do Fila-CBKC que instaurem logo o APR (Apto para Julgar) que é o mais elementar sistema de seleção e controle. Não se esquecendo de antes preparar o APJ (Apto para Julgar) como alertou Jaime Perez representante do CAFIB na Espanha, para que juízes de fato com conhecimento possam separar do plantel de Filas-CBKC os cães mestiços e atípicos. O CAFIB se coloca mais uma vez a disposição de vocês para ajudar e colaborar

Abs, Tio Chico.

Post nº 31 – Tio Chico Informa nº 14 – Parabéns aos criadores de Filas Típicos do CBKC!!! – enviado em 17/08/12

Tio Chico Informa nº 14

Amigos,

1. Expo do Fila-CBKC:

Recentemente ocorreu uma amostra de Filas realizada pelo Kennel Club de Curitiba, com uma especializada do CBRFB.

O link para acessar as fotos deste evento encontra-se em: https://www.facebook.com/media/set/?set=a.344573062295514.82124.100002284689052&type=1

Vejam que a grande maioria das fotos dos Filas apresentados neste link é de boa tipicidade e, apesar de eu não ser Juiz do CAFIB, diria que a grande maioria seria aprovada em nossa Análise de Fenótipo e de Temperamento.

Ficamos muito felizes em poder constatar, conforme eu venho afirmando há bastante tempo, que existem muitos Filas Típicos no plantel do CBKC.

Mas, infelizmente, ficamos tristes por não vermos nenhuma política séria e consistente que afaste do plantel do Fila-CBKC os cães mestiços e atípicos que possuem pedigree de Fila. Pois não acreditamos que sem seleção e controle seja possível criar nenhuma Raça animal. Muito menos a Raça Fila que, como todos nós sabemos, sofreu enorme miscigenação.

Assim, mais uma vez, meus parabéns aos criadores de Filas Típicos do CBKC!!!

2. Fila “franco-brasileira”…:

Recentemente Andre Castro (Canil do Sertão – Porto – Portugal) postou no Facebook do Edison Souza a foto de uma boa fêmea Fila de criação francesa. Repito que não sou juiz do CAFIB, mas vejam abaixo esta foto e percebam como este plantel do Fila-CBKC poderia ser também muito bem trabalhado no sentido de se buscar o Verdadeiro Fila. Assim como fazemos no CAFIB há 35 anos com muito sucesso!!! Bastaria que os verdadeiros criadores de Filas do CBKC saíssem do anonimato e passassem a se interessar e participar mais do aprimoramento desta criação. Se isto ocorrer, tenho absoluta certeza de que em breve desaparecerão dos Facebooks uma enorme quantidade de fotos de Mastins Brasileiros que são postados como se fossem Filas Puros.

 

3. Elegância:

Na Expo de Curitiba ainda se comenta a elegância do juiz Roberto Sene…(rsrsrs).

Abraços a todos, Chico.

Post nº 30 – Perguntem ao Tio Chico nº 15 – criadores do CBKC frequentando Expos do CAFIB – enviado em 8/08/12

 Perguntem ao Tio Chico nº 15

Amigos/as,

Nos últimos meses mais criadores de Fila do CBKC têm passado a frequentar as Exposições do CAFIB, descobrindo que não existe incompatibilidade alguma em participar de eventos destes dois clubes. Eles têm sido muito bem recebidos e ficam bem impressionados com o nosso conhecimento técnico e histórico, bem como com nossa administração e sistema de aprimoramento racial, baseado em nossa Análise de Fenótipo e Temperamento. Alguns destes criadores chegaram até a se associar ao CAFIB e outros tiveram seus Filas aprovados em nossas Análises. Alguns chegaram até a conquistar boas qualificações em nossas Exposições. Entendo que por causa disto temos recebido perguntas de criadores de outros clubes pretendendo conhecer e entender a Filosofia de Criação do CAFIB, principalmente referentes às nossas Análises (vide no excelente artigo de Américo Cardoso http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fila_brasileiro-cachorro.html ) e nosso sistema de aprimoramento genético. Sendo assim, agrupei as perguntas recebidas nos itens abaixo, de forma a facilitar estes esclarecimentos para voces.

Nota 1: como desejo acreditar que todas estas perguntas foram feitas com seriedade e de boa fé, não se tratando apenas de tolas provocações ou “pegadinhas”, as responderei com o máximo de respeito e atenção.

Nota 2: fui informado na semana passada que Chris Habig não é mais vice-presidente da FCI, tendo sido substituído por Rafael de Santiago.

50. Pergunto se uma pessoa poderia levar conscientemente um cão que não seja Fila a uma Analise do CAFIB, inventando um nome fictício para este animal e inscrevendo-o para ser Analisado?

Penso que este pretenso falsário pode tentar sim uma ilegalidade como esta, mas não só no CAFIB, como também em qualquer outro clubeque disponibilize o RI (Registro Inicial). Por exemplo: o CBKC recriou para todas as Raças um sistema semelhante ao antigo RI (Registro Inicial) chamado hoje de Certificado de Pureza Racial (CPR). Logo, ambos os clubes estão sujeitos a este tipo de trapaça.

Mas lembre-se que, pelo menos no CAFIB, esta será uma atitude inócua, pois para coibir práticas desonestas e efetivamente aprimorar a Raça Fila, o CAFIB sempre faz em todos os cães analisados, aprovados ou não: registro fotográfico, resenha em sumula escrita e colocação de chip. Soma-se a estas praticas  o uso do cancelamento dos Registros Iniciais  em caso de fraude comprovada ou pela impossibilidade de comprovação genotípica, conforme nosso acompanhamento genético explicado em detalhe mais abaixo:

51.a – Pergunto se uma pessoa poderia levar um vira-lata numa Analise do CAFIB, usando o pedigree de algum Fila do CBKC e usando o nome de algum Canil do CBKC?
Conforme já respondido acima, este pretenso falsário pode tentar sim esta ilegalidade, não só no CAFIB como em outros clubes que possuam RI ou CPR.  Mas note que não solicitamos o afixo dos cães inscritos para Análise. Para ser aprovado na Análise um cão deverá possuir caracteres mínimos que o enquadrem no Padrão Racial do CAFIB. Desta forma, o vira-lata exemplificado nesta pergunta não seria aprovado em nossa Analise. Entretanto, se um cão possuir estas características mínimas, o CAFIB passa a fazer seu acompanhamento, permitindo que este animal comprove por meio de acasalamentos com diferentes parceiros/as as características genéticas das quais é de fato portador. Caso não as comprove, seu registro  será  automaticamente cancelado. Parece que criadores, mesmos os antigos de outros clubes, ainda não sabem que os pedigrees do CAFIB não são vitalícios, nem que da Análise (RI) do CAFIB consta apenas o nome do cão aprovado em Análise. Esta pratica adotada pelo CAFIB é comum em muitas criações sérias e honestas de outras Raças animais, onde realmente se deseja selecionar, aprimorar e criar com seriedade.
Como todo clube que adota esta pratica o CAFIB também adota o cancelamento do RI uma vez que os descendentes destes cães não atinjam o mínimo exigido no Padrão Racial  do CAFIB. Ou seja, o simples ato de possuir características mínimas não dará a nenhum cão analisado e aprovado (com ou sem Restrições) o direito de uso vitalício do RI.
Ou seja: registrar cartorialmente sem fiscalizar e acompanhar e, ainda, faturando com a venda de pedigrees definitivamente é fácil e a isto não chamamos de criar!!! Logo, o resultado desta pretensa ilegalidade também seria nulo. Mas creio que assim como a pergunta nº 50, isto seria mais um caso policial do que cinófilo. Em minha opinião o resultado desta tola tentativa de trapaça continuaria, assim como na pergunta acima, sendo inócuo.
51.b – Pergunto se uma pessoa poderia levar um vira-lata numa Expo do CAFIB?
Evidente que não. Das nossas Expos somente participam cães aprovados, registrados e/ou com o pedigree do CAFIB.
Obs: neste tópico comento que, obviamente, existe a possibilidade de uma pessoa levar de boa fé um vira-lata (ou mestiço / atípico) a um evento do CAFIB por achar ou desejar saber se seu cão trata-se mesmo de um Fila Puro, pois ganhou ou comprou este cão de alguém como se Fila puro fosse. Meu amigo: voce não faz ideia de como corta o coração de todos os juízes do CAFIB quando se veem obrigado a reprovar um cão. Sabemos que trata-se de um querido e admirado amigo da família, mas, infelizmente, que não é Fila. E, ao contrário do que muitos criadores de outros clubes escrevem, nosso compromisso de fato é com a Raça Fila.
52. Como se explica o fato do CAFIB não premiar um Fila com a qualificação Ótimo, que é representada por uma Medalha de Ouro?

O CAFIB entende que a qualificação Ótimo deva ser concedida somente a expoentes da Raça e não distribuída sem critério ou simplesmente para agradar politicamente criadores e diretores de clubes. Não compactuamos com o que presenciamos em outros clubes onde basta ganhar uma Classe para receber Excelente, mesmo que desta Classe não tenha participado nenhum exemplar digno de premiação ou um número suficiente de participantes. Por outro lado, os juízes do CAFIB estão cada vez mais exigentes e nosso aprimoramento genético se comprova com um número cada vez maior de Filas obtendo a qualificação Bom e Muito Bom.

Alem disto, mais importante do que uma medalha de ouro é a qualidade dos juízes que a concedem. Afinal, qual o valor de um premio concedido por um juiz sem o devido conhecimento técnico? O CAFIB adota a pratica do treinamento de seus juízes, lembrando que no CAFIB os cães somente são avaliados por juízes especializados na aplicação correta do Padrão Racial, ao contrario de outros clubes, salvo raríssimas e honradas exceções, que sequer encontram-se “aptos para julgar” e por falta de conhecimento técnico passam a distribuir medalhas de ouro até mesmos para cães evidentemente MESTIÇOS E ATIPICOS.
Assim, orientamos nossos associados a estudarem os futuros acasalamentos levando-se em conta tão somente a Qualificação dos nossos Filas e não o resultado obtido nas Exposições.
Voce tem todo o direito de discordar, mas este é nosso critério. Logo, não recomendo a nenhum criador que gosta de receber muitos prêmios a se filiar ao CAFIB.
53. Se a seleção do CAFIB é tão séria, porque não há controle de displasia, de DNA e a utilização de microchips?
A displasia ocorre em praticamente todas as Raças e clubes no mundo inteiro, muitos destes mais antigos que o CAFIB e em países com maior acesso à tecnologia, portanto com maior facilidade de serem utilizadas pelos criadores. O CAFIB orienta a pratica do controle de displasia por ser geneticamente transmissível. Os animais portadores desta e de outras doenças geneticamente transmissíveis são excluídos da reprodução. Entretanto constatamos ser extremamente baixo o número de Filas que apresentaram tal anomalia em nosso plantel.
Quanto ao DNA informo que o CAFIB trabalha com o apoio de veterinários e Universidades, nacionais e estrangeiras, incumbidos em nos orientar para colocar em pratica o trabalho de sequencial genético para a Raça Fila Brasileiro. Entretanto, ao contrario do apregoado por diversos criadores, entendemos que este é um trabalho de longo prazo e de alto custo financeiro, mas estudamos sim iniciar o controle de  Padreadores  usando  o  DNA, conforme nosso comunicado em http://www.cafibbrasil.com.br/cafib-brasil-noticias.php . Entendemos ainda que os estudos para o levantamento de perfil do DNA devem ser feitos com absoluta fidelidade, sem nenhuma margem de erro, uma vez que em caso de desvio fatalmente culminaria na aprovação de mestiços de Fila.
Apesar de toda tecnologia, o tradicional procedimento do CAFIB conhecido como Analise de Fenótipo e Temperamento será mantido como pratica indispensável para o aperfeiçoamento do Fila Brasileiro, pois somente a pratica do “bom olho” contribuirá para  a Qualificação dos exemplares para fim de acasalamento.
Mas, até onde vai meu conhecimento, os demais clubes brasileiros, alguns extremamente ricos e com quase 100 anos de existência, também ainda não usam o recurso do DNA. É uma pena que alguns criadores, principalmente de outros clubes, sejam sempre tão rigorosos com o CAFIB, se esquecendo das fragilidadese erros antológicos de seus próprios clubes, sendo que alguns clubes há quase 40 anos emitem pedigree de Fila para mestiços, sem que estes mesmos criadores se sintam incomodados. Alias, que eu saiba, estes clubes sequer usam o sistema elementar do APR (Apto para Reprodução)…
Quanto ao microchip, informo que já são utilizados pelo CAFIB em todos os cães analisados, Aprovados ou não, como medida preventiva de controle.
54. Como voce analisa o fato de que alguns criadores do CBKC estarem denunciando nos Facebooks de forma extremamente deseducada (e talvez até invejosa) que um Fila premiado numa Expo do CAFIB tem um ascendente de cor preta?

Muito simples: a opiniões e afirmações destes criadores não significam absolutamente nada para o CAFIB. Ainda mais se vierem de  pessoas reconhecidamente defensoras do assim chamado “fila-preto”, de vendedores de “fila-preto”, de cães criados para “show”, geralmente sem temperamento ou de mestiços e atípicos. Muito mais do que isto: o CAFIB  não reconhece os pedigrees de Filas emitidos pelo trio-cartório BKC-CBKC-FCI, pois se tratam de documentos que entendemos ser inidôneo, que foi e talvez ainda esteja sendo falsificado, onde os dados ali constantes não merecem nossa credibilidade, conforme fartamente denunciado há quase 40 anos. Por favor, entenda que este foi um dos motivos da criação do CAFIB em 1.978: não acreditar na seriedade destes pedigrees. E, ainda, de termos recebido em 1.983 a autorização do Ministério da Agricultura para emitirmos nosso próprio pedigree. Não acreditamos, não lemos e não estudamos um pedigree sequer destes 3 clubes. Basta dizer que pedigrees de um mesmo Fila emitido pelo CAFIB às vezes tem ascendentes diferentes no BKC-CBKC-FCI…

O CAFIB, partindo desta premissa, adota há quase 35 anos com enorme sucesso a Análise de Fenótipo e Temperamento como base para emitir nosso RI, onde consta apenas o nome do cão informado pelo criador, seja ele de que origem for. A partir disto, começa o controle  que a nosso modo de ver é muito importante, ou seja,  a  portabilidade genética. Tanto machos como fêmeas, deverão comprovar seu genótipo com no mínimo três acasalamentos com parceiros/as diferentes. Por ser provisório este pedigree do CAFIB é, portanto, passível de ser cassado caso este exemplar não consiga comprovar sua portabilidade genética. Logo, o simples fato de ter um cão seu  fenótipo e temperamento aprovado numa Análise ou ser premiado numa Exposição, não deve ser motivo para espanto e, muito menos, de indignação.

Para mim, digno de espanto e indignação, é existir uma criação que se diz da Raça Fila sem a existência de nenhum tipo de controle e seleção como, no mínimo, o APR (Apto para Reprodução) que deveria ser inclusive precedido do APJ (Apto para Julgar), pois me permito duvidar muito da competência da maioria dos juízes de outros clubes nacionais. Internacionais então, nem se fala!!! Respeito todos os clubes, mas realmente não entendo como um clube especialista em Fila, a Raça mais mestiçada do mundo, não possuiu nenhum tipo de seleção e controle que exclua definitivamente do seu plantel os cães mestiços e atípicos. Pelo simples fato de NÃO serem Filas. O que afinal este ditos criadores pretendem criar?

Cabe ainda acrescentar que o CAFIB adota como pratica para orientação de acasalamentos para seus associados a nossa Qualificação, que vai desde Regular,com ou sem de Restrições que deverão ser respeitadas em acasalamentos, passando pelo Bom, Muito Bom e Ótimo. Assim, o simples fato de um cão obter o Registro Inicial no CAFIB não o referencia como um Padreador. São estes e outros detalhes da Filosofia de Criação do CAFIB que apesar de vigorarem com sucesso há quase 35 anos são totalmente desconhecidos por criadores que se dizem antigos criadores de outros clubes, mas que sequer sonham com o rigor existente no CAFIB. Até porque não possuem em seus clubes o mínimo, que seria um APJ e um APR sério e criterioso.

A isto o CAFIB entende por “aprimoramento”. Para quem ainda não sabe: CAFIB = “Clube de APRIMORAMENTO do Fila Brasileiro”. Entenderam? Ou seja, ao CAFIB não importa informações vindas de criadores, nem sequer reconhecemos os documentos emitidos pelo trio BKC-CBKC-FCI. O que importa é o cão, seu fenótipo, seu temperamento, seus 3 acasalamentos e seus descendentes. E, ainda, se seus descendentes forem Reprovados, seu pedigree será cassado. Será que deu para entender agora que se um cão aprovado for descendente de um cão preto, verde ou rosa, não faz muita diferença; já que este próprio cão se auto denunciará, sendo eliminado? Pois “aprimoramento” é sinônimo de criação séria e honesta que não se atinge em poucos anos e, muito menos, num plantel que abriga e até concede prêmios para mestiços e atípicos. É justamente por isto que em qualquer criação séria e honesta no mundo inteiro, de qualquer Raça animal, os mestiços e os atípicos são afastados do plantel e da reprodução. Será esta minha afirmação difícil de entender? Quando será que os demais clubes terão a coragem de excluir do seu plantel os mestiços e atípicos mesmo que sejam possuidores de pedigree de Fila?

55. Voce acredita que seja possível diluir o sangue e característica de um “filamarques” por meio de cruzamentos com Filas Puros e que nas novas gerações suas características atípicas à Raça Fila logo desaparecerão?

Penso que podemos diluir o sangue de um cão preto, entretanto, não podemos afirmar que suas características logo desaparecerão. Pois sempre será portador destas. Isto não se dará somente com a cor preta, mas também com os amarelos e tigrados que por ventura em sua origem tenham sido miscigenados com cães de outras Raças. Entretanto este  processo de PC (puro por cruza) é muito lento e oneroso, devendo seu criador utilizar em todas suas coberturas somente Filas com muito bom fenótipo e temperamento, seguir aconselhamento especializado, possuir apurado conhecimento técnico e ser isento da conhecida “cegueira de canil”. Ou seja: na minha opinião seria muito mais fácil começar com um Fila Puro, do que tentar copiar a Mãe Natureza.

56. Ao se aprovar numa Analise do CAFIB um cão amarelo que tenha antecedentes negros, em tese não se estaria aprovando um “filamarques”?
Claro que não. A aprovação  refere-se a um cão amarelo, com características que o enquadram no Padrão do CAFIB. Absolutamente nada mais do que isto. Cabe a este cão provar ao CAFIB que ele deve continuar em nosso plantel. Caso contrário terá seu registro cassado. Até porque a origem da informação de que este cão amarelo tem um antepassado de cor negra não é digna de fé. Repito: o CAFIB não leva em consideração informações de terceiros, criadores de outros clubes, muito menos postadas levianamente em Facebooks; posto que não acredita sequer em pedigrees relativos à Raça Fila que tenham sido emitidos pelo trio e cartório BKC-CBKC-FCI.

57. Um cão sendo aprovado numa Analise do CAFIB terá automaticamente toda sua linhagem aprovada?

Evidente que não. A aprovação deu-se tão somente, única e exclusivamente ao exemplar apresentado na Analise. Por desconhecermos sua origem, somente o Fenótipo e o Temperamento deste cão podem ser analisados. Depois de suas futuras coberturas com pelo menos 3 fêmeas diferentes e com a análise de seus descendentes poderemos então avaliar  sua portabilidade genética. Ao contrário, seus antepassados e descendentes NÃO foram aprovados e estão sujeitos às nossas Analises. Alem disto parece que voce não sabe que esta “aprovação” não é vitalícia: em nascendo um “fila-pretinho”, mestiço ou atípico sequer, todos os pedigrees envolvidos serão cassados. A isto chamamos de “APRIMORAMENTO”. Será que voce consegue entender agora como o CAFIB é um clube extremamente rigoroso?

58. E se algum criador no futuro cruzar um descendente de “filamarques” com outro,será tarde demais para cassar o pedigree ou significará cassar o pedigree de toda uma linhagem já aprovada?

Não existe pedigree vitalício. Vide respostas acima. Nunca será tarde para cassar um pedigree uma vez constatado a transmissibilidade de características ATIPICAS à Raça Fila. Sempre é tempo de continuar o nosso trabalho de aprimoramento que já ocorre com sucesso há quase 35 anos. A cor é simplesmente uma evidencia de muito fácil identificação. Todo mundo sabe o que é preto, mas nem todos sabem identificar as faltas desqualificantes decorrentes de mestiçagem (*).Logo, em se constatando atipicidade e/ou mestiçagem todos os registros serão cassados. Visto que uma linhagem não pode gerar atipicidades. Este é o principio do APRIMORAMENTO genético racial que empregamos no CAFIB.

(*) Sugiro que voce estude o magistral artigo do Dr. Paulo Santos Cruz intitulado “Como distinguir um Fila Puro de um Mestiço” acessando em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/8-Documentos-de-1978/8_30/materia.html. Este artigo complementa o Padrão do CAFIB redigido pelo próprio do Dr. Paulo juntamente com os fundadores do CAFIB em 1.978.  Este Padrão nada mais é do que o primeiro Padrão criado pelo mesmo Dr. Paulo em 1.951 para o BKC-FCI. Apenas foi REVISTO E CORRIGIDO DEVIDO A MESTIÇAGEM . Mas, infelizmente, existem muitos criadores de outros clubes que preferem continuar mencionando e se baseando no Padrão de 1.951 e não no corrigido e que o substituiu em 1.978 pela mesma pessoa 27 anos depois!!! Se voce acredita em alguma lógica e nexo neste procedimentode se seguir algo substituído, caduco e superado, siga então o Padrão antigo e boa sorte!!!.

59. Voce acha que muitos criadores de Filas de outros clubes temem terem seus cães Reprovados nas Análises do CAFIB e, por isto, não levam seus cães aos eventos do CAFIB?

Infelizmente, sim. Organizei no passado 14 Analises e Exposições do CAFIB-Rio. Sempre foi assim, mas quando seus cães são aprovados tiram um peso enorme de suas vidas. Parece que estão no Paraíso… Por outro lado, outros têm seus cães reprovados e, assim como muitos cafibeanos, recomeçam suas criações. Nós criamos a Raça Fila, não cães mestiços com pedigree de Fila. No meu entender trata-se de pura teimosia e tolice permanecer no erro de criar mestiços.

60. É verdade que voce escreveu que um dos maiores inimigos do Fila Puro é o cão mestiço e atípico que ainda se encontram em alguns canis e que são muito admirados e amados por seus donos que não tem a coragem de admitir que estejam criando mestiços com pedigree de Fila e não Filas?

Claro, com certeza.

61. Depois de ler o excelente artigo do Américo Cardoso (vide http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fila_brasileiro-cachorro.html ) que explica como funciona a Análise do CAFIB, passei a entender este excelente sistema de aprimoramento e seleção do CAFIB. Pena que eu tenha demorado tanto tempo para estuda-lo. Assim, pergunto se a Análise lembra o antigo RI (Registro Inicial) que existia no então BKC na década de 1.970?

Sim, apenas muito mais exigente e técnica. Na segunda metade da década de 70 nós lutamos muito para que o RI não acabasse. Infelizmente foi extinto pelo então BKC na administração do Henrique Lucena, por influência de alguns mestiçadores que desejavam mudar o fenótipo do Fila e, alguns, até tornar o temperamento do Fila mais dócil. Veja mais detalhes sobre a nossa veemente defesa em favor do RI em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/5.html . Este grupo de mestiçadores desejava evitar que Filas Puros passassem a fazer parte do plantel do então BKC por meio do RI, já que desejavam supervalorizar o fenótipo e aumentar muito o valor comercial principalmente dos mestiços de Fila com Mastiff Inglês e chegaram até a declarar que tinham selecionado 55 cães “meio-sangue” de Fila com Mastiff Inglês para serem “a revitalização” da Raça Fila (vide  http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/9-Documentos-ate-1979/9-24.jpg ). Estas declarações absurdas me foram prestadas pessoalmente por João Batista Gomes e nunca foram negadas pelo ex-presidente do Clube Paulista do Fila Brasileiro — hoje SPFB–,  que gostava mesmo era de http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/1843.jpg … Mastiff Inglês.

62. Permita-me comentar: pena que a criação do Fila-CBKC não tenha nenhuma ferramenta de seleção (APR ?) semelhante à Análise usada pelo CAFIB. Agora entendo que é justamente por não existir nenhum tipo de controle e seleção na criação do CBKC-FCI e por ter havido tanta mestiçagem e continuarem a cruzar estes descendentes de mestiços, que no Fila CBKC-FCI prolifera tantos “tipos” e “variedades” de Filas que voce comprovou claramente por meio do seu trabalho propondo a criação da Raça Mastin Brasileiro (http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/novos/pergunte_chico_3/materia.html ).

É verdade. Realmente são cães diferentes do Fila, pois são descendentes das mestiçagens ilegais de Filas com Mastiff Inglês, Mastin Napolitano e Dinamarquês (Great Dane). Entendo que estes cães já formam 4 Variedades de Filas distintas e devidamente consolidadas e que deveriam se transformar numa nova Raça, aliás como ocorreu recentemente com o Akita que foi dividido em duas Raças: o Akita Americano e o Akita Japonês. Penso que deveríamos nos orgulhar do Brasil dotar o mundo de mais uma Raça canina de Molossos: o Mastin Brasileiro.

63. Tenho uma ótima noticia para voce, Tio Chico: tenho um “filamarques”, gosto e continuarei a gostar muito dele, é um grande companheiro para toda minha família, mas não mais o cruzarei, pois não quero ser cúmplice dos primeiros mestiçadores que tanto dano causaram a Verdadeira Raça Fila. Parabéns pelo trabalho do CAFIB!

Obrigado e parabéns pela sua coragem e verdadeiro amor ao Fila Puro!!!

Meus amigos e amigas, concluindo:

a) peço encarecidamente, mais uma vez, que estes criadores que fazem estas perguntas se dediquem um pouco mais e, já que dizem gostar tanto do Fila, estudem no site do CAFIB e no meu site como funciona a Filosofia de Criação do CAFIB. Por favor, entendam que respondo com prazer, educação, respeito e atenção a todos voces, mas estas respostas tomam muito tempo do meu trabalho profissional, de minha família e do meu lazer;

b) espero que estas perguntas não tenham decorrido apenas da implicância e ciumeira existente entre criadores de outros clubes, decorrente do fato de que alguns criadores do CBKC terem entendido o trabalho do CAFIB, passado a frequentar nossos eventos, serem premiados e, até,  passarem a ser sócios do CAFIB;

c) se voces não concordam comigo, ok, sem problemas. Pela enésima vez repito que não levo nada relativo ao Fila para o lado pessoal e não tenho inimigos. Apenas adversários de ideias. Se desejaram, me enviem suas contra-argumentações, mas, por favor, de forma clara, inteligente, educada e com uma forte argumentação. Serão respondidas com prazer. Entretanto, me reservo o direito de não responder e ignorar tolices e opiniões sem argumentação.

Afinal, vamos respeitar nosso tempo.

Nota 2: fui informado na semana passada que Chris Habig não é mais vice-presidente da FCI, tendo sido substituído por Rafael de Santiago.

Abraços a todos,

Chico Peltier.

::::::::::::::::::::::

Post nº 29 – Perguntem ao Tio Chico nº 14 – Sobre o “filamarques” = “fila-preto” – enviado em 3/08/12

Perguntem ao Tio Chico nº 14

Amigos/as,

Nota: Como sempre faço com todos os meus artigos, os envio por email para ao redor de 900 criadores, juízes, dirigentes e clubes, no Brasil e no exterior. Ou seja, sempre os envio também para todo o staff do CBKC e da FCI. Ainda mais o email abaixo no qual cito nominalmente mais uma vez (vide item “c” abaixo) o velho e querido amigo do CAFIB, do Dr. Paulo Santos Cruz e meu, Chris Habig, que nada mais é do que o atual vice-presidente da FCI e conhece desde o final dos anos 70 a Verdadeira História do Fila Brasileiro, dela tendo participado ativamente até meados da década de 80.

49. Sr. Francisco, desejo comprar um casal de Filas para tomar conta da chácara onde resido. Gosto muito das cores amarelo e tigrado que me lembram dos Boxers que possuí na minha infância, mas um criador do CBKC esta tentando me convencer a comprar um de cor preta. Ele alega que é uma cor rara e de valor mais elevado no mercado. Entretanto, alertado por um parente meu, tomei conhecimento do CAFIB e naveguei um pouco pelo seu site. O Senhor poderia me indicar os artigos que comentam a cor preta no Fila e se é verdade que o CAFIB não aceita esta cor?

Meu amigo, vou ser muito objetivo: no meu entendimento não existe o assim chamado “fila-preto”.  Em minha opinião, trata-se de uma “fabricação” do Sr. Procópio do Vale (Canil  Kirimauá – MG). Toda a minha argumentação sobre este assunto encontra-se no meu site no link http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/7.html e em algumas fotos nos links http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/1816.jpg (Tição de Kirimauá) e http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fotos/1842.jpg .

Os teimosos que fingem acreditar na possibilidade de existência do assim chamado “fila-preto” postam muitas fotos em Facebooks, elogiam estes exemplares de forma superficial, tímida, sem consistência e até infantil. Chamam estes cães de “bonitos” (!?), seja lá o que isto for. Entretanto, até onde vai meu conhecimento, jamais defenderam sua existência com argumentos, fatos e documentos. E muito menos mandaram seus argumentos em favor do tal do “fila-preto” para meu email. Ou seja, navegam pela penumbra da cor preta tentando iludir os tolos. Nem mesmo o Sr. Procópio do Vale  aproveitou o livro escrito por ele para defender a sua fabricação: o “fila-preto”. Nada mais do que isto.

Por isto, meu amigo, eu na minha modéstia franciscana, prefiro desacreditar totalmente neste tal de “fila-preto” e compartilho meu entendimento com:

a) o pensamento cristalino do Dr. Paulo Santos Cruz que, respondendo a uma carta-provocação de minha autoria, publicou no nº 25 da Revista Animais & Veterinária em Abril de 1.977, isto é, aproximadamente um ano antes da fundação do CAFIB: “O que não entendo é por que os apreciadores da cor preta, não adquirem desde logo um autêntico e puro Dinamarquês (Great Dane) preto, ou um Dobermann ou uma Graúna?” (vide em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/7-Cao-Preto-x-Fila-Puro/7_2/materia.html );

b) o criador e fundador do CAFIB, Luis Antônio Maciel, editor do Jornal O FILA, que juntamente com mais 13 criadores encaminhou em 5/01/78 Carta Aberta ao Jornal O Estado de São Paulo denunciando: “Alertamos aos criadores que a cor preta uniforme (não tigrada) é um sinal evidente de mestiçagem e que os animais que estão transmitindo esta cor — alguns até com título de campeão da Raça Fila – são de origem mestiça”. (vide em   http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/7-Cao-Preto-x-Fila-Puro/7-7.jpg );

c) o pedido unânime encaminhado em 26/05/84 ao CBKC pelo Club Fur Molosser da Alemanha, onde o Sr. Christopher Habig, atual vice-presidente da FCI, era o responsável pela revista Molosser Magazin, solicitando que o BKC incluísse no Padrãodo Fila “…a proibição expressa da cor preta que deve figurar entre as faltas desqualificantes”. (vide em  http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/7-Cao-Preto-x-Fila-Puro/7-8.jpg e http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/7-Cao-Preto-x-Fila-Puro/7-10.jpg );

d) o criador e advogado Dr. José Souto Maior Borges, que ao comentar a não aceitação do pedido do Club Fur Molosser da Alemanha negado acima pelo CBKC denunciou no Jornal O Estado de São Paulo no dia 19/12/84: “Este pseudonacionalismo serve apenas para encobrir o âmago da questão: continuam os filas (“mestiços”) pretos a serem registrados pela CBKC. E assim sendo os pedigrees não podem certificar o incertificável: pureza rácica de… mestiços”. (vide em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/7-Cao-Preto-x-Fila-Puro/7-12.jpg );

e) a nossa querida criadora e escritora Inês Van Damme que visitando o tradicional criador mineiro de Filas, Sr. Willian Frederick Chalmers, proprietário do Canil Jaguara, descobriu que o “garoto-propaganda” de Procópio do Valle como sendo um típico representante do “fila-preto”, o cachorro Zulu, não passava de um vira-lata, pois atrás de sua foto o próprio Chalmers escreveu com sua letra tratar-se de “Mestiço de diversas raças”. (vide em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fila-brasileiro-3.html );

f) Ainda, continuando com a sabedoria do Dr. José Souto Maior Borges, ex-professor de Direito e Professor Honorário de Direito da PUC de São Paulo, que escreveu em 6/10/09 um artigo especialmente para o meu site intitulado “Mestiços Pretos de Fila Brasileiro: um Ferro de Madeira” (vide em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/7-Cao-Preto-x-Fila-Puro/30_7/materia.html ). Bem, amigo, eu não conheço nenhum “ferro de madeira”, assim como não conheço nenhum “fila-preto”…;

g) Finalizando, fico comigo mesmo, isto é, com o próprio Tio Chico, que em 19/02/10 escreveu o artigo intitulado “Cães Negros, chamados por alguns de “fila-preto”, mas com pedigree da FCI…” onde, entre outros pontos, faço uma verdadeira “autópsia” da tese de Procópio do Valle, publicada na Revista Animais & Veterinária, o qual considero o “Pai do Fila-Preto”, por ter sido o seu grande “inventor”, não restando de pé um só argumento sequer e que jamais foi contra-argumentado por ele nem por nenhum defensor sério do assim chamado “fila-preto”.

(vide em  http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/fila-brasileiro-3.html).

Meu amigo, todos nós temos o direito de defender nossas ideias e pensamentos. Entretanto temos que ter seriedade, coragem e o mínimo de discernimento de fazê-lo com inteligência e argumentos. Este infantil blá-blá-blá defendendo e postando em Facebook fotos de “filamarqueses” jamais avalizará um cão e uma cor inexistente. Entretanto, se voce não concorda comigo, acha o “fila-preto” bonito, raro e valorizado, e deseja se juntar ao grupo de teimosos que fingem acreditar na existência do Fila na cor preta muito bem, sem problema algum, compre o seu “fila-preto” que eu há muitos anos apelidei de “filamarques” (cruzamento ilegal de Fila com Dinamarquês-preto) e seja feliz. Para mim o assim chamado “fila-preto” não passa de um representante da Raça Mastin Brasileiro (vide na minha proposta de criação desta Raça clicando em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/novos/pergunte_chico_3/materia.html ) e da Variedade Preta (vide clicando em http://www.filabrasileirochicopeltier.com.br/novos/pergunte_chico_3/doc_7.jpg  ) . O assim chamado “fila-preto” na minha opinião descende tão somente de cruzamentos ilegaisfeitos inicialmente de Filas Puros com Dinamarquês-preto e, posteriormente, com Mastin Napolitano. Ou seja: para mim não passa de um mestiço.

Boa sorte na sua escolha,

Chico Peltier.

Post nº 28 – Tio Chico Informa nº 12 – Expo Itanhandu – enviado em 31/07/12

Tio Chico Informa nº 12

Amigos,

No último dia 29 foi realizada a 5ª. Expo de Itanhandu, organizada por Cintia e Gerson Junqueira de Barros. Este evento ocorreu na Fazenda Itanhandu que é a sede do Canil Itanhandu. Da Análise de Fenótipo e Temperamento, analisada pelos juízes Mariana Campbell, Luciano Gavião, Jonas Iacovantuono e Airton Campbell participaram 11 cães, sendo todos aprovados.

Na sequencia realizou-se a Expo do CAFIB que foi julgada Airton Campbell e da qual participaram 27 Filas. O resultado final foi:

Melhor Macho: Zenon do Itanhandu
Melhor Femea: Sirena do Itanhandu
Melhor Temperamento: Thor do Carlão
Melhor Cabeça: Milano do Itanhandu

Os demais resultados por Classe poderão ser lidos em breve no site do CAFIB (http://www.cafibbrasil.com.br/).

Este evento se caracterizou pela alta qualidade dos Filas presentes e pela homogeneidade do plantel e, ainda, pelo clima de grande confraternização, onde compareceram dezenas de criadores do CAFIB, assim como alguns criadores do UNIFILA, da SPFB e do CBKC, sendo que muitos deles estavam acompanhados de suas famílias. Entre outros criadores compareceram a este evento:

São Paulo: Rose Campbell (SP); Denise Gavião (Descalvado); Jonas Iacovantuono, Benedito José de Lima Neto, Fabiano e Siliane Gonçalves Nunes (Guaratinguetá); Newton e Carmem Filizola (São Carlos); Giovani Eder Carvalho (Aparecida); Nelsinho e Edna (Cruzeiro); Fernando Martins Lopes (Suzano); Flavio Mancilha (Jacareí); Andre Buck (São Carlos), sendo que estes 3 últimos são criadores do CBKC e, ainda, Roberto Sene (atual diretor da SPFB e ex- Conselheiro do CBRFB do CBKC) acompanhado de seu filho Roberto.

Minas Gerais: Adriano Pacheco, Chad Truelove, Paulo Augusto Monteiro de Moura (Unifila) e Olegario Bretas.

Santa Catarina: Ernani Santa Rita e Ricardo Luzes Pacheco.

Rio de Janeiro: Half Marassi (Quatis), Quinzinho Liberato Barroso (Valença) e Marcelo Fontes (Rio).

Para ver fotos favor clicar no link: http://www.flickr.com/photos/83862376@N02/

Próximas Análises e Expos do CAFIB:

15-Setembro: 11ª. Expo do Clube Onceiro – República Tcheca – Airton Campbell

16-Setembro: 2ª. Expo Lagoa Santa (MG) – Juízes: Caico Amaral e Fernando Zanetti

Parabéns a todos os participantes, principalmente aos vencedores; a Cintia e Gerson pela organização impecável e ao CAFIB que ruma para 35º ano ininterrupto resgatando da extinção, preservando e aprimorando a Raça Cão de Fila Brasileiro. Pois, por meio de nossas Análises, excluímos do nosso plantel os cães mestiços e os atípicos. Mesmo se forem cães portadores de pedigree de Fila. Ou seja, todos os Filas típicos são muito bem vindos, assim como todos os criadores que desejem conhecer nosso trabalho e a nossa Filosofia de Criação.

Atenciosamente,

Chico Peltier.